Associação Desportiva Jequié

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade(desde outubro de 2017). Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Jequié
ADJequié.jpg
Nome Associação Desportiva Jequié
Alcunhas
  • ADJ
  • Jipão
Mascote Sol
Fundação 20 de novembro de 1969 (48 anos)
Estádio Waldomiro Borges
Capacidade 3 000
Presidente Leur Lomanto Júnior
Treinador Paulo Salles
Material (d)esportivo Brasil Fase
Competição Bahia Campeonato Baiano
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

A Associação Desportiva Jequié (ADJ) é um clube brasileiro de futebol da cidade de Jequié, no estado da Bahia. Suas cores são azul, amarelo e branco.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1969 a seleção municipal de Jequié foi campeã do Campeonato Intermunicipal e foi convidada pela Liga Bahiana de Desportos Terrestres (LBDT) a disputar o Campeonato Baiano de Futebol, para isso deveria filiar um clube para entrar no estadual do ano seguinte. Assim em 20 de novembro de 1969 foi fundada a Associação Desportiva Jequié.[1]

A Associação Desportiva Jequié profissionalizou vários atletas da seleção campeã e obteve um ótimo quinto lugar em seu ano de estreia entre 16 participantes. No ano seguinte um resultado ainda melhor, o quarto lugar. A partir de 1972 começou a realizar campanhas apenas medianas: nono lugar naquele ano, décimo em 1972, oitavo em 1973, sétimo em 1974 e o décimo e último lugar em 1975, porém naquele ano não existiu rebaixamento e o Jequié manteve-se na elite.[2] Em 1976 recuperou-se e foi quarto colocado, nos anos seguinte novamente resultados ruins: nono lugar em 1977, sétimo lugar em 1978, 11.º e último lugar em 1979 até culminar com seu rebaixamento com a 12.ª e última colocação em 1980, quando voltou a ser disputada a Segunda Divisão do Campeonato Baiano. O clube passou por um longo período de inatividade, também justificada com a concorrência de outro clube na cidade, a Associação Desportiva Atlanta que conseguiu chegar a elite em 1988 quando disputou pela única vez o Campeonato Baiano de Futebol. O ano de 1990 marcou o retorno da Associação Desportiva Jequié, o clube participou da Segunda Divisão sem muito sucesso assim como em 1991, porém em 1992 o clube conquistou o título da competição ao vencer na última rodada do Quadrangular Final o time do Clube Atlético Real Serrinhense por 2 a 1, gols marcados por Mococa e Nengo.[3]

De volta a elite, em 1993 fez uma campanha ruim terminando em oitavo lugar entre dez clubes escapando por pouco do rebaixamento. O ano de 1994 foi o grande ano do Jequié, o time foi terceiro colocado no estadual atrás apenas da dupla Esporte Clube Bahia e Esporte Clube Vitória. Em 1995 conquistou a sexta colocação, lugar que repetiu em 1996. O ano de 1997 marcou a última aparição do clube na Primeira Divisão, o clube foi rebaixado em último lugar com apenas uma vitória em 14 jogos.[4]

Em 1998 o Jequié decidiu paralisar suas atividades retornando apenas em 1999 com a penúltima colocação na Segunda Divisão. Em 2000 foi apenas o oitavo colocado escapando do rebaixamento por um ponto.[5] Em 2001 outra campanha fraca até a paralisação de suas atividades que teve fim em 2003 quando foi lanterna da competição.[6] Afundada em dívidas e com o retorno da Associação Desportiva Atlanta que disputou a Segunda Divisão em 2008 e em 2010 a Associação Desportiva Jequié paralisou suas atividades novamente conseguindo retornar apenas em 2011. As dívidas foram tantas que um novo clube com as mesmas cores, mascote e sigla foi criado para ser o substituto do Jequié, era a Associação Desportiva Jequieense que chegou a disputar, sem sucesso, a Copa da Bahia em 2008 obtendo a terceira posição no campeonato.[7] Mais tarde foi tentada uma fusão entre o clube recém criado e outro clube que tentava ser o substituto do Jequié, o Jequié Sport Clube, para a criação da Associação Cultural e Esportiva Jequieense, fato que não foi concretizado. Por fim uma nova direção conseguiu resgatar as dívidas do clube e inscreveu o clube na Segunda Divisão de 2011 quando foi semifinalista, perdendo o acesso para a Sociedade Desportiva Juazeirense. Em 2012 novo insucesso, desta vez nem conseguiu passar de fase.

A ADJ iniciou o Campeonato Baiano da Segunda Divisão de 2017 sob grande expectativa. Muitos empresários e administradores, como o prefeito da cidade, Sérgio da Gameleira e o Deputado Estadual Leur Lomanto Jr., investiram no clube, tornando-o uma potência regional. Com o imenso apoio de sua apaixonada torcida, a ADJ não deu sopa ao azar e fez um campeonato excelente. Se classificou para a final com antecedência, após boa campanha fase de grupos. Depois de dois jogos contra o PFC Cajazeiras, time da capital, a ADJ pôde, enfim, comemorar o título. Destaque para o treinador Paulo Salles, campeão Brasileiro com o Bahia em 1988, intitulado "rei dos acessos".

Títulos[editar | editar código-fonte]

Estaduais[editar | editar código-fonte]

Estadual
Competição Títulos Temporadas
WikiCup Trophy Gold.png Campeonato Baiano — 2.ª Divisão 2 1992 e 2017 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Equipes - Jequié». Futebol Nacional. 9 de abril de 2009. Consultado em 8 de julho de 2017. Arquivado do original em 28 de junho de 2013 
  2. «Brazil - Bahia State League 1914-1993». www.rsssfbrasil.com. Consultado em 8 de julho de 2017 
  3. «Bahia State League Second Level 1992». www.rsssfbrasil.com. Consultado em 8 de julho de 2017 
  4. «Brazil - Bahia State League 1997». www.rsssfbrasil.com. Consultado em 8 de julho de 2017 
  5. «Brazil - Bahia State Second Level 2000». www.rsssfbrasil.com. Consultado em 8 de julho de 2017 
  6. «Bahia State Second Level 2003». www.rsssfbrasil.com. Consultado em 8 de julho de 2017 
  7. «Copa da Bahia 2008». www.rsssfbrasil.com. Consultado em 8 de julho de 2017