Atentado terrorista em Cabul de 17 de agosto de 2019

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Bombardeio em Cabul de 17 de agosto de 2019
Cabul está localizado em: Afeganistão
Cabul

Localização de Cabul no Afeganistão
Local Cabul, Afeganistão
Data 17 de agosto de 2019
22h40, horário local (18h10 UTC)
Tipo de ataque Ataque suicida
Alvo(s) Civilização hazara xiita
Arma(s) Bombas
Mortes 80
Feridos 160+
Responsável(is) Estado Islâmico de Coraçone
Motivo Guerra do Afeganistão (2001–presente)

O atentado suicida em Cabul, Afeganistão, em 17 de agosto de 2019, foi um ataque que teve como alvo a civilização hazara xiita de um salão de festas no oeste de Cabul. Pelo menos 80 pessoas foram mortas no ataque e mais de 160 ficaram feridas.[1] O Estado Islâmico de Coraçone reivindicou a responsabilidade do atentado.[2] O ataque também faz parte da guerra que está ocorrendo no país desde 2001.

Ataque[editar | editar código-fonte]

O atentado suicida aconteceu por volta das 22h40, horário local, no oeste de Cabul, em uma área densamente povoada pela minoria hazara xiita, dentro do salão de festas da "Cidade de Dubai".[3][4] O suicida detonou os explosivos na seção masculina do salão do festas,[5] numa época em que centenas de pessoas estavam dentro do prédio para uma cerimônia de casamento.[6] Outras testemunhas relataram que a bomba foi detonada perto da área do palco, onde as crianças estavam brincando antes da explosão.[6]

Inicialmente, 63 pessoas morreram, entretanto, o número subiu para 80 após 17 pessoas morrerem devido a ferimentos do ataque.[1] Mais de outras 160 pessoas ficaram feridas.[1] Acredita-se que mais de 1 mil pessoas estavam no casamento.[1] Enquanto a noiva e o noivo sobreviveram, ambos perderam vários membros da família, e várias outras famílias perderam muitas crianças devido ao atentado.[7]

Responsabilidade[editar | editar código-fonte]

O Talibã negou a responsabilidade pelo ataque, com um porta-voz afirmando que o grupo "condena o bombardeio" nos termos mais fortes.[7][8] No dia seguinte ao ataque, o Estado Islâmico do Iraque e do Levante reivindicou a responsabilidade pelo ataque, nomeando o homem-bomba como Abu Asim Al-Pakistani e alegando que ele visava uma reunião de "não-crentes".[2]

Reações[editar | editar código-fonte]

Interna[editar | editar código-fonte]

O presidente afegão, Ashraf Ghani, condenou o ataque "desumano" e "bárbaro" e expressou suas condolências às vítimas e às famílias das vítimas mortas.[9] Ele também afirmou que o Talibã também não pode escapar totalmente da culpa pelo ataque, dizendo que "o Talibã não pode se absolver da culpa por fornecer uma plataforma para os terroristas".[10][11]

O Talibã negou a responsabilidade pelo ataque e condenou-o. O porta-voz do grupo, Zabiullah Mujahid, disse em um comunicado que o grupo "condena fortemente a explosão de civis em um hotel na cidade de Cabul", acrescentando que "tais ataques bárbaros deliberadamente contra civis e mulheres são proibidos e injustificáveis".[8]

Internacional[editar | editar código-fonte]

  •  United Nations — A Missão de Assistência das Nações Unidas no Afeganistão (UNAMA) divulgou um comunicado condenando o ataque, afirmando que "A Missão de Assistência das Nações Unidas no Afeganistão (UNAMA) condena o ataque em Cabul na noite passada, que os relatórios iniciais indicam que morreram muitos civis e feriram muitos mais, entre eles mulheres e crianças".[12]
  •  Estados Unidos — Os Estados Unidos condenaram o ataque em um tweet postado pelo embaixador dos Estados Unidos no Afeganistão, John R. Bass, dizendo que "o bombardeio do salão de casamentos em Cabul foi um ato de extrema depravação. Nossas sinceras condolências às vítimas e suas famílias. Ninguém deve ser sujeito a tal ataque, muito menos crianças inocentes".[13]
  • Arábia Saudita — O Ministério de Relações Exteriores da Arábia Saudita divulgou um comunicado no Twitter, dizendo que eles "condenam e denunciam o atentado suicida em um casamento na capital afegã de Cabul" e "renovam a firme posição do reino saudita contra alvejar e aterrorizar pessoas inocentes".[14]

Referências

  1. a b c d «Afghan wedding suicide blast kills 63, amid hopes for talks». Reuters (em inglês). 17 de agosto de 2019. Consultado em 18 de agosto de 2019 
  2. a b «ISIS releases identity of Kabul wedding hall bomber as Abu Asim Al-Pakistani». Khaama Press (em inglês). 18 de agosto de 2019. Consultado em 18 de agosto de 2019 
  3. «Deadly blast rips through wedding in Afghanistan, killing 63 people». CNN (em inglês). 17 de agosto de 2019. Consultado em 18 de agosto de 2019 
  4. «Kabul blast in "Dubai City" wedding hall: 63 killed, 182 wounded». Gulf News (em inglês). 17 de agosto de 2019. Consultado em 18 de agosto de 2019 
  5. «Fears of many deaths after bomb explodes at Kabul wedding». Radio New Zealand (em inglês). 17 de agosto de 2019. Consultado em 18 de agosto de 2019 
  6. a b «POSSIBLY HUNDREDS CAUGHT IN BLAST INSIDE WEDDING HALL IN KABUL». Newsweek (em inglês). 17 de agosto de 2019. Consultado em 18 de agosto de 2019 
  7. a b Constable, Pamela; Hassan, Sharif (18 de agosto de 2019). «Islamic State claims suicide attack on Kabul wedding that killed 63» (em inglês). The Washington Post. Consultado em 18 de agosto de 2019 
  8. a b «Taliban reacts to deadly Kabul wedding hall bombing which killed at least 63». Khaama Press (em inglês). 18 de agosto de 2019. Consultado em 18 de agosto de 2019 
  9. «Ashraf Ghani condemns 'inhumane' Kabul wedding hall blast». Catch News (em inglês). 18 de agosto de 2019. Consultado em 18 de agosto de 2019 
  10. «Afghan president says Taliban can't escape blame for deadly bombing». Reuters (em inglês). 18 de agosto de 2019. Consultado em 18 de agosto de 2019 
  11. ashrafghani (17 de agosto de 2019). «Taliban cannot absolve themselves of blame, for they provide platform for terrorists. Today is the day of mourning, hence #StateBuilder have cancelled today's gathering at the Loya Jirga tent.» (Tweet) (em inglês). Consultado em 18 de agosto de 2019 – via Twitter 
  12. «UN CONDEMNS ATTACK DELIBERATELY TARGETING CIVILIANS AT KABUL WEDDING». unama.unmissions.org (em inglês). Organização das Nações Unidas. Consultado em 18 de agosto de 2019 
  13. USAmbKabul (18 de agosto de 2019). «Yesterday's wedding hall bombing in #Kabul was an act of extreme depravity. Our heartfelt condolences to the victims and their families. No one should be subject to such an attack, least of all innocent children.» (Tweet) (em inglês). Consultado em 18 de agosto de 2019 – via Twitter 
  14. KSAmofaEN (18 de agosto de 2019). «#Statement: We condemn and denounce the suicide bombing at a wedding in the Afghan capital of #Kabul» (Tweet) (em inglês). Consultado em 18 de agosto de 2019 – via Twitter