Astérix e os Louros de César

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Les Lauriers de César
Álbum da série Astérix
Imagem ilustrativa padrão; esse artigo não possui imagem.
País de origem  França
Língua de origem Francês
Editora(s) Hachette
Primeira publicação Revista Pilote números 621 (30 de setembro 1971) a 642 (24 de fevereiro 1972)
Género(s) humor, aventura
Argumento René Goscinny
Desenho Albert Uderzo
Personagens principais Astérix, Obélix
Título(s) em português Astérix e os Louros de César
Títulos da série Astérix
Le Domaine des dieux
Le Devin

Astérix e os Louros de César (francês Les Lauriers de César) é o décimo-oitavo álbum da série de banda desenhada franco-belga Astérix, escrito por René Goscinny e ilustrado por Albert Uderzo, publicado nas edições 621 (30 de setembro 1971) a 642 (24 de fevereiro 1972) da revista Pilote e republicado no formato álbum em 1972.

Argumento[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Astérix e Obélix acompanham Abraracourcix e Bonemine até Lutécia, onde vão visitar Homeopato (cunhado do chefe). Homeopato é um negociante convencido e gabarola, que provoca constantemente Abraracourcix, humilhando-o ao ostentar as suas riquezas. Num desses momentos, e depois de já ter bebido algum vinho, o chefe decide apostar com o cunhado de que consegue organizar um banquete, cujo prato principal é um guisado cozinhado com a coroa de louros do próprio César.

Astérix e Obélix deslocam-se então a Roma com o objectivo de roubar a coroa, mas infelizmente a tarefa torna-se complicada. Os dois gauleses depois de várias peripécias, acabam condenados aos leões por terem sido acusados de trair a confiança de uma família de patrícios romanos (eram escravos deles) e de atentar contra o próprio imperador. Logicamente os dois gauleses conseguem escapar sem dificuldade, e num golpe de sorte conseguem a coroa através de um escravo que pertencera aos patrícios para quem Astérix e Obélix trabalharam.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • É considerado como sendo o álbum mais chocante da coleção, pois aparecem referências ao álcool, escravatura, defeitos físicos e criminalidade violenta. Para não despertar tanto interesse entre os leitores mais jovens, Ideiafix quase não é referido, e o estilo de letra é propositadamente de relativa difícil compreeensão.
  • O domador de leões é uma caricatura do actor Jean Richard.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]