Atos 17

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Atos 17
Codex laudianus.jpg
Trecho de Atos dos Apóstolos no Codex Laudianus
Livro Atos dos Apóstolos
Categoria Histórico
Parte da Bíblia Novo Testamento
Precedido por: Atos 16
Sucedido por: Atos 18
Capítulos de Atos dos Apóstolos

Cap.01 · Cap.02 · Cap.03 · Cap.04 · Cap.05
Cap.06 · Cap.07 · Cap.08 · Cap.09 · Cap.10
Cap.11 · Cap.12 · Cap.13 · Cap.14 · Cap.15
Cap.16 · Cap.17 · Cap.18 · Cap.19 · Cap.20
Cap.21 · Cap.22 · Cap.23 · Cap.24 · Cap.25
Cap.26 · Cap.27 · Cap.28

Atos 17 é o décimo-sétimo capítulo dos Atos dos Apóstolos no Novo Testamento da Bíblia. Paulo, Silas e Timóteo continuam a viagem missionária iniciada em Atos 15 viajando pela Grécia e passando por Tessalônica e Atenas[1][2].

Manuscritos[editar | editar código-fonte]

Atos 17 foi originalmente escrito em grego koiné e dividido em 34 versículos. Alguns dos manuscritos a conter o texto são:

Estrutura[editar | editar código-fonte]

Tessalônica e Bereia[editar | editar código-fonte]

Saindo de Filipos, os missionários passaram por Anfípolis e Apolônia até chegarem em Tessalônica, onde converteram um grande número de gregos. Porém, «os judeus, movidos de inveja» (Atos 17:5), revoltaram a cidade e conseguiram que Jasão, um fiel cristão, fosse preso em sua própria casa. Depois de pagar fiança, ele foi solto, mas Paulo e Silas seguiram na mesma noite para Bereia, onde novamente conseguiram converter muitos, atraindo a atenção dos judeus de Tessalônica, que seguiram para lá para incitar a população. Paulo foi obrigado a se separar deles e, por mar, foi levado a Atenas enquanto Silas e Timóteo ficaram para trás, mas, assim que os dois souberam do destino do companheiro, partiram atrás dele (Atos 17:1-15).

Atenas e o discurso no Areópago[editar | editar código-fonte]

Paulo pregando no Areópago de Atenas, um dos episódios de Atos 17.
1515. Por Rafael, atualmente no Victoria and Albert Museum, em Londres.

Em Atenas, Paulo se revoltou com a idolatria que encontrou. Ele pregava não apenas aos judeus, mas discutia também com filósofos epicuristas e estoicos (Atos 17:18). Curiosos, levaram-no para o Areópago, onde Paulo proferiu um de seus mais famosos sermões, preservado em Atos 17:22-34.

Discurso no Areópago[editar | editar código-fonte]

Depois de cumprimentar os atenienses, Paulo afirma ter encontrado um altar ao "deus desconhecido" e afirma que este, que adoravam sem saber, «é o que eu vos anuncio. O Deus que fez o mundo e tudo o que nele há» (Atos 17:23-24). Afirma ainda que o verdadeiro Deus não habita em santuários e nem precisa de nada das mãos humanas, como sacrifícios ou estátuas, pois todos os homens foram criados por Ele. Assim:

«Sendo, pois, geração de Deus, não devemos pensar que a divindade é semelhante ao ouro ou à prata ou à pedra, lavrada por arte e gênio do homem. Dissimulando, pois, os tempos da ignorância, Deus manda agora que todos os homens em todo o lugar se arrependam, porquanto tem fixado um dia em que há de julgar o mundo com justiça pelo varão que para isto destinou, do que tem dado certeza a todos, ressuscitando-o dentre os mortos.» (Atos 17:29-30)

Alguns zombaram, mas muitos foram convertidos; o autor dos Atos cita entre eles Dionísio, o Areopagita, e Damaris.

Ver também[editar | editar código-fonte]


Precedido por:
Atos 16
Capítulos da Bíblia
Atos dos Apóstolos
Sucedido por:
Atos 18

Referências

  1. Halley, Henry H. Halley's Bible Handbook: an abbreviated Bible commentary. 23rd edition. Zondervan Publishing House. 1962.
  2. Holman Illustrated Bible Handbook. Holman Bible Publishers, Nashville, Tennessee. 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]