Ataíde Oliveira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o historiador português. Se procura o político brasileiro, veja Ataídes Oliveira.
Ataíde Oliveira
Nascimento Francisco Xavier d'Athaide Oliveira
02 de outubro de 1842
Algoz
Morte novembro de 1915 (73 anos)
Loulé
Nacionalidade Portugal Portugal
Alma mater Universidade de Coimbra
Ocupação Arqueólogo e escritor

Francisco Xavier de Ataíde Oliveira, mais conhecido por Ataíde Oliveira (Algoz, 2 de outubro de 1842[1]Loulé, Novembro de 1915), foi um arqueólogo e escritor português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascimento e educação[editar | editar código-fonte]

Francisco Xavier Ataíde Oliveira nasceu em 2 de outubro de 1842, na localidade de Algoz.[2] Licenciou-se em teologia e direito,[2] na Universidade de Coimbra.[3]

Carreira profissional e artística[editar | editar código-fonte]

Viveu grande parte da vida em Loulé, tendo aqui fundado o jornal O Algarvio, que também dirigiu.[2] Também se encontra colaboração da sua autoria na II série da revista Alma nova [4] (1915-1918).

Ataíde Oliveira iniciou a sua carreira literária após o regresso de Coimbra.[3]

Escreveu um grande número de obras, com o nome de Ataíde de Oliveira, tendo deixado importantes estudos da arqueologia, população e folclore no Algarve.[2] Escreveu sobretudo sobre a história e cultura da região, tendo publicado um grande número de monografias sobre várias povoações do Algarve.[3] Como arqueólogo, colaborou com Estácio da Veiga, um importante investigador da história do Algarve.[3] Pouco tempo antes de falecer, tinha sido nomeado como membro da comissão instaladora do Instituto Arqueológico do Algarve.[3]

Na altura do seu falecimento, exercia como conservador do registo predial na comarca de Loulé.[3]

Morte[editar | editar código-fonte]

Ataíde Oliveira faleceu em Novembro de 1915, na sua habitação em Loulé.[3] Ao seu cortejo funerário assistiu a quase totalidade da população daquela vila, uma vez que o historiador era muito estimado pelos habitantes.[3]

Placa toponímica da Rua Francisco Xavier Ataíde de Oliveira, na cidade de Lagos.

Homenagens[editar | editar código-fonte]

Em 10 de Agosto de 1930, foi inaugurado um busto de Ataíde Oliveira em Loulé, por iniciativa de Mário Lyster Franco.[2]

Também foi homenageado pela Câmara Municipal de Lagos, que colocou, em 21 de Março de 2001, o seu nome numa rua da antiga Freguesia de São Sebastião.[2][5]

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

  • Contos Infantis
  • As mouras encantadas e os encantamentos no Algarve, com algumas notas elucidativas
  • Contos Tradicionais do Algarve
  • Romanceiro e cancioneiro do Algarve (Lição de Loulé)
  • Biografia de D. Francisco Gomes
  • Monografia do Algoz
  • Monografia do Concelho de Loulé
  • Monografia do Concelho de Olhão da Restauração
  • A monografia de Alvôr
  • Monografia do concelho de Vila Real de Santo António
  • Monografia de São Bartolomeu de Messines
  • Monografia de Paderne
  • Monografia de Estombar
  • Monografia de Porches: Concelho de Lagoa
  • Monografia de Estoi
  • Memórias para a História Eclesiástica do Bispado do Algarve
  • Apontamentos da Ordem Terceira de S. Francisco
  • Monografia da Luz de Tavira
  • Biografia de D. Francisco Gomes do Avelar, arcebispo-bispo do Algarve
  • O Algarve encantado na obra de Carlos Porfírio
  • Monografias do Algarve

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «PT-ADFAR-PRQ-SLV02-001-00009_m0175.jpg - Baptismos - Arquivo Distrital de Faro - DigitArq». digitarq.adfar.arquivos.pt. Consultado em 14 de setembro de 2020 
  2. a b c d e f FERRO, 2007:328
  3. a b c d e f g h «Necrologia». Hemeroteca Municipal de Lisboa. O Algarve. Ano 8 (401). Faro. 28 de Novembro de 1915. p. 3. Consultado em 3 de Abril de 2019 
  4. Rita Correia (19 de julho de 2011). «Ficha histórica:Alma nova: revista ilustrada (II Série) (1915-1918)» (PDF). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 13 de março de 2015 
  5. «Freguesia de São Sebastião» (PDF). Câmara Municipal de Lagos. Consultado em 3 de Abril de 2019. Arquivado do original (PDF) em 23 de Setembro de 2015 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • FERRO, Silvestre Marchão (2007). Vultos na Toponímia de Lagos 2.ª ed. Lagos: Câmara Municipal de Lagos. 467 páginas. ISBN 972-8773-00-5 


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.