Autovia 2

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ruta Provincial 2
Rodovia Juan Manuel Fangio
Bandera de la Provincia de Buenos Aires.svg Buenos Aires,  Argentina
Rodovia Provincial 2
Nome popular Ruta 2
Identificador  RP 2 
Nomes anteriores Ruta Nacional 2
(Rodovia Nacional 2)
Tipo Rodovia provincial
Inauguração 23 de janeiro de 1938
Extensão 370 km
Orientação Norte a Sul
Extremos
 • Norte:
 • Sul:

Gutiérrez
Mar del Plata
Cruzamentos RP36-AR.svg RP 36 em El Pato
RP13-AR.svg RP 13 e RP215-AR.svg RP 215 em Etcheverry
RP20-AR.svg RP 20 em Chascomús
RP57-AR.svg RP 57 em Lezama
RP41-AR.svg RP 41 em Castelli
RP60-AR.svg RP 60 e RP63-AR.svg RP 63 em Dolores
RP62-AR.svg RP 62 em General Guido
RP74-AR.svg RP 74 em Las Armas
RP55-AR.svg RP 55 em Coronel Vidal
RN226-AR.svg RN 226 em Mar del Plata
Administração Coat of arms of the Buenos Aires Province.svg Província de Buenos Aires
Concessionária Flag of Argentina.svg AUBASA
Velocidade máxima Velocidade máxima

Autovia 2 ou Autovia Juan Manuel Fangio mais conhecida como Rota 2 é uma via expressa argentina de 370 km. Está construída seguindo a planta da velha Rota Nacional n.° 2. Uma lei provincial designou esta estrada como Autovia Juan Manuel Fangio.[1]

Estende-se desde as rotas provinciais 1 e 36 e a Rota Nacional A004 na rotatória Juan María Gutiérrez que está localizada no limite entre as localidades de Juan María Gutiérrez (partido de Berazategui) e Engenheiro Allan (partido de Florencio Varela). Encontra-se em sobreposição num trajeto de 6 km com a Rota Provincial 36 até a localidade de El Pato, Partido de Berazategui, e culmina seu trajeto na Rota Nacional 226, cidade de Mar del Plata.[2]

A Autovia 2 está concessionada e possui duas estações de pedágio. Conta com mais de 30 postos de abastecimento, telefones fixos para comunicações de emergência e uma estação de rádio na que se informa o estado da via.[3][4] É uma das estradas com maior tráfico do país, especialmente em época estival, já que une a capital da Argentina com a cidade balneária de Mar del Plata e, através de outras rotas provinciais, diferentes destinos turísticos da costa atlântica de Buenos Aires.[5][6]

Quase todas as interseções das estradas com a autovia são passagens de nível, sem pontes para permitir a separação de tráfico. Também existe uma passagem de nível com a Ferrovia General Roca na zona rural e outro na zona urbana.[7] E logo seguindo o trajeto da atual Autovia 32, continuava por Brandsen. Logo seguia pelas vias do Ferrocarril del Sud, cruzando-as até o Mar del Plata.

Interseções e pontes[editar | editar código-fonte]

A seguir, se mostram as interseções com outras vias e e ferrovias e todos as pontes que possuí está autovia.[8] Para a drenagem das águas superficiais a empresa concessionária construiu 470 bueiros transversais e 320 mais para a evacuação de água do canteiro central.[9]

Unknown route-map component "RM"
RN A004 a Buenos Aires e La Plata
Unknown route-map component "RMq" Unknown route-map component "MWEXo" Unknown route-map component "RMq"
km 34,2 RP 36 a Quilmes e Buenos Aires / RP 1 a Villa Elisa e La Plata
Unknown route-map component "RM"
(ponte sobre a rotatória Juan María Gutiérrez)
Unknown route-map component "RM"
Unknown route-map component "SKRZ-Go"
km 38,4 ponte sobre vias do FCPBA a Avellaneda / La Plata
Unknown route-map component "RM"
Unknown route-map component "MWEXo" Unknown route-map component "exSTRq"
km 40,8 RP 36 a Verónica e Pipinas
Unknown route-map component "RM"
Unknown route-map component "exSKRZ-G+eBUE"
km 54,5 Cruzamento com o FCGR (Sem serviço) a Coronel Brandsen/Ringuelet
Unknown route-map component "MWNODE" Unknown route-map component "exSTRq"
km 55,1 RP 13 a Abasto, Tolosa e Ensenada
Unknown route-map component "RM"
Unknown route-map component "exSKRZ-G+eBUE"
km 57,8 Cruzamento com as vias de FCGB a González Catán / La Plata
Unknown route-map component "RMq" Unknown route-map component "MWCLOu" Unknown route-map component "RMq"
km 59,0 RP 215 a San Miguel del Monte / La Plata
Unknown route-map component "RM"
Transverse water Unknown route-map component "RMoW2" Transverse water
km 62,6 Córrego sem nome
Unknown route-map component "RM"
Transverse water Unknown route-map component "RMoW2" Transverse water
km 67,1 Córrego Abascay
Unknown route-map component "RM"
Unknown route-map component "exSTRq" Unknown route-map component "MWNODE" Unknown route-map component "exSTRq"
km 81,8 Ex-RP 54 a Brandsen /Oliden
Unknown route-map component "RM"
Restricted border on track
km 90,1 estação de pedágio Samborombón
Unknown route-map component "RM"
Transverse water Unknown route-map component "RMoW2" Transverse water
km 93,0 Rio Samborombón
Transverse water Unknown route-map component "RMoW2" Transverse water
km 94,8 Córrego Chajá
Unknown route-map component "RM"
Unknown route-map component "exSTRq" Unknown route-map component "MWNODE" Unknown route-map component "exSTRq"
km 103,5 Acceso a Gándara / RP 59 a José Ferrari
Unknown route-map component "RM"
Unknown route-map component "exSTRq" Unknown route-map component "MWNODE"
km 114,8 Acceso norte a Chascomús
Unknown route-map component "exSTRq" Unknown route-map component "MWNODE" Unknown route-map component "exSTRq"
km 116,4 RP 20 a Ranchos / Magdalena
Unknown route-map component "RM"
Unknown route-map component "exSTRq" Unknown route-map component "MWEXo"
km 121,7 Acceso a Chascomús por Avenida Lastra
Unknown route-map component "RM"
Transverse water Unknown route-map component "RMoW2" Transverse water
km 124,0 Córrego San Felipe
Unknown route-map component "RM"
Unknown route-map component "lDAMPF" Unknown route-map component "SKRZ-Go"
km 128,0 ponte sobre vias do FCGR a Constitución / Mar del Plata
Unknown route-map component "RM"
Transverse water Unknown route-map component "RMoW2" Transverse water
km 135,6 lagoa Adela
Unknown route-map component "RM"
Transverse water Unknown route-map component "RMoW2" Transverse water
km 141,7 lagoa Chis Chis (ponte 1)
Unknown route-map component "RM"
Transverse water Unknown route-map component "RMoW2" Transverse water
km 144,0 lagoa Chis Chis (ponte 2)
Unknown route-map component "RM"
Unknown route-map component "exSTRq" Unknown route-map component "MWNODE"
km 156,7 RP 57 a Pila e General Belgrano
Unknown route-map component "RM"
Transverse water Unknown route-map component "RMoW2" Transverse water
km 166,9 Rio Salado
Unknown route-map component "RM"
Unknown route-map component "exSTRq" Unknown route-map component "MWNODE"
km 179,5 RP 41 a Pila e Baradero
Unknown route-map component "RM"
Transverse water Unknown route-map component "RMoW2" Transverse water
km 205,5 Canal 9
Unknown route-map component "MWEXlfu" Unknown route-map component "RMq"
km 206,5 RP 63 a General Conesa e Partido de La Costa
Unknown route-map component "lDAMPF" Unknown route-map component "SKRZ-Go"
km 208,5 ponte sobre vias del Ferrocarril General Roca a Mar del Plata / Constitución
Unknown route-map component "exSTRq" Unknown route-map component "MWNODE"
km 209,4 Caminho a Udaquiola e Rauch
Unknown route-map component "MWEXlfu" Unknown route-map component "RMq"
km 209,8 Acceso a Dolores
Unknown route-map component "RM"
Transverse water Unknown route-map component "RMoW2" Transverse water
km 213,4 Canal A
Unknown route-map component "RM"
Unknown route-map component "exSTRq" Unknown route-map component "MWNODE"
km 225,9 RP 60 a Udaquiola e Rauch
Unknown route-map component "RM"
Transverse water Unknown route-map component "RMoW2" Transverse water
km 229,2 Córrego Tigre Chico
Transverse water Unknown route-map component "RMoW2" Transverse water
km 230,9 Córrego Tigre Grande
Transverse water Unknown route-map component "RMoW2" Transverse water
km 231,4 Canal 1
Unknown route-map component "RM"
Unknown route-map component "MWNODE" Unknown route-map component "exSTRq"
km 251,0 RP 62 a Santo Domingo e General Madariaga
Unknown route-map component "lDAMPF" Unknown route-map component "exSKRZ-G+eBUE"
km 251,0 Cruzamento com as via do FCGR (suspendido)[10] a Constitución / Divisadero de Pinamar
Unknown route-map component "RM"
Transverse water Unknown route-map component "RMoW2" Transverse water
km 260,9 Canal 2
Transverse water Unknown route-map component "RMoW2" Transverse water
km 261,0 Córrego sem nome
Unknown route-map component "RM"
Restricted border on track
km 273,3 estação de pedágio Maipú
Unknown route-map component "RM"
Unknown route-map component "exSTRq" Unknown route-map component "MWNODE" Unknown route-map component "exSTRq"
km 299,6 RP 74 a Ayacucho e Tandil / General Madariaga e Pinamar
Unknown route-map component "RM"
Transverse water Unknown route-map component "RMoW2" Transverse water
km 312,0 Córrego sem nome
Unknown route-map component "RM"
Transverse water Unknown route-map component "RMoW2" Transverse water
km 315,3 Canal 5
Unknown route-map component "RM"
Transverse water Unknown route-map component "RMoW2" Transverse water
km 320,2 Córrego Chico
Unknown route-map component "RM"
Unknown route-map component "exSTRq" Unknown route-map component "MWNODE"
km 343,6 RP 55 a Balcarce e Necochea
Unknown route-map component "RM"
Transverse water Unknown route-map component "RMoW2" Transverse water
km 351,5 Córrego Grande
Transverse water Unknown route-map component "RMoW2" Transverse water
km 352,3 Córrego de las Negras
Unknown route-map component "RM"
Transverse water Unknown route-map component "RMoW2" Transverse water
km 362,6 Córrego Dulce
Unknown route-map component "RM"
Transverse water Unknown route-map component "RMoW2" Transverse water
km 375,8 Córrego Vivoratá
Unknown route-map component "RM"
Transverse water Unknown route-map component "RMoW2" Transverse water
km 381,4 Córrego Los Cueros
Unknown route-map component "RM"
Unknown route-map component "MWNODE" Unknown route-map component "exSTRq"
km 386,2 Acceso a Santa Clara del Mar
Unknown route-map component "RM"
Transverse water Unknown route-map component "RMoW2" Transverse water
km 390,0 Córrego Los Patos
Unknown route-map component "RM"
Airport Unknown route-map component "MWNODE" Unknown route-map component "RMq"
km 398,5 aeroporto Internacional Astor Piazolla
Transverse water Unknown route-map component "RMoW2" Transverse water
km 399,5 Córrego La Tapera
Unknown route-map component "MWNODE" Unknown route-map component "RMq"
km 400,2 Acceso a Mar del Plata por Avenida Constitución
Unknown route-map component "RM"
Unknown route-map component "lDAMPF" Unknown route-map component "exSKRZ-G+eBUE"
km 403,5 Cruzamento com as via do FCGR a Constitución / Mar del Plata
Unknown route-map component "RMq" Unknown route-map component "MWNODE" Unknown route-map component "RMq"
km 403,7 RN 226 a Balcarce e Tandil / Acceso a Mar del Plata por Avenida Luro
Unknown route-map component "RM"
Ligação a RP 88 a Batán e Necochea

História[editar | editar código-fonte]

Estrada de terra[editar | editar código-fonte]

extremo sul da antiga ponte La Postrera

O Touring Club Argentino construiu o caminho de terra de Buenos Aires ao Mar del Plata entre o ano 1910. O trajeto entre Buenos Aires e Chascomús era diferente do atual, já que a estrada passava pelas cidades de Avellaneda, Quilmes e Florencio Varela pela Estrada General Belgrano que foi pavimentada entre 1912 e 1916,[11] E logo, seguindo o trajeto da atual Rota Provincial 53, continuava para Brandsen. Logo seguia as ferrovias do Ferrocarril del Sud, cruzando-as várias vezes, até o Mar del Plata.

Mediante essa estrada, que piorava com as chuvas, os automóveis demoravam aproximadamente dois dias para realizar o trajeto de Buenos Aires até o Mar del Plata.[12]

As pontes mais largas eram as que cruzavam os rios Samborombón e Salado. A primeira era uma passarela muito precária construída pelo Automóvil Club Argentino e o segundo era a ponta La Postrera feito de ferro com base de alvenaria, construída em 1872 pelo engenheiro Luis Augusto Huergo, com 170 metros de comprimento.[13][14] Durante as obras de ampliação do rio Salado para aumentar seu volume e assim prevenir inundações, no ano de 2005 se retirou esta ponte substituindo por outra de concreto de 275 m de comprimento.

Estrada pavimentada[editar | editar código-fonte]

A declaração sancionada pelo Segundo Congresso de Vialidad reunido na Cidade de Buenos Aires durante os dias 12 e 17 de agosto de 1929 solicitava ao Presidente da República, Hipólito Yrigoyen, a construção deste caminho, que serviria para a comunicação comercial e econômica agrária de quase uma terceira parte da Província de Buenos Aires bem como facilitaria o turismo.[15]

Este caminho foi retirado da rede nacional a pedido do governo provincial que manifestou seu desejo de ser ele quem fizesse a obra. Os engenheiros vias provinciais determinaram que se construísse a estrada pavimentada bordeando a costa do Oceano Atlântico. Isto motivou a preparação de um memorial por parte do Movimento pró-adoção da rota tradicional com o aval dos intendentes e diversas associações da zona explicando as vantagens da pavimentação da rota que se utilizava nesse momento. Entre elas se pode citar que a traça alternativa era uns 20% mais longa e não atravessava populações, enquanto na rota habilitada até esse momento tinha sete postos de abastecimento. Dito memorial, aprovado em assembleia celebrada em Dores o 2 de julho de 1933, estava dirigido ao governador provincial, a Direção Nacional de Vialidad e o Presidente da República.[15]

Em maio de 1934 a Nação e e província firmaram um acordo dividindo em dois trechos a construção da estrada pavimentada, utilizando a planta indicada pela Direção Nacional de Vialidad: entre Avellaneda e Dolores, a construir pela entidade vial nacional e da última cidade ao Mar del Plata, que deveria ser executado pela Província de Buenos Aires, com fundos federais. Os trabalhos começaram em 13 de dezembro de 1934. O primeiro trecho se terminou em 23 de janeiro de 1938.[12][15]

O trecho de 208 km de Dolores ao Mar del Plata que incluía o acesso ao Parque Camet (atual Avenida Constitución) e o acesso atual Avenida Juan B. Justo se dividiu em seis seções de 13, 39, 53, 45, 48 e 10 km de norte a sul, cada uma das quais foi foram concedidas a uma empresa diferente para construí-las em paralelo. Finalmente em 5 de outubro de 1938 se inaugurou a estrada pavimentada de Buenos Aires a Mar del Plata, após três anos de obras entre as cidades de Dolores e Mar del Plata,[11][16] o que facilitou enormemente o acesso a cidade balnearia.

Ponte metálica sobre as vias do Ferrocarril Roca em Bosques.

A planta desde Buenos Aires a Chascomús se modificou para que a estrada passe por terrenos mais elevados e mais perto da cidade La Plata. Desta maneira a estrada reduzia a sua extensão em 13 km. Outra particularidade da nova estrada é que só teria três cruzamentos a nível com linhas de ferro importantes: uma ao sul de Chascomús (km 128), outro ao sul de Dolores (km 208,5) e o último dentro da atual zona urbana do Mar del Plata (km 403,5), correspondentes ao ramal Constitución a Mar del Plata del Ferrocarril del Sud. Para elas se construiu uma ponte metálica em Bosques e se planejou fazer um aterro para que o ramal Quilmes do Ferrocarril del Sud passe sobre a rota na localidade de Sarandí. Esta última obra sofreu vários atrasos até que finalmente o presidente Juan Domingo Perón a inaugurou em 4 de junho de 1953, eliminando as barreiras da Avenida Presidente Bartolomé Mitre.[17]

Ademais havia um cruzamento a nível com ferrovia no atual partido de Berazategui, mais três na de La Plata, outro na localidade de General Guido e o último em Vivoratá.[18] Cruzamentos foram desativados com o encerramento destes ramais ferroviários nas décadas de 1960 e 1970, ainda que alguns serviços ferroviários irregulares tenham cruzaram a rota 2 na década de 1980. Logo das vias entre General Madariaga e Pinamar por parte da empresa estatal Ferrobaires, o cruzamento ferroviário de General Guido está localizado no km 251 começou a ser utilizado novamente para transporte de passageiros a partir de 7 de dezembro de 1996.[19]

A estrada pavimentada produziu um aumento de turistas que chegavam de automóvel, em 1940 havia mais gente que chegava a Mar del Plata de automóvel do que de trem. Cinco anos antes só chegavam 18% de turistas de automóvel.[20]

Em 5 de outubro de 1941 as entidades viais provincial e nacional firmaram um acordo de transferência da rota a jurisdição nacional.[21] No início da rota a Ponte Nicolás Avellaneda sobre o Riachuelo, inaugurado no ano anterior, seguindo pelas atuais avenidas Sargento Ponce e Debenedetti ligando o Sarandí com a Avenida Presidente Bartolomé Mitre, e logo continuando pelo sudeste.[18][22]

A Lei Provincial 4810, publicada no Boletim Oficial em 5 de setembro de 1942, designou esta estrada como Ruta General Bartolomé Mitre.[23]

Reconstrução[editar | editar código-fonte]

Na década de 1950 a rota estava em más condições devido a vários fatores.[24]

Segundo o regulamento de trânsito de 1936 a velocidade máxima era de 50 km/h para caminhões e de 80 km/h para automóveis. Se bem a media de velocidade dos caminhões era de 30 a 40 km/h, vinte anos depois os veículos pesados circulavam a 80 km/h. A estrada não estava preparada para este aumento de velocidade, nem para o aumento de fluxo veicular, que se triplicou em 20 anos.

A mistura de solos usados para a construção da via não era de boa qualidade, já que por problemas de orçamento se usou material da zona. Não se havia compactado corretamente o material, pelo que apareceram infiltrações de umidade que danificaram o pavimento. O dano mais importante se verificou no trecho Dolores – Mar del Plata.

Para solucionar este problema, o Governo Nacional licitou 15 máquinas que deveriam realizar trabalhos importantes na estrada que demoravam entre 12 e 24 meses de execução. A obra se estendeu entre 1956 e 1959 e se ampliou a pista a seu tamanho atual, que é de 7,30 metros de largura.[24]

Trânsito[editar | editar código-fonte]

De acordo a lei nacional de trânsito número 24449 modificada pela 26363 que está vigente na província de Buenos Aires desde o ano 2008,[25] a velocidade máxima para automóveis E motocicletas é de 120 km/h na autovia, exceto em zonas urbanas, onde é de 60 km/h. Em vários trechos não há expropriações para a construção da autovia pelo que em determinadas curvas se diminui a velocidade máxima a 80 km/h que era a velocidade do trajeto original da via expressa pavimentada.[8]

As velocidades se controlam mediante mais de uma dezena de radares fixos. Os dados oficiais indicavam que em janeiro de 2009 80% dos condutores superarão os máximos indicados nas placas.[26]

Em 1968 se pavimentaram o acostamento, dividindo-se a obra em oito trechos para ser executados em paralelo por diferentes empresas empreiteiras.[27] No ano 1978 se duplicou a sua extensão ao tamanho atual de 2,50 m.[16]

Nesta época se construíram três pontes nos cruzamentos mais perigosos desta rota: a ponte sobre as vias do Ferrocarril General Roca ao sul da cidade de Chascomús no final da década de 1960, a ponte da Via General Belgrano sobre a superposição das rotas nacionais 1 e 2 no denominado Cruzamento Varela a princípios da década de 1970 e a ponte da Rota Nacional 215, denominada atualmente Rota Provincial 215, sobre a rota 2 no Cruzamento Etcheverry, localizado na localidade homônima e inaugurado em 14 de dizembro de 1979.[28]

O contrato de concessão prevê a conversão de autovia a autopista e a retificação de curvas para aumentar a velocidade do trajeto a 120 km/h.[8]

Medições de trânsito[editar | editar código-fonte]

Trânsito médio diário anual nos anos 1993, 1996 e 1999.[29][30]

Para poder fixar prioridades para melhorar rutas ou desenhar cruzamentos com outras estradas, a Direção Provincial de Vialidad de Buenos Aires dividiu a sua rede de rodovias em trechos com trânsito uniforme, sem cruzamentos de muito movimento. Em cada trecho se calcula o trânsito médio diário anual, que resulta de dividir a quantidade de veículos que circulam pelo ano pela quantidade de dias que tenha o ano (365 ou 366). O trânsito nesta estrada sofre grandes variações estacionais, por que no verão e em Semana Santa a quantidade de veículos na rota é mais elevada.[31]

O gráfico mostra o trânsito médio diário anual correspondente aos anos 1993, 1996 e 1999, durante o período de construção da autovia.[29][30]

Com a obra terminada, a maior parte do trânsito corresponde ao trecho desde o início, no Gran Buenos Aires, até Dolores. Em 1999 arredor da metade do volume veicular se desviou pela Rota Provincial 63 desde Dolores pelos destinos turísticos da costa atlântica. Em anos anteriores e desde a inauguração do pavimento entre a localidade de Pipinas e a Esquina de Crotto en 1981,[32] a maior parte do trânsito com destino as localidades balnearias entre San Clemente del Tuyú e Mar Azul circulava pela Rota Provincial 36 e a Rota Provincial 11, evitando assim a congestionada Rota 2.

Depois da construção da autovia o trânsito por esta estrada continuou em aumento, registrando-se no ano 2009 um valor aproximado de 20 000 veículos diariamente na média anual ao norte de Dolores e de 10 000 ao sul desta cidade.[33] O trânsito é notavelmente estacional, já que que em janeiro de 2009 pouco mais de um milhão de automóveis passaram pelo pedágio em Samborombón, em junho do mesmo ano se registraram uns trezentos mil veículos.[31] Os dias de mudança turística pode haver 3000 veículos por hora.[34]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Sistema de lagoas ao redor da Autovia 2 no partido de Chascomús, Província de Buenos Aires, Argentina

Os rios mais importantes que cruza esta rodovia são Samborombón, no limite entre os partidos de Brandsen e Chascomús e o Rio Salado, com mais de 100 metros de largura, no limite entre os partidos de Lezama e Castelli. O primeiro rio normalmente tem pouca água mas na estação das chuvas seu nível pode aumentar consideravelmente. Dependendo do mar a água é muito escassa e não permite a sua rápida drenagem.[35]

A estrada se encontra nas zonas geográficas denominadas Pampa ondulada e Pampa deprimida, ao norte e ao sul do rio Samborombón respectivamente.

Na última região, também conhecida como Zona deprimida del Salado, caracterizada por sua baixa altura sobre o nível do mar, dentro dos partidos de Chascomús e Lezama se encontra o sistema de seis lagoas acorrentadas muito perto da via expressa, ao oeste da estrada: as lagoas Vitel, Chascomús, Adela o Manantiales, Chis Chis, La Tablilla e Las Barrancas. A água flui do norte ao sul, desaguando no rio Salado. A lagoa del Burro se encontra ao oeste da autovia junto a Adela. Em todos esses corpos de água se prática a pesca de Odontesthes bonariensis, Traíra, Mugil e carpas.[36]

Segurança[editar | editar código-fonte]

Desde o ano 1971 o governo provincial realiza o Operativo Sol, no que milhares de policiais custodiam as rotas e as diferentes localidades turísticas da costa atlântica durante o verão. Estes operativos realizam-se na temporada estival, entre a última semana de dezembro e princípio de março, já que neste período incrementa-se significativamente o tráfico. O objetivo da presença policial nas rotas é a segurança via e a prevenção de acidentes. A maioria dos agentes pertencem a outras zonas da província.[37][38]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Gobierno de la Provincia de Buenos Aires, Ley 12.994, texto e fundamentos
  2. Dirección de Vialidad de la Provincia de Buenos Aires (2007). «Nuestras Rotas» (em espanhol). Consultado em 23 de março de 2008 
  3. Covisur. «Datos». Consultado em 25 de março de 2011 
  4. Covisur. «FM2». Consultado em 2 de junho de 2011 
  5. Dirección de Vialidad de la Provincia de Buenos Aires (2010). «Tránsito pasante Samborombón» (em espanhol). Consultado em 6 de março de 2011 
  6. Dirección Nacional de Vialidad (2010). «Información de tránsito de rutas nacionales» (em espanhol). Consultado em 2 de junho de 2011 
  7. Gutiérrez, Leandro (2007). «Relevamiento de rutas - viajá seguro» (PDF). Revista CESVI (em espanhol). Consultado em 14 de junho de 2010 
  8. a b c Dirección de Vialidad de la Provincia de Buenos Aires. «Licitación del Sistema Vial Integrado del Atlántico». Consultado em 26 de março de 2011 
  9. Covisur. «Obra segunda calzada». Consultado em 18 de julho de 2011 
  10. Estado de los trenes a Pinamar, Satelite Ferroviario website - actualizado 5-1-2012
  11. a b Gobierno de la Provincia de Buenos Aires (1940). Cuatro años de gobierno 1936-1940, volumen IV Vialidad (em espanhol). [S.l.]: Guillermo Kraft 
  12. a b El Caminho a Mar del Plata (em espanhol). [S.l.]: Buenos Aires: Dirección Nacional de Vialidad. 1934. OCLC 255251098 
  13. Plano del Caminho Buenos Aires - Mar del Plata (em espanhol). [S.l.]: Buenos Aires: Automóvil Club Argentino. 1928 
  14. «Avanzan las obras del Rio Salado». Diario La Nación (em espanhol). 21 de fevereiro de 2004. Consultado em 20 de setembro de 2011 
  15. a b c Comisión popular de festejos (1938). Inauguración del Caminho pavimentado Buenos Aires - La Plata - Mar del Plata (em espanhol). [S.l.]: Mar del Plata: De Falco Hnos 
  16. a b Covisur. «Historia de la Ruta 2». Consultado em 20 de abril de 2010. Cópia arquivada em 25 de junho de 2008 
  17. Vignola, Carlos (julho de 2005). Secretaría de Cultura, Educación y promoción de las Artes de la Municipalidad de Avellaneda, ed. «Ciudad de Sarandí». Consultado em 12 de março de 2011 
  18. a b Instituto Geográfico Militar (1965). Atlas de la República Argentina. Buenos Aires: Instituto Geográfico Militar. OCLC 63386201 
  19. «Pinamar ya tiene su ferrocarril». Diario La Nación. 8 de dezembro de 1996. Consultado em 26 de março de 2011 
  20. Ospital, María Silvia (2005). «Turismo y territorio nacional en Argentina. Actores sociales y políticas públicas, 1920 – 1940». Estudios Interdisciplinarios de América Latina y el Caribe. 16 (2) 
  21. Dirección Nacional de Vialidad (2001). «Sabía que?». Consultado em 22 de março de 2008. Cópia arquivada em 31 de outubro de 2001 
  22. Editorial Peuser (1949), Guía Peuser de Turismo 1950
  23. Poder legislativo de la provincia de Buenos Aires (5 de setembro de 1942). «Ley 4810 de la provincia de Buenos Aires». Boletín Oficial de la provincia de Buenos Aires (9363). Consultado em 4 de outubro de 2011 
  24. a b Gonella, Romero, Figueredo, Lanne, Moreau (1957). Reconstrucción de la ruta n.º 2 (em espanhol). Buenos Aires: Dirección Nacional de Vialidad. pp. 78 pág 
  25. «Ley 13927 de la provincia de Buenos Aires». Boletín Oficial de la Provincia de Buenos Aires (26041). 30 de dezembro de 2008. Consultado em 9 de março de 2011 
  26. «Ocho de cada diez conductores superan los límites de velocidad en la ruta 2». Diario Clarín. 19 de janeiro de 2009. Consultado em 9 de março de 2011 
  27. Dirección de Vialidad de la Provincia de Buenos Aires (1968). «Obras de Vialidad Nacional en la provincia» (PDF). Revista Vialidad (45): 83-84 
  28. «Efemérides» (PDF). Semanario El Pueblo de San Vicente. 14 de dezembro de 2007. p. 8. Consultado em 12 de março de 2011 
  29. a b Ravella, Olga (2005). «Estudio de mitigación de emisiones en el sector transporte» (PDF). Consultado em 26 de julho de 2008 
  30. a b Municipalidad de Chascomús (2005). «Desarrollo local en Chascomús» (PDF). Consultado em 26 de julho de 2008 
  31. a b Dirección de Vialidad de la Provincia de Buenos Aires (2010). «Tránsito pasante Samborombón». Consultado em 6 de março de 2011 
  32. Dirección de Vialidad de la Provincia de Buenos Aires (1981). «Se habilitó el nuevo tramo pavimentado entre Pipinas y Esquina de Crotto» (PDF). Revista Vialidad (77): 51-56. ISSN 0042-5028 
  33. Dirección de Vialidad de la Provincia de Buenos Aires (2010). «Tránsito medio diario anual año 2009». Consultado em 6 de março de 2011 
  34. «Colapsaron los accesos en el regreso del fin semana largo». Diario Infobae. 11 de outubro de 2010. Consultado em 6 de março de 2011 
  35. Freplata (2003). «Informe final del proyecto Protección ambiental del Rio de la Plata e su frente marítimo» (PDF). Consultado em 6 de abril de 2011 
  36. «La pesca e las lagoas encadenadas». Diario El Cronista de Chascomús (em espanhol). 30 de abril de 2009. Consultado em 11 de março de 2011 
  37. Debesa, Fabián (14 de outubro de 2005). «Reemplazan por "improvisado" el Operativo Sol». Diario Clarín (em espanhol). Consultado em 20 de setembro de 2011 
  38. «Provincia: Comienza el Servicio Seguridad Vial Operativo Sol 2007/2008». Impulso Baires (em espanhol). 14 de dezembro de 2007. Consultado em 12 de junho de 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Autovia 2