Ativo (relação sexual)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

O termo ativo, uma expressão que, na gíria sexual, se refere à posição da pessoa que penetra vaginal, anal ou oralmente outra pessoa, sendo essa última denominada de passiva. A pessoa que escolhe uma ou outra posição sexual é chamada de versátil.[1]

Qualquer pessoa pode tomar este papel, independentemente do seu sexo ou gênero, da sua expressão de gênero ou orientação sexual, inclusive afeminados, homens bissexuais, transmasculinos, travestis, intersexos, lésbicas femmes, mulheres heterossexuais, pessoas não binárias e assexuais também podem ser ativos(as), não sendo exclusivo de homens gays, monossexuais, alossexuais, endossexos, cisgêneros, butches ou HsHs masculinos.[2][3][4]

Ativos também podem preferir por participar em sexo não penetrativo.[5] Esses, porém, também podem ser chamados de gouines, estrangeirismo do francês para sapatonas, sendo goinage o termo lusófono para quem prefere práticas sexuais não penetrativas.[6]

O termo no caso do sexo heterossexual, em que a mulher é ativa e penetra o homem, sendo esse o passivo, que é tipicamente feito por um brinquedo sexual, como o cintaralho,[7] é conhecido como pegging.[8]

Na prática BDSM, o termo ativo se aplica às pessoas que exercem o papel dominante. Porém, há também o service top, que seria um ativo submisso.[9]

Em inglês o termo "Top" é usado em referência ao ativo, e "Bottom" para passivo, enquanto que no linguajar da sexologia ou jargão da psicologia, a terminologia "sertivo" ou "insertivo" e "receptivo" também possa ser por vezes usada para ativo e passivo respectivamente, uma vez que são termos derivados dos verbos inserir e receber aludindo aos papéis sexuais.[10][1]

Âmbito legal no mundo[editar | editar código-fonte]

Enquanto por vezes o comportamento sexual entre homens do homem passivo é condenado pelos códigos penais de determinados países, o mesmo não acontece com o homem ativo. Situação semelhante acontece em alguns países africanos, mas já não relativo aos papéis sexuais, onde o comportamento sexual entre mulheres não é criminalizado mas o entre homens é, ou as primeiras são menos penalizadas que as últimas.[11][12]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Let's Talk About Sex: Tips for How to Take a Sexual History». Medscape (em inglês). Consultado em 19 de maio de 2021 
  2. «Angélica Morango - Você é ativa, passiva ou total flex?». blogdamorango.blogosfera.uol.com.br. Consultado em 19 de maio de 2021 
  3. «Universa - "Dá certo o namoro entre lésbicas ativas que nunca foram passivas na vida?"». blogdamorango.blogosfera.uol.com.br. Consultado em 19 de maio de 2021 
  4. Rolim, Marcio. «BBB21: Afeminado pode ser ativo? Meme com Gilberto gera discussão na web». Consultado em 19 de maio de 2021 
  5. Box 5/7/2020, Bobby. «Say What? These Tops Don't Like Penetrative Sex». LOGO News. Consultado em 19 de maio de 2021 
  6. «What Does Top and Bottom Mean? - expert sex education from BISH». www.bishuk.com. Consultado em 19 de maio de 2021 
  7. «Cintaralho? Anitta causa na web após criticar colunista que minimizou estupro». observatoriodemusica.uol.com.br. Consultado em 19 de maio de 2021 
  8. Networks, Hornet (5 de dezembro de 2017). «Conheça o "pegging", homens héteros passivos que adoram dar para mulheres». Hornet. Consultado em 19 de maio de 2021 
  9. «What is a Service Top? - Definition from Kinkly». Kinkly.com (em inglês). Consultado em 19 de maio de 2021 
  10. Rios, Luís Felipe; Albuquerque, Amanda Pereira de; Santana, Warlley Joaquim de; Pereira, Amanda França; Oliveira Júnior, Cristiano José de (2019). «Posições sexuais, estilos corporais e risco para o HIV entre homens que fazem sexo com homens no Recife (Brasil)». Ciênc. Saúde Colet: 973–982. Consultado em 19 de maio de 2021 
  11. «Título ainda não informado (favor adicionar)». www.theguardian.com 
  12. «Título ainda não informado (favor adicionar)». www.hrw.org