Avareza

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Avareza ou sovinice é a dificuldade e o medo de perder algo que possui, como bens materiais e recursos. Uma pessoa avarenta é popularmente chamada de pão-duro, mão-de-vaca, unha-de-fome ou muquirana. É um dos sete pecados capitais, conforme o catolicismo (CIC, n. 1866), representando o medo de perder algo que possui. Uma pessoa avarenta tem dificuldade de abrir mão do que tem mesmo que receba algo em troca, tem cuidado com seus pertences como uma pessoa egoísta. Prefere abrir mão do que tem menos valor e preservar o que é mais valioso. Acha que perder algo pode ser um desastre.

Uma pessoa avarenta é relutante em gastar dinheiro, muitas vezes a ponto de renunciar até mesmo confortos básicos e algumas necessidades.

Uma pessoa avarenta pode ter dificuldade de abrir mão do que tem mesmo que receba algo em troca, tem cuidado com seus pertences como uma pessoa egoísta.

Prefere abrir mão do que tem menos valor e preservar o que é mais valioso. Acha que perder algo poderia ser desastroso.

Nas religiões[editar | editar código-fonte]

No cristianismo, o pecado capital avareza não tem o significado real de avareza. O pecado avareza, na verdade é a ganância, que foi traduzido de forma errada para o português como avareza.

Uma pessoa avarenta, acha que tudo e todos querem seus valores materiais ou financeiros, nada é verdadeiro tudo é interesse em suas posses.

No Cristianismo, a palavra avareza significa ganância, sendo a ganância um dos sete pecados capitais. A sovinice, pode ser incluída como parte desse pecado.

No Confucionismo tradicional chinês, pessoas que são relacionadas com dinheiro, como senhores de terras e comerciantes, era consideradas pessoas de baixa ordem na sociedade, inferiores aos camponeses que cultivavam o solo. Elas era condenados em representações simbólicas como avarentas e punidas com tempos de penúria.[1]

No Budismo, a pessoa deve se desapegar de bens materiais e da necessidade de prazer para poder evitar o sofrimento.

Na ficção[editar | editar código-fonte]

Na ficção, há personagens com avareza exagerada com objetivo de fazer humor ou para ser um contra-exemplo para ensinar virtudes e valores morais.

Alguns exemplos:

Referências

  1. Keith McMahon (1995), Misers, shrews, and polygamists, Duke University Press 
  2. Jennifer Doane Upton, Dark Way to Paradise 
  3. Jennifer Doane Upton, Dark Way to Paradise 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikcionário Definições no Wikcionário
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Categoria no Commons