Associação Brasileira de Startups

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Logotipo da Associação Brasileira de Startups

Associação Brasileira de Startups (ABStartups) é uma instituição sem fins lucrativos que visa impulsionar o cenário de empreendedorismo tecnológico no Brasil e auxiliar novos profissionais no ramo. Uma associação é uma organização resultante da reunião legal entre duas ou mais pessoas, com ou sem personalidade jurídica, sem fins lucrativos para a realização de um objetivo comum.

Foi criado em 2011, muito inspirada no movimento iniciado pela Associação Campinas Startups criada em 2010, para que representasse os interesses das startups e desses empreendedores no Brasil de uma maneira geral. Desde então é um dos pilares do segmento de startups digitais no Brasil. A associação atua em três frentes: inteligência de mercado, com foco no levantamento de informações sobre os gargalos do ecossistema; educação empreendedora, com desenvolvimento de programas de capacitação, cursos e eventos para a evolução de ecossistemas regionais e empreendedores; e representatividade, com fomento e desenvolvimento de políticas públicas para startups e agentes do ecossistema, principalmente investidores e aceleradoras.[1]

Projetos[editar | editar código-fonte]

CASE[editar | editar código-fonte]

Sendo um dos maiores eventos da América Latina, e o maior do Brasil nesse seguimento, A Conferência Anual de Startups e Empreendedorismo (CASE), organizada pela ABS, teve sua primeira edição em novembro de 2014. O objetivo da ABStartups é transformar o Case no maior evento anual do setor ao focar nas necessidades das novas empresas brasileiras. A conferência Anual de Startups e Empreendedorismo pode ser melhor exemplificado por Gustavo Caetano, Presidente da ABS, “É um evento feito de empreendedor para empreendedor, porque todos nós também temos empresas. Nosso foco não é vender coisas, mas mostrar como se faz (startups)”.[2]

EdTech[editar | editar código-fonte]

Em Abril de 2015, com o apoio da FGV/EAESP, foi lançado o comitê de EdTech, voltado para as Startups de Tecnologias para a Educação (EdTech). Composto por uma diretoria composta por fundadores de 10 Startups de EdTech, o comitê promove encontros mensais, presenciais e online, com a missão de conectar grandes empresas, investidores e startups do setor. Em 2015 também foi organizado o primeiro Pitch Corporate da ABS voltado para o mercado de EdTech, baseando-se no seguinte conceito: "Grandes empresas que atuam no setor de educação necessitam inovar para continuar crescendo, enquanto Startups podem começar a crescer justamente ao resolver desafios tecnológicos ou de mercado enfrentados por estas grandes empresas." A primeira edição ocorreu no dia 7 de maio de 2015, no auditório da Microsoft Brasil em São Paulo. [3]

StartupTalks[editar | editar código-fonte]

É uma série de bate-papos onde os empreendedores são os grandes protagonistas, trocando experiências sobre o desafio de empreender e viver a cultura startup todos os dias. O evento foi lançado na Campus Party 2014.[4]

Formatos[editar | editar código-fonte]

  • Online
    • O evento online é aberto ao publico em geral, através do Hangout, que quiser interagir ao vivo com os cinco convidados para falar de um dos dez temas que importantes para o StartupTalks. Os vídeos ficam disponíveis ao final de cada evento na página do evento.
  • Presencial
    • Eventos ocasionais no estilo "Altas Horas", as trocas de informações são gratuitas e com plateia, dando a oportunidade aos convidados falarem sobre suas experiências e desafios com suas startups.
  • Powered by
    • Edições especiais realizadas sobre demanda para parceiros que podem contratar a curadoria da ABStartups para customizar uma série de bate-papos entre empreendedores dentro de arenas, feiras e/ou eventos. O SEBRAE é o principal parceiro do projeto, realizando edições no espaço Like a Boss dentro da Campus Party e do BRAPPS (Brazilian Application Seminar).[5]

StartupBase[editar | editar código-fonte]

História[editar | editar código-fonte]

Criada em 2011, o StartupBase foi um grande advento para a comunidade de startup brasileira, pois ajudou centenas de pessoas a conhecer as startups brasileiras, ajudando as mesmas na prospecção de novos negócios com investidores, mentores, consultores e também empreendedores que poderia ser sócios da plataforma. Atualmente o StartupBase é também gerenciada pela ABS, e com outras empresas do ramo. Em fevereiro de 2013, o banco de dados da ABS foi totalmente integrada a base de dados da StartupBase, formando assim a maior base de dados de startup brasileira.[6]

Banco de Dados[editar | editar código-fonte]

Com uma base de dados que gira em torno de mais de 20 mil perfis de pessoas e empresas, o StartupBase é a mais robusta base de dados de startup brasileira e tem o objetivo de conectar mentores, investidores, aceleradoras, incubadoras e agentes de fomento.[6]

Outras Associações[editar | editar código-fonte]

Associação Campinas Startups[editar | editar código-fonte]

Mais antiga do que a Associação Brasileira de Startups (ABS), criada um ano antes, em 2010, é também uma associação sem fins lucrativos, que desde então vem movimentando a vida de seus associados e do ecossistema local. Uma das pioneiras associações dessa cultura no Brasil, foi a primeira a associação de startups a ser citada no relatório da OCDE, "Development Centre Studies - Start-up Latin America".

Associação Gaúcha de Startups[editar | editar código-fonte]

Aconteceu, no dia 25 de junho de 2015, a Assembleia Geral de fundação da Associação Gaúcha de Startups (AGS). A iniciativa, pioneira no estado, reuniu jovens empreendedores de diferentes segmentos do ecossistema de inovação gaúcho. A proposta do grupo é representar e promover as startups gaúchas e ainda fomentar o empreendedorismo local. A iniciativa conta com o apoio do POAdigital, ligado à Prefeitura de Porto Alegre. A AGS é a maior rede de startups do estado, conectando as empresas com aceleradoras, universidades, investidores e workspaces. [7]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Adriana Fonseca, [1], Pequenas Empresas Grandes Negócios, 05 de Fevereiro de 2014
  2. Ligia Aguilhar, [2], Estadão, 15 de Abril de 2015
  3. Newton Campos, [3], Estadão, 22 de Abril de 2015
  4. http://www.startuptalks.com.br/
  5. http://www.startuptalks.com.br/sobre/
  6. a b http://www.abstartups.com.br/startupbase
  7. Fernanda Santos, [4], Startupi, junho de 2015

Ligações externas[editar | editar código-fonte]