Astro Boy

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Astro Boy
Tetsuwan Atom
("Poderoso Atom")
Capa da compilação do volume 1 e 2 publicado pela Dark Horse Comics.
Gênero Aventura, Mecha, Ficção científica
Mangá
Escrito por Osamu Tezuka
Editora(s) Japão Kobunsha
Editora(s)
lusófona(s)
Portugal Edições ASA
Revista(s) Shōnen Kobunsha[1]
Público-alvo Shōnen
Data de publicação Abril de 1952 – Março de 1963
Volumes 23
Anime
Astro Boy
Direção Osamu Tezuka
Estúdio Mushi Productions
Emissoras de televisão Japão Fuji TV
Emissoras lusófonas Brasil Ulbra TV, Rede Brasil de Televisão
Exibição original 1 de janeiro de 1963 – 31 de dezembro de 1966
Episódios 193[2]
Anime
Robot Atom
Estúdio Tezuka Productions
Emissoras de televisão Japão Nippon Television
Exibição original 1 de outubro de 1980 – 23 de dezembro de 1981
Episódios 52
Anime
Astro Boy Reboot
Direção Kazuya Konaka
Estúdio Tezuka Productions
Emissoras de televisão Japão Fuji TV
Emissoras lusófonas Brasil Cartoon Network Brasil, Rede Globo
Exibição original 6 de abril de 2003 – 21 de agosto de 2003
Episódios 52
Mangá
Escrito por Akira Himekawa
Editora(s) Japão Shogakukan
Público-alvo Shōnen
Data de publicação julho de 2003 – março de 2004
Volumes 3


Wikipe-tan face.svg Portal Animangá

Astro Boy (鉄腕アトム, Tetsuwan Atomu?, literalmente, "Poderoso Atom") é um mangá de Osamu Tezuka produzido de abril de 1952 a março de 1968, ganhando diversas adaptações para a televisão em anime.

Por ter sido a primeira série animada exibida no Japão, tornou-se referência na área. As transmissões tiveram início a partir de 1963, com seu sucesso deram origem à indústria japonesa de animação.

Um longa-metragem em CGI foi lançado em 2009.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Tetsuwan Atom (conhecido na dublagem como "Astro Boy") é uma série de ficção científica ambientada em mundo futurístico, onde androides convivem com seres humanos. A série tem seu foco nas aventuras do personagem título, "Atom", um poderoso robô criado pelo chefe do Ministério da Ciência, Dr. Tenma, para substituir seu filho Tobio, que havia falecido em um acidente automobilístico. Dr. Tenma construiu Astro à semelhança de Tobio e o tratava com tanto afeto quanto tratava o Tobio verdadeiro, mas logo percebeu que aquele pequeno androide não poderia preencher o vazio da perda de seu filho, principalmente porque o robô Tobio não podia crescer ou expressar a estética humana (em uma parte do mangá, o robô Tobio aparece preferindo as formas mecânicas dos cubos ao invés das formas orgânicas das flores). Na edição original de 1952 e anime de 1963, Tenma rejeitou o robô e acabou vendendo-o para um dono de circo cruel chamado Hamegg pelo qual remearia o robô Tobio como Atom.

Algum tempo depois o Professor Ochanomizu, o novo chefe do Ministério da Ciência, viu uma apresentação de Atom no circo e tentou convenceu Hammeg a entregar-lhe, porém ele se recusa. Mais tarde, após um acidente o circo pega fogo e os robôs do circo pelos quais Hamegg tentou descartar acabaram salvando as pessoas que estavam assistindo o circo e Atom então salva seu dono mais tarde. Após esse evento, robôs acabam ganhando direitos iguais aos humanos e Dr. Ochanomizu finalmente tira Atom de suas mãos.

Então, ele o levou e passou a tratá-lo de maneira gentil e afetuosa, tornando-se seu tutor legal. Logo ele percebeu que Atom era dotado de poderes e habilidades superiores, e também da capacidade de expressar emoções humanas.

Atom então começa a combater crimes, o mal e a injustiça. A maior parte de seus inimigos são robôs que odeiam humanos, robôs raivosos, humanos que odeiam robôs, gângsteres ou aliens invasores. Quase todas as histórias incluíam uma batalha de Atom contra outros robôs.

Após várias aventuras ele consegue uma família robô incluindo pais robóticos, um irmão chamado Cobalt e uma irmã chamada Uran.

No anime de 1963, Atom também ganhou um irmão na forma de bebê chamado Chi-tan.

Mídia[editar | editar código-fonte]

Mangá

O mangá foi publicado originalmente na revista Shonen da editora Kobunsha entre 1952 e 1968 e compilados em 23 volumes.[3]

Entre 2000 e 2002, protagonizou mangás educativos com as biografias de Helen Keller, Albert Einstein, Madre Teresa, Beethoven e Anne Frank.

De 2003 a 2009, Naoki Urasawa com a ajuda de Takashi Nagasaki, escreveu uma série inspirada em Astro Boy,[4][5] Pluto,[4] entre 2003 e 2004, a editora Shogakukan publicou um mangá em três volumes por Akira Himekawa, baseado no anime de 2003.

Histórias em quadrinhos não-oficiais

A editora Gold Key Comics, selo de quadrinhos da Western Publishing, publicou uma história em uma revista one-shot publicada em 1965 e na Edição 285 da revista "March of Comics", a Gold Key afirmava que possuía licença da NBC Enterprises, anos mais tarde Osamu Tezuka declarou que essa adaptação não foi autorizada por ele. Na década de 1970, na Argentina, a Editorial Mo.Pa.Sa. publica a revista Las Fantásticas Aventuras de Astroboy, ilustrada por Norberto Vecchio e Prys.[6]

Outra revista de Astro Boy foi publicada pela american Now Comics em 1987, ilustrada por Ken Steacey, novamente sem licença oficial.[7] A editora também publicou revistas de Speed Racer.[8]

Histórias em quadrinhos licenciadas

Por conta do lançamento do filme em CGI de 2009, a IDW Publishing conseguiu a licença para produzir histórias em quadrinhos ambientadas no universo do filme.[9]

Anime

O anime original foi produzido em 1963 pela Mushi Production, essa série em preto e branco foi a primeira série de anime regular exibida no Japão, o segundo anime, dessa vez colorido foi produzido em 1980 e o terceiro foi produzido em 2003.[10]

Em 2014, foi anunciada a série Robot Atom, co-produzida pela Tezuka Productions e o Channel Tv da Nigéria.[11]

Em 2015, foi anunciada a série animada Astro Boy Reboot, co-produzida pela Tezuka Productions, Shibuya Productions e Caribara Animation.[12]

Filmes[editar | editar código-fonte]

  • Astro Boy: Hero of Space (1964)
  • Astro Boy: Shinsen-gumi (1985)
  • Astro Boy: Mighty Atom - Visitor of 100,000 Light Years, IGZA (2005)
  • Astro Boy (2009)

No Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil, o anime original nunca foi exibido, nos anos 80 foi exibido o anime O Menino Biônico, uma série inspirada em Tetsuwan Atom criada pelo próprio Osamu Tezuka.[13]

O anime de 2003 foi exibido pelo Cartoon Network[14] e pela Rede Globo na TV Globinho.[15]

Em 2007, a Panini Comics publicou o mangá de Akira Himekawa.[3]

O brasileiro Maurício de Sousa foi amigo de Tezuka nos anos 80, em 2012, fez um crossover entre os seus personagens e os de Tezuka em Turma da Mônica Jovem #43.[16]

Referências

  1. «Site de Tetsuwan-Atomu» (em japonês). Tezuka Production. Consultado em 28 de abril de 2012 
  2. Davidson, Paul (11 de dezembro de 2001). «Tetsuwan Atom: An Anime Legend» (em inglês). IGN. Consultado em 28 de abril de 2012 
  3. a b Carlos Costa (7 de fevereiro de 2007). «Astroboy, de Osamu Tezuka, pela Panini». HQManiacs 
  4. a b "Jason Thompson's House of 1000 Manga - Pluto". Anime News Network
  5. «Hollywood quer adaptar o mangá Pluto aos cinemas» 
  6. Oscar Edgardo Vázquez Lucio (1987). Historia del humor gráfico y escrito en la Argentina: 1940-1985. [S.l.]: Editorial Universitaria de Buenos Aires, 1987. pp. 445 e 446. 9789502303468 
  7. Schodt, Frederick, The Astro Boy Essays: Osamu Tezuka, Mighty Atom, and the Manga/Anime Revolution Páginas 88, 89, 91 e 96 Stone Bridge Press, 2007 ISBN 978-1-933330-54-9
  8. Maggie Thompson, Brent Frankenhoff e Peter Bickford. 2010 Comic Book Checklist & Price Guide. [S.l.]: Krause Publications, 2009. 415 p. ISBN 9781440203862
  9. «IDW produzirá HQs baseadas no filme Astro Boy  :: HQ MANIACS ::». hqmaniacs.uol.com.br 
  10. «Astro Boy em novo desenho animado» 
  11. «New Astro Boy/Mighty Atom Animation to Air in Nigeria». Anime News Network. 11 de janeiro de 2014 
  12. «Teaser de Astro Boy Reboot  :: HQ MANIACS ::». hqmaniacs.uol.com.br 
  13. Alexandre Nagado (18 de Maio de 2004). «Lembra desse? O menino biônico». Omelete 
  14. Érico Borgo (20 de Novembro de 2003). «Cartoon Network & Boomerang - Novidades para 2004». Omelete 
  15. «TV Globinho" exibe sábado "Astro Boy", "Beyblade" e "Dragon Ball GT"». UOL. 6 de abril de 2006 
  16. «Astro Boy e Turma da Mônica Jovem se unem em defesa da Amazônia». 24 de janeiro de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Astro Boy