Este é um artigo bom. Clique aqui para mais informações.

Austrália 31–0 Samoa Americana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Austrália x Samoa Americana
Evento Eliminatórias da Oceania para a Copa do Mundo de 2002
Data 11 de abril de 2001
Local International Sports Stadium, Coffs Harbour, Austrália
Árbitro Ronan Leaustic (Taiti)
Público 3.000

As seleções nacionais de futebol da Austrália e da Samoa Americana se enfrentaram no dia 11 de abril de 2001, em uma partida válida pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2002.[1] O jogo foi disputado no International Sports Stadium, localizado na cidade de Coffs Harbour, Austrália. Este confronto tornou-se histórico devido aos recordes mundiais estabelecidos, sendo que o que alcançou maior reconhecimento foi o de maior vitória em uma partida internacional de futebol, devido ao placar de 31–0 favorável à Austrália.[2] Além deste, o atacante Archie Thompson quebrou o recorde de maior número de gols marcados por um jogador em uma partida internacional, com 13.[3] Já o outro atacante, David Zdrilic, com oito gols marcados, tornou-se o segundo jogador com o maior número de gols em uma partida desde a Primeira Guerra Mundial.[3]

O resultado da partida levou a debates sobre o formato dos torneios de eliminatórias. O então treinador da Seleção Australiana, Frank Farina, afirmou em entrevistas que rodadas preliminares deviam ser introduzidas para evitarem partidas tão desequilibradas como esta, sendo que sua visão foi compartilhada e adaptada pela Federação Internacional de Futebol (FIFA), órgão governamental do esporte.[3] Esta opinião levou futuramente à introdução de uma fase preliminar na fase eliminatória da Oceania para a Copa do Mundo de 2006.[4] Devido a tal desequilíbrio entre o futebol apresentado pela Austrália e pelas outras seleções, neste mesmo ano ela acabou optando por se filiar à Confederação Asiática de Futebol e começou a disputar as eliminatórias com as equipes da Ásia.[5]

Cenário[editar | editar código-fonte]

A primeira tentativa da Oceania de classificar as suas seleções para a Copa do Mundo FIFA aconteceu no ano de 1966, quando a Austrália acabou sendo derrotada pela Coreia do Norte por 9-2 no placar agregado.[6] Nas eliminatórias subsequentes, as equipes do continente disputaram a vaga juntamente com as da Ásia, até que uma fase de classificação para a Confederação de Futebol da Oceania foi introduzida em 1986.[7] Já nas eliminatórias da Oceania para a Copa do Mundo de 2002, dez equipes participaram do torneio de eliminatórias.[8] Elas foram divididas em duas chaves com cinco seleções cada, sendo que todas se enfrentavam, e os dois líderes de cada grupo disputavam uma final no formato de ida e volta. O vencedor das eliminatórias da Oceania então avançou para um mata-mata na fase internacional contra o quinto melhor colocado da América do Sul para então finalmente entrar na fase de grupos da Copa do Mundo.[8] As seleções da Austrália e da Samoa Americana estavam localizadas no Grupo 1, juntamente com o Fiji, a Samoa e o Tonga. Todas as partidas foram disputadas na cidade de Coffs Harbour, na Austrália, em abril de 2001.[8]

A Austrália, juntamente com a Nova Zelândia, eram as seleções da área da Oceania mais fortes em termos técnicos e em questão de títulos. Ambas as equipes foram as únicas a vencerem a Copa das Nações da OFC e a se classificarem para a fase de grupos da Copa do Mundo; até esta data, a Austrália havia conseguido a classificação em 1974 e a Nova Zelândia em 1982.[9] Já a Samoa Americana foi durante toda sua história considerada uma das equipes mais fracas do mundo,[2] tendo perdido todas suas partidas internacionais desde que se filiou à FIFA em 1998.[10] Antes desta partida, a Austrália estava colocada na 75ª posição no Ranking Mundial da FIFA, enquanto a Samoa Americana ocupava o 203º lugar, o último entre os membros.[11] [12]

Dois dias antes da partida, a Austrália havia vencido a seleção do Tonga por 22-0, estabelecendo assim um recorde da maior vitória em uma partida internacional, que anteriormente pertencia ao Kuwait, que tinha goleado o Butão por 20-0 em 2000.[13] Antes do confronto, a Samoa Americana tinha sofrido duas derrotas em seus jogos, por 13-0 para o Fiji e por 8-0 para a Samoa.[8]

Resumo da partida[editar | editar código-fonte]

O atacante australiano Archie Thompson (foto) marcou treze gols e estabeleceu novo recorde mundial.

A Austrália entrou em campo com jogadores que raramente atuavam, sendo que os titulares foram poupados e nem foram escalados para a partida.[14] Os atacantes John Aloisi e Damian Mori, que juntos haviam feito dez gols contra a seleção do Tonga, foram os principais desfalques do confronto. Já a equipe da Samoa Americana estava preocupada com questões relacionadas ao passaporte, sendo que apenas um membro da seleção sênior - acima de 20 anos, o goleiro Nicky Salapu, estava elegível para jogar.[15] A seleção também encontrava dificuldade para chamar os jogadores da sua equipe sub-20 pois grande parte destes se encontrava em período de provas na escola ou faculdade. Eles acabaram sendo forçados a escalar jogadores juvenis, sendo que três destes possuíam 15 anos de idade, estabelecendo uma média de idade para a equipe improvisada de 18 anos.[14] De acordo com o treinador e vice-presidente da Federação da Samoa Americana de Futebol (FFAS) Tony Langkilde, a maioria dos jogadores samoanos nunca havia disputado um jogo de 90 minutos antes da partida contra a Austrália.[15]

O placar se manteve sem alterações até os dez minutos de partida, quando a Austrália marcou o primeiro gol com Con Boutsianis após uma cobrança de escanteio.[16] Archie Thompson fez o seu primeiro aos 12 minutos, e seu companheiro de ataque David Zdrilic, fez mais um no minuto seguinte. Tony Popovic anotou dois gols em sequência aos 17 e aos 19 minutos e estendeu o placar para 6-0. Aos 25 minutos, Zdrilic já havia estabelecido um hat-trick e o placar estava em 9-0 para a Austrália. Thompson, por sua vez, marcou seis dos outros sete gols da Austrália, encerrando o primeiro tempo em 16-0. Neste momento, ele já havia marcado por oito vezes e Zdrilic por quatro.[2]

Boutsianis, que havia marcado o primeiro gol da partida, também fez o primeiro do segundo tempo no 50º minuto, sendo que posteriormente anotou mais um e se tornou o terceiro futebolista a anotar um hat-trick no jogo.[2] Thompson e Zdrilic fizeram mais 5 e 4 gols na partida, encerrando com 13 e 8 gols respectivamente. Boutsianis terminou com 3 gols, enquanto Popovic, Aurelio Vidmar e Simon Colosimo marcaram dois gols cada, e o reserva Fausto De Amicis o outro. No 86º minuto, apesar de estar perdendo por uma diferença de 29 gols, a equipe da Samoa Americana conseguiu finalizar uma bola ao gol da Austrália, em uma conclusão de Pati Feagiai defendida por Michael Petkovic. Esta foi a primeira e única conclusão da Samoa Americana ao gol adversário.[3]

O alto número de gols causou uma confusão no placar correto da partida. No final do jogo, divulgava-se no placar eletrônico da partida o resultado de 32-0 e que Thompson havia marcado 14 gols.[17] Após o responsável pelas estatísticas recontar os gols, o resultado foi corrigido para 31-0 e a contagem de gols de Thompson reduzida para 13.[16] Após a partida, a FIFA divulgou os dados do confronto em seu site oficial após receber as anotações do árbitro, auxiliares e quarto árbitro, confirmando o placar de 31-0 e 13 gols de Thompson.[18]

Detalhes[editar | editar código-fonte]

11 de abril de 2001 (2001-04-11)
às 19:00 UTC+10
 Austrália 31–0  Samoa Americana International Sports Stadium, Coffs Harbour

Boutsianis Gol marcado aos 10 minutos de jogo 10' Gol marcado aos 50 minutos de jogo 50' Gol marcado aos 84 minutos de jogo 84'
Thompson Gol marcado aos 12 minutos de jogo 12' Gol marcado aos 23 minutos de jogo 23' Gol marcado aos 27 minutos de jogo 27' Gol marcado aos 29 minutos de jogo 29'
Gol marcado aos 32 minutos de jogo 32' Gol marcado aos 37 minutos de jogo 37' Gol marcado aos 42 minutos de jogo 42' Gol marcado aos 45 minutos de jogo 45'
Gol marcado aos 56 minutos de jogo 56' Gol marcado aos 60 minutos de jogo 60' Gol marcado aos 65 minutos de jogo 65' Gol marcado aos 85 minutos de jogo 85' Gol marcado aos 88 minutos de jogo 88'
Zdrilic Gol marcado aos 13 minutos de jogo 13' Gol marcado aos 21 minutos de jogo 21' Gol marcado aos 25 minutos de jogo 25' Gol marcado aos 33 minutos de jogo 33' Gol marcado aos 58 minutos de jogo 58'
Gol marcado aos 66 minutos de jogo 66' Gol marcado aos 78 minutos de jogo 78' Gol marcado aos 89 minutos de jogo 89'
A. Vidmar Gol marcado aos 14 minutos de jogo 14' Gol marcado aos 80 minutos de jogo 80'
Popovic Gol marcado aos 17 minutos de jogo 17' Gol marcado aos 19 minutos de jogo 19'
Colosimo Gol marcado aos 51 minutos de jogo 51' Gol marcado aos 81 minutos de jogo 81'
De Amicis Gol marcado aos 55 minutos de jogo 55'
Detalhes Público: 3.000
Árbitro:
Ronan Leaustic Polinésia Francesa
Árbitros assistentes:
David Sau Ilhas Salomão
Michel Angot Polinésia Francesa
4º árbitro:
Derek Rugg Nova Zelândia
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Austrália
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Samoa Americana
Austrália
Austrália
GR 1 Michael Petkovic
LD 2 Kevin Muscat (c)
ZA 3 Craig Moore
ZA 4 Tony Popovic Substituído após 45 minutos de jogo 45'
LE 5 Tony Vidmar Substituído após 45 minutos de jogo 45'
VO 7 Aurelio Vidmar
AT 11 David Zdrilic
VO 12 Steve Horvat
ME 13 Con Boutsianis
MD 14 Simon Colosimo
AT 20 Archie Thompson
Substituições
ZA 15 Fausto De Amicis Entrou em campo após 45 minutos 45'
LE 17 Scott Miller Entrou em campo após 45 minutos 45'
Treinador
Frank Farina
Samoa Americana
Samoa Americana
GR 1 Nicky Salapu
ZA 4 Lisi Leututu Substituído após 50 minutos de jogo 50'
ZA 5 Soe Falimaua
LE 7 Lavalu Fatu
LD 8 Sulifou Faaloua
ZA 9 Travis Sinapati
VO 13 Sam Mulipola
MD 15 Pati Feagiai
AT 16 Ben Falaniko Substituído após 84 minutos de jogo 84'
ME 18 Tiaoali Savea
MC 20 Young Im Min
Substituições
AT 17 Darrell Ioane Entrou em campo após 84 minutos 84'
MC 19 Richard Mariko Entrou em campo após 50 minutos 50'
Treinador
Tunoa Lui

Recordes[editar | editar código-fonte]

A vitória de 31-0 da Austrália sobre a Samoa Americana quebrou o recorde da maior goleada em uma partida internacional de futebol. O recorde anterior pertencia à própria equipe da Austrália, que dois dias antes havia vencido a Seleção Tonganesa de Futebol pelo placar de 22-0.[1] Ambas as vitórias superaram o recorde que vigorava até o mês anterior, que era a vitória do Kuwait sobre o Butão por 20-0, feita nas eliminatórias para a Copa da Ásia de 2000.[13] Além disto, essa partida também quebrou o recorde de maior vitória em uma partida de eliminatórias para a Copa do Mundo, que pertencia ao Irã, que havia feito 19-0 em Guam nas eliminatórias asiáticas para a Copa do Mundo FIFA de 2002.[1] O jogo também superou o recorde de maior vitória em uma partida amistosa, estabelecida pela Coreia do Norte sobre o mesmo Guam por 21-0.[1]

Além dos recordes mundiais de equipe, recordes individuais foram quebrados na partida. O atacante Archie Thompson, o qual tinha realizado apenas duas partidas internacionais e marcado um gol antes do confronto contra a Samoa Americana, fez treze gols na partida e estabeleceu o recorde de maior número de gols marcados em uma partida internacional.[1] Já o outro atacante, David Zdrilic marcou oito gols e acabou se tornando o segundo jogador a marcar mais gols em uma partida internacional após a Primeira Guerra Mundial, atrás apenas do próprio Thompson.[1] De fato, a segunda posição ainda pertence aos jogadores Sophus Nielsen, da Dinamarca, e Gottfried Fuchs, da Alemanha, que fizeram dez gols nos Jogos Olímpicos de 1908 e 1912, respectivamente.[12] No entanto, Zdrilic tornou-se o segundo jogador a mais marcar gols em um período que compreende aproximadamente 90 anos.

Thompson também igualou ao maior recorde de gols marcados por um único jogador em uma partida profissional, feita por John Petrie na vitória do Arbroath por 36-0 contra o Bon Accord em 1885 durante um torneio da Copa da Escócia.[19] O recorde anterior de maior número de gols marcados em uma eliminatória de Copa do Mundo pertencia a outro australiano, Gary Cole, que fez sete gols contra a Seleção de Fiji em 14 de agosto de 1981 em uma eliminatória para a Copa do Mundo FIFA de 1982;[20] e ao iraniano Karim Bagheri, que marcou sete gols contra as Ilhas Maldivas em uma eliminatória para a Copa do Mundo FIFA de 1998.[21]

O recorde foi superado em 5 de julho de 2015 pelo jogo entre Micronésia e Fiji válido pelos Jogos do Pacífico. A seleção de Fiji venceu pelo placar de 38-0[22] . O recorde foi novamente superado pela Micronésia no mesmo torneio no dia 7 de julho ao sofrer uma nova derrota, agora para a seleção de Vanuatu pelo placar de 46-0.[23]

Reações sobre a partida[editar | editar código-fonte]

O treinador australiano Frank Farina criticou o formato das eliminatórias após o jogo.

Logo após a partida, o treinador australiano Frank Farina criticou o formato de classificação para a Copa do Mundo e questionou a necessidade da realização desse tipo de partida. O atacante Archie Thompson, que ficou emocionado por estabelecer um recorde mundial, concordou com a posição de Farina.[1] O porta-voz da FIFA Keith Cooper também esteve de acordo com os comentários dos australianos e sugeriu mudanças no formato das eliminatórias, onde os times mais fracos entrariam em uma fase preliminar.[3] No entanto, o presidente da Confederação de Futebol da Oceania Basil Scarsella se opôs aos comentários anteriores e afirmou que os times pequenos teriam tanto direito de enfrentar a Austrália e a Nova Zelândia quanto estas duas de enfrentar seleções de alto nível, como o Brasil e a França.[3]

"Quebrar um recorde mundial era um sonho que se tornou realidade; esse tipo de coisa não acontece todo dia. Mas você precisa ver os times com quem jogamos e começar a se perguntar. Nós não precisamos jogar estas partidas."[3]

Esta vitória e outras goleadas que aconteceram nas eliminatórias da Oceania contribuíram para a reintrodução de uma fase preliminar para as equipes mais fracas do continente a partir da Copa do Mundo FIFA de 2006, a fim de evitar partidas com resultados tão desiguais.[4] A enorme diferença entre a Austrália e a Nova Zelândia com o restante dos times da Oceania fez com que, no final do ano de 2006, a Austrália deixasse de ser membra da Confederação de Futebol da Oceania para participar da Confederação Asiática de Futebol, com o intuito de aumentar a competitividade.[24] A partir das eliminatórias da Copa do Mundo FIFA de 2010, a Austrália disputou as fases de qualificação pelo continente asiático.[5]

Ao contrário do que se pensava, a equipe samoana não saiu desanimada após o jogo, sendo que todos eles se abraçaram e falaram para o público sobre a partida. O goleiro Salapu declarou que gostou do confronto: "Eu não me sinto envergonhado porque nós aprendemos coisas com eles. Se nós tivéssemos todos os nossos jogadores, talvez seriam apenas cinco ou seis gols, mas já que eu estava sem meus melhores defensores não pude fazer nada."[14] Tony Langkilde também defendeu o goleiro, afirmando que "o placar se manteve pequeno diante de tão magnífica apresentação". Ele complementou dizendo que "agora somos reconhecidos pela FIFA, isto ajudou muito em difundir o futebol nas ilhas".[15] O treinador de Samoa, Tunoa Lui, comentou que o futebol estava sendo ensinado no ensino elementar das escolas do país e que "em cinco anos nós seremos competitivos".[14]

Pós-jogo[editar | editar código-fonte]

A equipe da Samoa Americana encerrou a sua participação nas eliminatórias com uma derrota de 5-0 para Tonga. A seleção terminou a fase de grupos com um saldo negativo de 57 gols, sem ter marcado nenhum.[8] Já a seleção australiana venceu os dois jogos seguintes, com um 2-0 sobre Fiji e um 11-0 sobre Samoa. Sendo assim, a seleção encerrou o torneio de qualificação com um saldo positivo de 66 gols em quatro jogos, sem ter levado nenhum.[8]

Eliminatórias para a Copa do Mundo FIFA de 2002 - Oceania - Grupo 1
Equipe J V E D GP GC SG Pts

 Austrália

4 4 0 0 66 0 +66 12

Fiji

4 3 0 1 27 4 +23 9

Tonga

4 2 0 2 7 30 −23 6

Samoa

4 1 0 3 9 18 −9 3

 Samoa Americana

4 0 0 4 0 57 −57 0

Na final com o vencedor do outro grupo, a Austrália venceu a Nova Zelândia pelo placar agregado de 6-1.[8] Por se tornar o representante do continente, a Austrália avançou para a fase de mata-mata internacional contra a Seleção Uruguaia, que encerrou como a quinta melhor seleção da América do Sul, onde acabou sendo derrotada pelo placar agregado de 1-3, e acabou não se classificando para disputar a Copa do Mundo FIFA de 2002.[25]

Referências

  1. a b c d e f g Australia marca 31 e não cede nenhum em um recorde mundial Telegraph Media Group Limited (11 de abril de 2001). Visitado em 17 de fevereiro de 2015.
  2. a b c d "Aussie footballers smash world record", BBC Sport, British Broadcasting Corporation, 11 de abril de 2001. Página visitada em 5 de agosto de 2009.
  3. a b c d e f g "Australians set World Cup soccer scoring record", CBCSports.ca, Canadian Broadcasting Corporation, 11 de abril de 2001. Página visitada em 19 de fevereiro de 2015.
  4. a b Road to SA 2010 starts in Samoa FIFA.com Fédération Internationale de Football Association (21 de junho de 2007). Visitado em 5 de agosto de 2009.
  5. a b "FIFA World Cup 2010: The draw in full", Telegraph.co.uk, Telegraph Media Group Limited, 26 de novembro de 2007. Página visitada em 15 de janeiro de 2011.
  6. World Cup 1966 Qualifying RSSSF. Visitado em 17 de fevereiro de 2015.
  7. World Cup 1986 Qualifying RSSSF. Visitado em 17 de fevereiro de 2015.
  8. a b c d e f g 2002 FIFA World Cup Korea/Japan Preliminaries; Results, Oceanian Zone Fédération Internationale de Football Association. Visitado em 17 de fevereiro de 2015.
  9. Nova Zelândia Confederação de Futebol da Oceania. Visitado em 19 de fevereiro de 2015.
  10. Samoa Americana Confederação de Futebol da Oceania. Visitado em 19 de fevereiro de 2015.
  11. World's worst football team, American Samoa, wins at last BBC. Visitado em 19 de fevereiro de 2015.
  12. a b Rookwood, Dan. "Aussie Rules as Socceroos smash world record again", guardian.co.uk, Guardian News and Media Limited, 11 de abril de 2001. Página visitada em 19 de fevereiro de 2015.
  13. a b Harris, Nick. "Football: `Exposed' Tonga lose 22-0", The Independent, Independent News and Media Limited, 10 de abril de 2001. Página visitada em 19 de fevereiro de 2015.|via=HighBeam Research}}
  14. a b c d Jeffreys, Mark. "FIFA ruling which left Samoans singing the blues", Telegraph.co.uk, Telegraph Media Group Limited, 14 de abril de 2001. Página visitada em 19 de fevereiro de 2015.
  15. a b c Give us Samoa goals BBC Sport British Broadcasting Corporation (11 de abril de 2001). Visitado em 19 de fevereiro de 2015.
  16. a b Australia smash two world records ESPN.com Soccernet ESPN Internet Ventures (11 de abril de 2001). Visitado em 19 de fevereiro de 2015.
  17. "Was It 31–0 or 32–0?; Australia Wins", The New York Times, The New York Times Company, 12 de abril de 2001. Página visitada em 19 de fevereiro de 2015.
  18. Match Report: Australia – American Samoa FIFA.com Fédération Internationale de Football Association (11 de abril de 2001). Visitado em 19 de fevereiro de 2015.
  19. "On this day – September 12", Daily Mail, Associated Newspapers Ltd, 11 de setembro de 2008. Página visitada em 5 de fevereiro de 2015.
  20. Lynch, Michael. "The all-important Cole difference", TheAge.com.au, The Age Company Ltd, 12 de dezembro de 2004. Página visitada em 19 de fevereiro de 2015.
  21. "Iran fanatics keep close eye on the Valley", guardian.co.uk, Guardian News and Media Limited, 30 de dezembro de 2000. Página visitada em 5 de agosto de 2009.
  22. Time leva 38 a 0 e técnico garante que marcação individual foi boa ESPN.com (5 de julho de 2015). Visitado em 9 de julho de 2015.
  23. Após levar 30 a 0 e 38 a 0, 'pior seleção do mundo' perde de 46 a 0; atacante faz 16 gols ESPN.com (7 de julho de 2015). Visitado em 7 de julho de 2015.
  24. "Goal at last: Australia joining Asia", smh.com.au, The Sydney Morning Herald, 11 de março de 2005. Página visitada em 5 de agosto de 2009.
  25. Gatti, Juan. "World Cup Qualifier: Australian hopes sunk by Morales", Telegraph.co.uk, Telegraph Media Group Limited, 25 de novembro de 2001. Página visitada em 5 de agosto de 2009.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]