Autódromo de Deodoro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Região escolhida para construção do Autódromo de Deodoro. O local é na Floresta do Camboatá, área de preservação ambiental.

O Autódromo de Deodoro, ainda em fase de projeto, será construído no bairro de Deodoro, no Rio de Janeiro, em substituição ao Autódromo de Jacarepaguá, que em 2012 foi desativado e demolido para obras dos Jogos Olímpicos de 2016.

2012[editar | editar código-fonte]

A previsão inicial era de que a construção tivesse início e conclusão em 2012,[1] contudo, em Dezembro de 2011, o Departamento Jurídico da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA) pediu a impugnação do edital de construção do Parque Olímpico no Rio de Janeiro no terreno do Autódromo Internacional Nelson Piquet, em Jacarepaguá. Segundo a entidade, o uso da área para a construção foi condicionado à construção e entrega de um novo autódromo de padrão internacional.[2] Em Janeiro de 2012, a Justiça acatou o pedido da CBA e suspendeu o processo licitatório.[3]

Em Maio de 2012, após reunião em Brasília entre o presidente da CBA, Cleyton Pinteiro, e representantes do Governo Federal, Governo do Estado do Rio de Janeiro e Prefeitura, ficou definido que a construção do autódromo começaria em Janeiro de 2013.[4] Em Julho, no entanto, foi levantado um problema de segurança. O local escolhido (uma área militar que não era utilizada há muito tempo) poderia esconder minas, granadas e bombas. De forma que a obra só poderia ter início após a conclusão das investigações ao terreno, provando a segurança do local.[5] Em Novembro, o Ministério do Esporte e o Exército Brasileiro anunciaram o projeto de construção do autódromo.

2019[editar | editar código-fonte]

Em Maio de 2019 o presidente da República, o Governador do Rio de Janeiro e o Prefeito do Rio, anunciaram que o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 aconteceria no Rio de Janeiro no ano de 2020. O presidente da Republica assinou um termo de cooperação com o governo do estado e a prefeitura da capital para as obras do Autódromo de Deodoro, que deverá ter capacidade para receber um público de 130 mil pessoas.[6][7]

O Exército cedeu o terreno onde será erguido o autódromo.[7] A Rio Motorpark (ex-Rio Motorsports)[8] venceu a licitação, da prefeitura,[7] para negociar com a Liberty Media (detentora da F1) a construção do Autódromo no Rio de Janeiro.[9] Após vários problemas para obtenção das licenças ambientais, que não foram liberadas durante o período esperado, inviabilizou-se a construção em 2020.[10][11][12]

2021[editar | editar código-fonte]

Em Novembro de 2020 Liberty Media divulgou o calendário de 2021 com prova no país, no Autódromo de Interlagos em São Paulo, o Governo de São Paulo confirmou vínculo de cinco anos, e em dezembro o contrato foi assinado com a Prefeitura de São Paulo e a Liberty Media; o evento passa chamar-se GP de São Paulo.[13][14][15]

O prefeito eleito do Rio de Janeiro, descartou a construção do autódromo no Bairro de Deodoro, na floresta do Camboatá, em razão de acordos políticos; irá avaliar outro local para construção do autódromo.[16]

Em Fevereiro de 2021, a prefeitura do Rio de Janeiro, desiste oficialmente do terreno de Deodoro, como uma opção para a pista de corridas do Rio.[17]

A Prefeitura do Rio de Janeiro, define que ira iniciar novamente os estudos de viabilidade para construção do Autódromo de Deodoro, respeitado todas as recomendações de impacto ambiental. Ambientalistas defendem que o local seja transformada em área de proteção ambiental, outros locais também estão em avaliação.[18]

Referências

  1. Ernesto Magalhães, Luiz (23 de Setembro de 2011). «Deodoro ganhará autódromo-parque em 2012». Organizações Globo. Consultado em 11 de Agosto de 2012 
  2. «CBA pede impugnação do edital para a construção do Parque Olímpico». Globoesporte.com 
  3. «Justiça acata pedido da CBA contra licitação do Parque Olímpico do Rio». Globoesporte.com 
  4. «Obras do Autódromo de Deodoro, no Rio, vão começar em janeiro de 2013». Globoesporte.com. Globo Comunicação. 11 de maio de 2012. Consultado em 11 de Agosto de 2012 
  5. UOL (19 de Julho de 2012). «Terreno do Autódromo de Deodoro pode ter minas e CBA cogita parar Parque Olímpico». UOL Olimpíadas. Consultado em 11 de agosto de 2012 
  6. «Bolsonaro anuncia que Rio de Janeiro receberá Fórmula 1 em 2020» 
  7. a b c «Bolsonaro anuncia que Rio de Janeiro receberá Fórmula 1 em 2020» 
  8. «MP aponta relação do Rio Motorpark com chefe de corrupção do RJ». motorsport.uol.com.br. Consultado em 4 de janeiro de 2021 
  9. «Rio Motorsports vence licitação para construir autódromo no Rio de Janeiro» 
  10. «Inea bloqueia concessão de licença ambiental de autódromo de Deodoro» 
  11. «Procuradoria do INEA escreveu que o relatório deixa muitas dúvidas, e por isso não pode dizer se o autódromo pode ser construído. O local é na Floresta do Camboatá, área de preservação ambiental.» 
  12. «Após vexame, audiência sobre projeto de autódromo do RJ é remarcada» 
  13. «Governador de SP anuncia acordo com F1 para realizar corrida em Interlagos até 2025» 
  14. «Covas anuncia troca do nome do GP Brasil de F1: "Grande Prêmio São Paulo"» 
  15. «Fórmula 1 confirma realização de GP no Brasil em Interlagos até a temporada de 2025». ge. Consultado em 16 de dezembro de 2020 
  16. «Prefeito do Rio descarta a possibilidade de autódromo de Deodoro ser construído». Terra. Consultado em 6 de janeiro de 2021 
  17. «Prefeitura do Rio pede arquivamento do pedido de licença para construir o Autódromo de Deodoro». G1. Consultado em 2 de fevereiro de 2021 
  18. «Modificado, projeto para autódromo em Deodoro volta a tramitar do início no Inea». CNN Brasil. Consultado em 1 de outubro de 2021 


Ícone de esboço Este artigo sobre automobilismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.