Avanhandava

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Avanhandava
Prefeitura de Avanhandava

Prefeitura de Avanhandava
Bandeira de Avanhandava
Brasão de Avanhandava
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 29 de dezembro
Fundação Não disponível
Gentílico avanhandavense
Prefeito(a) Sueli Navarro Jorge (PSDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Avanhandava
Localização de Avanhandava em São Paulo
Avanhandava está localizado em: Brasil
Avanhandava
Localização de Avanhandava no Brasil
21° 27' 39" S 49° 57' 00" O21° 27' 39" S 49° 57' 00" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Araçatuba IBGE/2008[1]
Microrregião Birigui IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Penápolis - Promissão
Distância até a capital 467 km[2]
Características geográficas
Área 340,338 km² [3]
População 11 311 hab. Censo IBGE/2010[4]
Densidade 33,23 hab./km²
Altitude 428 m
Clima tropical de altitude Cfb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,768 alto PNUD/2000[5]
PIB R$ 97 317,385 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 8 236,07 IBGE/2008[6]
Página oficial

Avanhandava é um município do estado de São Paulo, no Brasil. Localiza-se a uma latitude 21º27'39" sul e a uma longitude 49º56'59" oeste, estando a uma altitude de 428 metros. Sua população estimada em 2004 era de 9 268 habitantes.

História[editar | editar código-fonte]

A região atualmente ocupada pelo município era habitada, até o início do século XX, por índios caingangues e coroados. Em 1904, o coronel Antônio Flávio Martins Ferreira veio de Franca e adquiriu 3 500 alqueires de terras no vale do rio Tietê entre os rios Bonito e Dourado. Era o início do patrimônio de Campo Verde. Em 1908, a região passou a sediar o distrito policial de Miguel Calmon e inaugurou uma estação da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil. Em 1909, o distrito foi elevado à categoria de distrito de paz pertencente a São José do Rio Preto, passando a chamar-se simplesmente Calmon. Em 1910, o distrito passou a pertencer ao município de Bauru.

Em 1913, o distrito passou a pertencer ao município de Penápolis. Em 1921, foi construída a primeira edificação em tijolos da cidade: a capela de Santa Luzia, padroeira da cidade. Nessa época, os índios locais, que costumavam atacar a população não índia, foram pacificados por Cândido Rondon. Em 1925, o distrito de Calmon foi elevado à condição de município autônomo com o nome de Avanhandava, nome tupi que significa "lugar da corrida dos homens" (abá, homem + nhan, correr + aba, lugar), numa referência a uma cachoeira da região que obrigava as pessoas que vinham de canoa a descer e prosseguir a pé.[7][8]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Possui uma área de 340,338 quilômetros quadrados.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2000

População total: 8 829

  • Urbana: 8 100
  • Rural: 729
  • Homens: 4 399
  • Mulheres: 4 430

Densidade demográfica (hab./km²): 25,94

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 16,43

Expectativa de vida (anos): 70,92

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,70

Taxa de alfabetização: 87,98%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,768

  • IDH-M Renda: 0,672
  • IDH-M Longevidade: 0,765
  • IDH-M Educação: 0,866

(Fonte: IPEADATA)

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

  • Ribeirão dos Patos

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Administração[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Avanhandava

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. «Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista». Consultado em 10 de março de 2011 
  3. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  4. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  7. NAVARRO, E. A. Dicionário de tupi antigo: a língua indígena clássica do Brasil. São Paulo. Global. 2013. p. 546.
  8. Joomla!. Disponível em http://www.avanhandava.sp.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=4&Itemid=10. Acesso em 25 de junho de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]