Atos 24

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Atos 24
Codex laudianus.jpg
Trecho de Atos dos Apóstolos no Codex Laudianus
Livro Atos dos Apóstolos
Categoria Histórico
Parte da Bíblia Novo Testamento
Precedido por: Atos 23
Sucedido por: Atos 25

Atos 24 é o vigésimo-quarto capítulo dos Atos dos Apóstolos no Novo Testamento da Bíblia. Ele relata o longo período no qual Paulo esteve preso em Cesareia antes de ser levado para Roma[1][2].

Manuscritos[editar | editar código-fonte]

Atos 24 foi originalmente escrito em grego koiné e dividido em 27 versículos. Alguns dos manuscritos a conter o texto são:

Julgamento de Paulo em Cesareia[editar | editar código-fonte]

Paulo perante Félix, o tema central de Atos 24.
1752. Gravura de Wm. Hogarth.

Paulo acusado de sedição[editar | editar código-fonte]

O sumo sacerdote Ananias e Tértulo, um orador, foram responsáveis pela acusação de Paulo perante o governador Félix:

«Pois temos achado que este é um homem pestífero e que em todo o mundo promove sedições entre os judeus e é chefe da seita dos nazarenos; o qual também tentou profanar o Templo e nós o prendemos.» (Atos 24:5-6)

Versículos 6 e 7[editar | editar código-fonte]

Várias versões da Bíblia omitem o final do versículo 6 e todo o versículo 7 ("e conforme a nossa lei o quisemos julgar. Mas sobrevindo o comandante Lísias no-lo tirou dentre as mãos com grande violência, mandando aos acusadores que viessem a ti"[3]) pois o trecho só existe em alguns manuscritos antigos[4]. Outras omitem parte do trecho e trazem o resto entre chaves, como na Tradução Brasileira da Bíblia (disponível em Atos 24:7).

Defesa de Paulo[editar | editar código-fonte]

Paulo se defendeu reafirmando servir «ao Deus de nossos pais, crendo todas as coisas que são conformes à Lei e estão escritas nos profetas» (Atos 24:14) e que, além de acreditar na ressurreição dos mortos segundo o que ele chama de "Caminho" (o cristianismo), de nada mais era culpado. Segundo ele, "alguns judeus vindos da Ásia" o acusaram, mas não estavam ali para apresentarem sua queixa, e os seus acusadores nada tinham contra ele exceto uma «única frase que proferi em alta voz, estando no meio deles: por causa da ressurreição dos mortos é que eu estou sendo julgado por vós» (Atos 24:21).

Félix conhecia o "Caminho" e pediu que o tribuno Lísias se apresentasse no tribunal, o que ele fez dias depois acompanhado de sua mulher Drusila, uma judia. Todos então ouviram Paulo discursar novamente «acerca da fé em Jesus Cristo. ...sobre a justiça, a temperança e o juízo vindouro» (Atos 24:24-25), o que deixou Félix atemorizado. O governador, esperando ser recompensado financeiramente, deixou Paulo preso por mais de dois anos até ser sucedido por Pórcio Festo (Atos 24:22-27).

Ver também[editar | editar código-fonte]


Precedido por:
Atos 23
Capítulos da Bíblia
Atos dos Apóstolos
Sucedido por:
Atos 25

Referências

  1. Halley, Henry H. Halley's Bible Handbook: an abbreviated Bible commentary. 23rd edition. Zondervan Publishing House. 1962.
  2. Holman Illustrated Bible Handbook. Holman Bible Publishers, Nashville, Tennessee. 2012.
  3. Vide «Atos 24:7». Bíbliaportugues.com 
  4. «Missing verses» (em inglês) 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]