Aulo Gabínio Segundo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o cônsul sufecto em 35. Para o cônsul sufecto em 43 e seu filho, veja Aulo Gabínio Segundo (cônsul em 43).
Aulo Gabínio Segundo
Cônsul do Império Romano
Consulado 35 d.C.

Aulo Gabínio Segundo (em latim: Aulus Gabinius Secundus) ou Públio Gabínio Segundo (em latim: Publius Gabinius Secundus)[1][2] foi um político romano nomeado cônsul sufecto 35 com Décimo Valério Asiático.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Depois de seu consulado, em 35, Gabínio foi nomeado por Calígula legado imperial da Germânia Inferior. No começo do reinado de Cláudio, Segundo liderou, em 41, uma campanha vitoriosa contra a tribo germânica contra os caúcos, que habitavam a costa do mar do Norte entre a foz do Elba e a do Ems, como punição por vários raides conduzidos por eles e por sua aliança com os frísios, inimigos de Roma. Os caúcos também haviam lutado ao lado dos queruscos na Batalha da Floresta de Teutoburgo sob a liderança de Armínio em 9.

Os romanos não haviam esquecido a derrota e a campanha de Gabínio conseguiu recuperar o último dos três estandartes legionários perdidos na batalha. Por esta campanha e pela vitória de Sérvio Sulpício Galba contra os catos, Cláudio foi aclamado imperator pelas tropas[3]. Gabínio, por sua vez, recebeu a honra de utilizar o agnome "Cáucio" (em latim: Chaucius)[4].

Contudo, a campanha de Gabínio não foi suficiente para submeter completamente os caúcos. Já em 47, eles voltaram a atacar o território romano e, com suas embarcações leves, passaram a saquear a costa gaulesa.

Família[editar | editar código-fonte]

Aulo Gabínio Segundo, cônsul sufecto em 43, era possivelmente seu filho[2][5].

Ver também[editar | editar código-fonte]

Cônsul do Império Romano
Vexilloid of the Roman Empire.svg
Precedido por:
'Paulo Fábio Pérsico

com Lúcio Vitélio I
com Quinto Márcio Bareia Sorano (suf.)
com Tito Rúscio Númio Galo (suf.)

Caio Céstio Galo I
35

com Marco Servílio Noniano
com Décimo Valério Asiático (suf.)
com Aulo Gabínio Segundo (suf.)

Sucedido por:
'Sexto Papínio Alênio

com Quinto Pláucio
com Caio Vétio Rufo (suf.)
com Marco Pórcio Catão (suf.)


Referências

  1. G. Camodeca, versão de Werner Eck: Die Statthalter der germanischen Provinzen vom 1.–3. Jahrhundert. In: Athenaeum 65, 1987, p. 586–587
  2. a b Prosopographia Imperii Romani 7, 2, p. 114
  3. Dião Cássio, História Romana 60, 8, 7
  4. Suetônio, Vidas dos Doze Césares, Vida de Cláudio 24, 3
  5. (em alemão) Werner Eck: Gabinius [II 4]. In: Der Neue Pauly (DNP). Volume 4, Metzler, Stuttgart 1998, ISBN 3-476-01474-6, Pg. 728.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]