Atlético Cliper Clube

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde setembro de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Cliper
Atlético-CLiper-CLube.gif
Nome Atlético Cliper Clube
Alcunhas Águia Dourada
Águia do Parque 10
Torcedor/Adepto "Sou" Cliper
Mascote Águia
Fundação 1 de junho de 1952 (67 anos)
Estádio Estádio Carlos Zamith
Capacidade 5 000 Pessoas [1]
Localização Bandeira de Manaus.svgManaus - AmazonasAM,Brasil Brasil
Presidente Brasil Izaque Soares
Treinador Brasil Neneca
Material (d)esportivo Brasil SJ Sports
Competição Amazonas Campeonato Amazonense - 2ª Divisão
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

O Atlético Cliper Clube é um clube esportivo da cidade de Manaus, no Estado do Amazonas. Considerado de Segunda Classe em comparação com os outros clubes da capital, marcou presença em muitas edições da Série A do Barezão, sendo duas vezes vice-campeão, antes da volta da Série B.

História[editar | editar código-fonte]

O Cliper foi fundado no dia 1° de junho do ano de 1952, na esquina das ruas Santa Izabel e Visconde de Porto Alegre, no bairro Praça 14 de Janeiro. Primeiramente foi sugerido que seu nome seria Eclipse (talvez por isso a combinação do preto com amarelo, como um sol sombreado) mas, seus dirigentes decidiram inovar e adotar o nome atual.

Apesar de ter sido vice-campeão amazonense por duas vezes, nunca participou de competições nacionais.

A era amadora[editar | editar código-fonte]

O Cliper disputou varias edições do Campeonato Amazonense nessa era, porém em 1964 com a profissionalização do Campeonato o clube passou a destinar-se unicamente às categorias de base e campeonatos amadores da cidade, deixando de ingressar na recém criada liga profissional, como a maioria dos mais de 21 clubes que disputavam o Amazonense em suas divisões na época.

Na era amadora do futebol Amazonense, o Cliper não chegou a apresentar grandes performances, mas, surpreendeu ao aplicar um 7-3 sobre o clube de maior reconhecimento do estado, o Nacional, resultados deste tipo são poucos na história do Nacional, e, o Cliper foi um dos poucos a ter esse feito entre clubes do estado.

O profissionalismo[editar | editar código-fonte]

O Cliper, até então uma equipe com grande tradição nas categorias de base e em campeonatos amadores, sempre conseguindo boas campanhas, resolveu debutar em âmbito profissional em 1996, sendo vice-campeão estadual daquele ano com o apoio de empresários de Manaus, perdendo o título para o Nacional. Além disso o clube ainda teve o artilheiro do campeonato, Alcimar, com 11 gols.

Em 2002 o Cliper voltou a ser competitivo e disputou o título, mas o Nacional mostrava-se difícil de ser batido na competição e levou o campeonato. O Cliper naquele ano ganhou seu único título profissional: a Taça Amazonas, em convênio com o frutífero município de Itacoatiara.

Péssimas campanhas[editar | editar código-fonte]

Em 2003 o Cliper chegou a disputar o título da Taça Amazonas, mas não foi bem no segundo turno. A partir daquele ano a Águia Dourada Amazonense só deu vexame, em 2004 fez apenas dois pontos frutos de 2(dois) empates em 18 jogos.

Em 2005 o Cliper apresentou melhoras, mas não foi competitivo. Em 2006 voltou a figurar na ultima colocação do estadual, sendo essa sua despedida da primeira divisão. Em 2009 o clube voltou a disputar o amazonense, dessa vez pela segunda divisão e fez uma péssima campanha, mesmo na divisão secundaria, fazendo apenas 1(um) ponto em 8 jogos, ficando em último lugar.

Em 2011 o clube cogitou disputar a Série B, mas não conseguiu apoio para participar e acabou desistindo e em 2013 desistiu da competição na véspera de seu inicio.

Em 2017 o clube novamente cogitou voltar aos gramados para a disputa da fase preliminar do campeonato amazonense 2017 que daria ao campeão e vice o acesso a série A daquele ano, só que em cima da hora Cliper e Sul América desistiram de disputar a competição.

Tentativa de volta por cima: 2017.2[editar | editar código-fonte]

Com a confirmação da FAF de que a Segunda Divisão do Campeonato Amazonense referente ao ano de 2017 aconteceria de fato entre os meses de Novembro e Dezembro daquele mesmo ano, o Cliper decidiu retornar aos gramados, visto que suas temporadas nas categorias de base foram satisfatórias. Como primeiro movimento de preparação, o Presidente do Clube, Izaque Soares, anunciou o Treinador Neneca, que vinha de um trabalho no Amapá, e confirmou que, faltando cerca de dois meses para a competição, o plantel já estava quase todo formado, com muitos jogadores da base do clube. [2]

Símbolos[editar | editar código-fonte]

Escudo[editar | editar código-fonte]

O escudo do clube é hexagonal totalmente incomum, sendo dividido diagonalmente entre as cores amarela e preta. No centro, as letras "A" e dois "C"s se entrelaçam com um par de asas.

Cores e Uniforme[editar | editar código-fonte]

As cores oficiais do clube são o Amarelo e o Preto. O uniforme principal é historicamente listrado horizontalmente entre as duas cores, com calções amarelos. Já o secundário, de maior uso, é completamente preto, com pequenos detalhes em amarelo e calção amarelo.

Hino[editar | editar código-fonte]

Autor: Daniel Sales (1999)

Surge o Velo de Ouro a brilhar

Com a Águia Dourada a voar

Sobre a estrada do vulto Futebol

Centenário de valor/ Combinado à paixão.

Cliper Clube

Tu és a esperança

Também é juventude

Clube do coração

Defesa que se agiganta

Quando o inimigo se levanta

Meio-campo estrategista

E o ataque que conquista

Nos cordéis adversários

Sua marca a deixar

Mostra meu time querido

Tua vocação para ganhar (BIS)

E fazer

Uma Nova Era

A emoção dessa galera

A alegria a extasiar

Preto e Amarelo são as cores dessa raça

Dessa Águia que congraça

A Magia nesse dia

Voa pelos campos do Amazonas

Cliper Clube para a vitória Alcançar (BIS)

Retrospecto[editar | editar código-fonte]

O Cliper profissionalizou-se em 1996. Escalação de 94 1 Sousa 2 Edson 3 Carlos 4 Diego 6 Macelo 7 Leandro 8 godo 9 Eder Romero 10 Mariano souza 11 Tite

Amazonas Campeonato Amazonense
Ano 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005
Pos. 10º
Ano 2006
Pos. 10º


Amazonas Campeonato Amazonense - Segunda Divisão
Ano 2009 2010 2014 2017
Pos. -

Títulos[editar | editar código-fonte]

Estaduais[editar | editar código-fonte]

Fundadores[editar | editar código-fonte]

  • Rosendo Araújo Queiróz
  • Aristóteles França Lima
  • Fernando Dias
  • Jesiel Francisco Alves
  • Manoel Lima da Costa
  • Rosemberg de Araújo Queiróz
  • Torquato Rodrigues Vieira
  • Nilo Furtado
  • Ivalmir Ximenes Monteiro

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «CNEF da CBF» (PDF). Site Oficial da CBF. Consultado em 9 de março de 2012 
  2. «Após recusar proposta do Holanda-AM, Neneca fecha com Cliper para Série B». Globoesporte