Assassinato de Jamal Khashoggi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Jamal Khashoggi em março de 2018.

O assassinato de Jamal Khashoggi, dissidente saudita, jornalista do The Washington Post e ex-gerente geral e editor-chefe do Al-Arab News Channel, ocorreu em 2 de outubro de 2018 no consulado saudita em Istambul, quando esse foi perpetrado por agentes do governo saudita.[1][2] A causa exata de sua morte é desconhecida, pois seu corpo não foi localizado ou examinado.[3][4][5] Oficiais do governo de vários países, incluindo Arábia Saudita, Turquia, Reino Unido, França e Alemanha, acreditam que Khashoggi foi assassinado. A Turquia, em particular, acredita que foi assassinato premeditado, e autoridades sauditas anônimas admitiram que agentes afiliados ao governo saudita o mataram.[3][6][7][8]

A família real saudita negou ter ordenado ou sancionado o assassinato.[3] Em 31 de outubro, o promotor-chefe de Istambul divulgou uma declaração afirmando que Khashoggi havia sido estrangulado assim que ele entrou no edifício do consulado e que seu corpo foi desmembrado e descartado.[9] Em 15 de novembro de 2018, a promotoria saudita disse que onze cidadãos sauditas foram indiciados e acusados ​​de assassinar Khashoggi e que cinco deles poderiam enfrentar a pena de morte, uma vez que foi determinado que eles estavam diretamente envolvidos na "ordenação e execução do crime". Embora as autoridades sauditas continuem negando que a família real saudita tenha participado, ordenado ou sancionado o assassinato, há evidências de que o príncipe herdeiro saudita Mohammad bin Salman estava envolvido.[10][11]

As autoridades turcas divulgaram uma gravação em áudio do assassinato de Khashoggi, que alegava conter evidências de que Khashoggi havia sido assassinado por ordem de Mohammed bin Salman.[1] Vários dias depois, em 16 de novembro de 2018, membros da Agência Central de Inteligência (CIA) que analisaram internamente várias fontes de inteligência concluíram que Mohammed bin Salman ordenou o assassinato de Khashoggi.[12] Em 20 de novembro de 2018, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, contestou a avaliação da CIA e declarou que a investigação da morte de Khashoggi precisava continuar.[13] Muhammad Bin Salman negou ter ordenado o assassinato de Khashoggi, mas aceitou a responsabilidade devido ao assassinato ocorrido sob sua guarda. Em 23 de dezembro de 2019, cinco pessoas foram condenadas à morte pelo assassinato de Khashoggi por um tribunal na Arábia Saudita. Três outros receberam sentenças de prisão e três foram absolvidos.[14]

Referências

  1. a b «'Tell Your Boss': Recording Is Seen to Link Saudi Crown Prince More Strongly to Khashoggi Killing». The New York Times (em inglês). 12 de novembro de 2018. Consultado em 25 de dezembro de 2019 
  2. «Jamal Khashoggi: An unauthorized Turkey source says journalist was murdered in Saudi consulate». BBC News (em inglês). 7 de outubro de 2018. Consultado em 25 de dezembro de 2019 
  3. a b c Smith, Saphora (25 de outubro de 2018). «Saudis change Khashoggi story again, admit killing was 'premeditated'» (em inglês). NBC News. Consultado em 25 de dezembro de 2019 
  4. «Saudis now admit journalist was murdered». BBC News (em inglês). 22 de outubro de 2018. Consultado em 25 de dezembro de 2019 
  5. «Speakers» (em inglês). International Public Relations Association – Gulf Chapter (IPRA-GC). Consultado em 25 de dezembro de 2019. Arquivado do original em 11 de maio de 2012 
  6. McKernan, Bethan; Wintour, Patrick; Swaine, Jon (21 de outubro de 2018). «Jamal Khashoggi death: give us the facts, western countries tell Saudis». The Guardian (em inglês). Consultado em 25 de dezembro de 2019 
  7. «"Where Is Jamal?": Fiancee Of Missing Saudi Journalist Demands To Know» (em inglês). NDTV. The Washington Post. 9 de outubro de 2018. Consultado em 25 de dezembro de 2019 
  8. «Turkish prosecutors 'find evidence of Jamal Khashoggi killing'» (em inglês). Al Jazeera. 15 de outubro de 2018. Consultado em 25 de dezembro de 2019 
  9. Uras, Umut (31 de outubro de 2018). «Turkey: Khashoggi strangled immediately after entering consulate» (em inglês). Al Jazeera. Consultado em 25 de dezembro de 2019 
  10. El Sirgany, Sarah; Altaher, Nada; Britton, Bianca. «Saudis seek death penalty, details Khashoggi's death». CNN (em inglês). Consultado em 25 de dezembro de 2019 
  11. «Khashoggi Case Update: Saudi Prosecutor Says 5 Suspects Should Be Executed» (em inglês). NPR. Consultado em 25 de dezembro de 2019 
  12. «CIA concludes Saudi crown prince ordered Jamal Khashoggi's assassination». The Washington Post (em inglês). 16 de novembro de 2018. Consultado em 25 de dezembro de 2019 
  13. «In unusual statement disputing the CIA and filled with exclamation points, Trump backs Saudi ruler after Khashoggi killing» (em inglês). NBC News. Consultado em 25 de dezembro de 2019 
  14. «Saudi Arabia sentences five people to death over Khashoggi killing» (em inglês). Sky News. Consultado em 25 de dezembro de 2019 
Ícone de esboço Este artigo sobre a morte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.