Associação Fonográfica Portuguesa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Associação Fonográfica Portuguesa
(AFP)
Portugal location map.svg

Mapa de Portugal.
Fundação 1989
Tipo Normas técnicas, licenciamento, direitos de autor e certificações
Estado legal Associação
Propósito Certificação de produtos musicais
Sede Avenida Sidónio Pais, n.º 20 R/C Direito, 1050-215 Lisboa, Portugal
Línguas oficiais Português
Detentor oficial Estado português
Sítio oficial Sítio oficial

A Associação Fonográfica Portuguesa (ou AFP), criada em 1989, sucedeu ao Grupo Português de Produtores e Fonogramas e Videogramas (GPPFV) e a União dos Editores de Vídeo e Áudio, sendo atualmente a única associação da indústria fonográfica a vigorar em Portugal.[1]

As editoras fundadoras foram a Polygram, EMI-Valentim de Carvalho, Selecções do Reader's Digest, Edisco, Sony Music (antiga CBS), Círculo de Leitores, BMG e Valentim de Carvalho (VC). Em Outubro de 1991 foi criada a Associação Fonográfica Independente, entretanto já extinta, cujo objetivo era defender os interesses das editoras que não integravam a AFP. [2]

Um dos principais objectivos da AFP é a defesa dos direitos e interesses da Indústria Fonográfica. As suas actividades principais são o combate à pirataria das obras protegidas pelos direitos de autor, o acompanhamento do processo legislativo dos mesmos processos (a nível local e internacional), a divulgação de dados estatísticos, como tabelas de vendas, levantamentos de mercado e ainda a atribuição de galardões, como discos de ouro e platina.[1]

Desenvolve um trabalho constante, de acompanhamento com as autoridades, combatendo a pirataria, e prestam formações nas áreas técnicas, relacionadas com a música gravada.[1] É o grupo português da IFPI [3] que representa mais de 1450 empresas musicais.[4]

Promoveu até 2012 um programa no Canal 1 da televisão pública portuguesa denominado Top+ onde eram divulgados os topos de vendas musicais semanais conforme as tabelas oficiais da AFP.[1]

Objectivos[editar | editar código-fonte]

As resoluções declaradas da AFP, actualmente, são:[1]

  1. Defesa dos direitos e interesses da Indústria Fonográfica;
  2. Combate à pirataria das obras protegidas;
  3. Acompanhamento de processos legislativos, a nível local e internacional;
  4. Divulgação de dados estatísticos.

Galardões[editar | editar código-fonte]

Os discos de ouro e platina são galardões, ou certificações, atribuídas pelas Empresas Editoras Fonográficas, cujos fonogramas atingido as 7.500 unidades, são certificados como ouro, e atingindo as 15.000 unidades como platina.[5] Galardões de diamante são oferecidos pelas editoras discográficas a partir da décima platina.[6][7][8]

CD
Certificação Antes de 1990[9] Entre 1990 e 2004[9] Entre 2005 e 2010[10] [11] Depois de 2011
Prata 15.000 10.000 Extinta Extinta
Ouro 25.000 20.000 10.000 7.500
Platina 50.000 40.000 20.000 15.000
DVD e vídeos musicais
Certificação Antes 2001[12] Depois 2001[12][10]
Prata 5.000 Extinto
Ouro 7.500 4.000
Platina 10.000 8.000

Anti-Pirataria e direitos[editar | editar código-fonte]

A APF, combate a pirataria, juntamente com órgãos da autoridade, como a GNR, dispõe de notícias sobre esse assunto,[13] e ainda o código completo do "Código de Direito de Autor".[14]

Referências

  1. a b c d e «"Associação Fonográfica Portuguesa"». Associação Fonográfica Portuguesa. Consultado em 19 de Abril de 2009 
  2. Castelo-Branco, Salwa (2010). Enciclopédia da Música em Portugal no século XX. 1. Lisboa: Círculo de Leitores. p. 79. ISBN 978-989-644-091-6 
  3. http://www.ifpi.org/national-groups.php
  4. «"Local record industry associations"». IFPI (em inglês). Consultado em 31 de Julho de 2009 
  5. «"Discos de Ouro e Platina"». Associação Fonográfica Portuguesa. Consultado em 5 de Novembro de 2012 
  6. «Marco Paulo encerra festa dos 50 anos de carreira com três espetáculos». Jornal de Notícias. Consultado em 2 de fevereiro de 2017 
  7. «Marco Paulo completa 50 anos de carreira». RTP. Consultado em 2 de fevereiro de 2017 
  8. «D'ZRT no Pavilhão Atlântico». Jornal da Madeira. Consultado em 2 de janeiro de 2017 
  9. a b Billboard 3 ago. 1996
  10. a b Crise emagrece galardões discográficos
  11. «Certification Award Levels» (PDF). 2007. Consultado em 16 de fevereiro de 2017  Parâmetro desconhecido |hrsg= ignorado (ajuda)
  12. a b «Xutos & Pontapés ocupam primeiro lugar no top DVD's». Sapo. Consultado em 4 de fevereiro de 2016 
  13. «"Notícias"». Associação Fonográfica Portuguesa. Consultado em 19 de Abril de 2009 
  14. «"O Código do Direito de Autor e dos Direitos Conexos"» (PDF). Associação Fonográfica Portuguesa. Consultado em 19 de Abril de 2009 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]