Associação Comercial do Ceará

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Associação Comercial do Ceará é uma associação de comerciantes do Ceará. Foi criada em 13 de abril 1866 com sede em Fortaleza. Congregava inicialmente comerciantes ingleses e franceses. O primeiro presidente foi o alemão Henrique Kalkmann. A entidade é uma das fundadoras da Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil.

História[editar | editar código-fonte]

A história das Associações Comerciais se confunde com a própria do Brasil. Em meados do século XIX, o Brasil ainda vivia o período imperial, e o comércio, uma das principais atividades econômicas da época, era fortemente influenciado por estrangeiros. Muitos deles vinham de praças europeias e traziam consigo as primeiras ideias para a formação de instituições que representassem a classe comercial no Brasil. No Ceará, a fundação da Associação Comercial aconteceu em abril de 1866 pelo inglês Henrique Brocklehurst e é considerada a mais antiga Entidade de classe do Ceará ainda em atividade. Brocklehurst administrava em Fortaleza uma filial da R.Singlehurst & Co. de Liverpool, também conhecida como Casa Inglesa. Devido à influência inglesa, as Associações Comerciais seguiam os moldes das Câmaras de Comércio criadas na Bélgica e na Inglaterra. Com o passar dos anos, a Associação Comercial do Ceará ampliou suas representações para os setores industriais, agrícolas e de serviços. Porém manteve seu nome original pela tradição e credibilidade que a instituição transmitia. Mesmo com a mudança do regime Imperial para a República, em 1989, as Associações Comerciais sempre se mantiveram à vanguarda. Em 1945, a Associação Comercial do Ceará foi reconhecida como órgão técnico – consultivo de Poder Público, sem nenhum vínculo subordinativo com o Estado, atuando em defesa dos interesses das atividades que representa. O processo de desenvolvimento econômico e social do Ceará deve muito a Associação Comercial. Sua participação foi fundamental para a implantação da estrada de ferro de Baturité, a construção do Porto de Fortaleza, a eletrificação do Estado, a criação do Banco do Nordeste e da FUNCEME. A Associação Comercial do Ceará também esta presente em diversas campanhas de combate às secas e socorro às vítimas dessas e de outras calamidades. Seus esforços sempre foram pertinentes, desde as mobilizações contra o cangaço, que aterrorizava vilas e cidades da região em tempos remotos, até ao estímulo das chamadas Pirâmides da vitória nos tempos da II Guerra Mundial. A ACC é uma organização multissetorial, representa e expressa a opinião independente, de empresários do comércio, indústria, agropecuária, serviços, finanças e profissionais liberais, de micro, pequenas, médias e grandes empresas. Com 147 anos de existência, a ACC é história viva, mas também é inovação. Uma associação que é parceira, é também, acima de tudo, a grande amiga do empresário cearense, que acredita no seu comércio local e propulsiona suas atividades para todo o mundo. A associação foi reconhecida pelo governo imperial pelo decreto 4.059, de 28 de dezembro de 1867. No ano seguinte o decreto imperial 4.269, de 12 de novembro de 1868, modificou o nome para "Associação Comercial da Praça do Ceará". Em 1897 a entidade volta a ter o nome de origem sendo reformulada sua organização jurídica. No ano de 1918 o Congresso Nacional decretou de utilidade pública a associação.

Com a reorganização em 1897 foi composta uma nova diretoria com os seguintes dirigentes:

  • Alfredo Salgado
  • José Bruno Menescal
  • Guilherme César da Rocha
  • Aquiles Boris
  • Tomás Pompeu de Sousa Brasil
  • Possidonio Pôrto
  • João de Pontes Medeiros
  • Leoncio da Silva Matos
  • Domingos Beto de Abreu
  • F. H. Harding
  • Eduardo Studart
  • Adolfo Barros

O prédio da atual sede foi adquirido em 3 de outubro de 1973 por meio de comprar. Anteriormente era o "Palace Hotel" de propriedade de Antônio Gentil Júnior.

Presidentes[editar | editar código-fonte]

  • 1866 - Período de organização - Henrique Kalkmann
  • 1867 - Primeira diretoria efetiva - Henrique Kalkmann
  • 1868 - Henrique Bracklehurst
  • 1869 - 1870 - Ricardo P. Hughes
  • 1971 - Luis Sand
  • 1872 - Luiz Ribeiro da Cunha
  • 1873 - José Francisco da Silva Albano
  • 1874 - João Machie
  • 1898/1904 - Thomas Pompeu de Souza Brasil
  • 1905 - José Gentil Alves de Carvalho
  • 1906 - Barão de Camocim
  • 1907 - José Gentil ...... 1908
  • 1909 - Barão de Camocim a 1914
  • 1915 a 1936 - José Gentil Alves de Carvalho
  • 1937/1938 - Eurico de Almeida Monte
  • 1939/1944 - Raul Conrado Cabral
  • 1945/1946 - Antonio Fiuza Pequeno
  • 1947/1948 - Milton Costa Freire
  • 1949/1950 - Fausto Augusto Borges Cabral
  • 1951/1954 - Júlio Rodrigues
  • 1955/1956 - Ramos Pompeu de Sousa Neto
  • 1957/1958 - Júlio Rodrigues
  • 1959/1960 - Raimundo de Oliveira Filho
  • 1961/1964 - Jaime Machado da Ponte
  • 1965/1978 - Antônio Gomes Guimarães
  • 1979/1982 - Vicente Salles Linhares
  • 1983/1986 - Humberto Fontenele
  • 1987/1990 - Osvaldo Alves Dantas
  • 1991 - Guilherme Lillienfield
  • 1992 - Osvaldo Alves Dantas
  • 1993/1996 - João Porto Guimarães
  • 1997/2000 - Lívio Silvio de França
  • 2001 - Francisco Lavanery S. Wanderley
  • 2002/2003 - Lívio Silvio de França
  • 2004/2014 - João Porto Guimarães
  • 2015/2018 - João Porto Guimarães

Fontes e referências[editar | editar código-fonte]

  • GIRÃO, Raimundo; MARTINS Filho, Antônio (organizadores). O Ceará. Fortaleza: Editora Fortaleza, 1945.
  • NOBRE, Geraldo da Silva. Historicidade da Associação Comercial do Ceará. Fortaleza: Stylus Comunicações, 1991.
Ícone de esboço Este artigo sobre negócios, indústria, ou organização é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.