Associação de Canto Coral

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Associação de Canto Coral
Ficheiro:Associação de Canto Coral.jpg
Coral da Associação de Canto Coral em frente ao Theatro Municipal do Rio de Janeiro
Informação geral
Nome completo Associação de Canto Coral
Origem Rio de Janeiro
País Brasil
Gênero(s) Música Erudita
Período em atividade Século XX

A Associação de Canto Coral é instituição pioneira na produção musical ligada ao Canto Coral em sala de concerto no Brasil.

Fundada em Dezembro de 1941 por Cleofe Person de Mattos[1], tendo como patrono o compositor Heitor Villa-Lobos, atua até hoje na produção coral brasileira, fomentando a música coral erudita de todos os períodos históricos.

Em função da pesquisa de sua fundadora foi um dos primeiros coros a revelar para o país a música colonial brasileira, até então esquecida dentro dos arquivos das igrejas centenárias dos centros históricos do país.

Entre às décadas de 50 e 80, o coro da Associação de Canto Coral torna-se o coro referência no país, quando regentes em evidência do Brasil e do mundo o procuram para realizar suas estreias e projetos musicais[2]. Dentre os brasileiros podemos citar Heitor Villa-Lobos, Francisco Mignone[3] [4], Brasílio Itiberê da Cunha [5], Camargo Guarnieri, Almeida Prado, Marlos Nobre [6]. Dentre os estrangeiros Igor Stravinsky[7], Karl Richter[8], Victor Tevah [9], Sir Colin Davis, Helmuth Rilling, Jacques Pernoo e outros[10].

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Prêmio Apolo - Sociedade Teatro de Arte, 1957;

Melhor Conjunto Coral - Secretaria de Educação e Cultura do Estado da Guanabara, 1959,1960 e 1961;

Medalha de Bronze - Jubilei de Prata da Rádio MEC, 1965;

Medalha do Mérito Carlos Gomes - Estado da Guanabara, 1965;

Prêmio Nacional do Disco - Associação Brasileira de Críticos Teatrais, 1963;

Medalha Estácio de Sá - Conselho Estadual de Cultura , 2001;

Mérito Cultural - União Brasileira de Escritores do Rio de Janeiro, 2004. [11]

Discografia[editar | editar código-fonte]

José Maurício 1830-1980 - Album Comemorativo(1980)[12];

Missa de Réquiem (1958); [13]

Grandes Compositores da Música Universal - José Maurício – Abril Cultural(1970); [14]

José Maurício Nunes Garcia – Matinas de Finados (FUNARTE, s/d)[15]

Rio de Janeiro na côrte de D. Pedro I (1965)

Rio de Janeiro na côrte de D. João VI (1965)

Concerto em Homenagem ao Padre José Maurício Nunes Garcia (1980)

Missa de São Sebastião Heitor Villa-Lobos

José Maurício Nunes Garcia – Missa de Nossa Senhora do Carmo (1986)

Cantigos de Natal (s.d.)

Associação de Canto Coral 40 anos (1981)

Francisco Mignone – Missa (s.d.)

Missa em Si bemol, Bendita Sabedoria e Estâncias (s.d.)

José Maurício Nunes Garcia – Missa de Santa Cecília (1982) [16]

José Mauricio Nunes Garcia – Matinas do Natal, Manoel Dias de Oliveira – Magnificat (1985)

Pe. João de Deus Castro Lobo – Missa e Credo a 8 vozes (1985)

Musica Barroca e Colonial Brasileira (2006)

Heitor Villa-Lobos – Magnificat – Aleluia (s.d.)

Camargo Guarnieri – Suite Villa Rica (1958)

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]