Avenida Amaral Peixoto (Niterói)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Avenida Ernani do Amaral Peixoto
Avenida Amaral Peixoto
Niterói (RJ),  Brasil
Avenida Amaral Peixoto vista da Praça Arariboia.
Tipo Avenida
Início Avenida Visconde do Rio Branco
Fim Avenida Marquês do Paraná

Avenida Ernani do Amaral Peixoto, conhecida também como Avenida Amaral Peixoto, é uma das principais vias urbanas do centro da cidade de Niterói. Construída correspondendo ao plano para o conjunto do centro cívico Praça da República seria aberta uma ampla avenida tangenciando a praça, ligando o conjunto à estação da barcas na Praça Arariboia e interligando as avenidas Marquês do Paraná e a Visconde do Rio Branco. Batizada em homenagem ao ex-interventor e governador fluminense, Ernani do Amaral Peixoto, e foi construída aos moldes da Avenida Presidente Vargas do Centro da Cidade do Rio de Janeiro.

A via promoveu o desmembramento de terrenos modificando o traçado de várias quadras do Centro. Foram demolidos vários prédios para a implantação do novo loteamento. É o atual centro financeiro de Niterói, reúne um conjunto de edificações que ajudam a contar a história da cidade e de sua expansão ao longo dos anos.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Constando no projeto arquitetônico-urbanístico do Centro Cívico da Praça da República, sua função foi estabelecer o eixo monumental entre o centro cívico da Praça da República com a Estação Hidroviária na Praça Martin Afonso (atual Praça Arariboia), que ligava Niterói a então capital federal, a cidade do Rio de Janeiro, além de dar nova face a antiga capital do estado.

A monumentalidade de todo o projeto, os custos e as mudanças políticas sucessivamente adiaram sua construção. A abertura da Avenida Ernani do Amaral Peixoto, em 1942, em pleno Estado Novo foi marco do processo de modernização da cidade. Somente em 1950 completou-se toda a avenida, chegando à Av. Marquês do Paraná.[2]

Conjunto arquitetônico[editar | editar código-fonte]

A avenida possui uma fórmula gabaritada com edifícios de até 13 pavimentos construídos colados nas divisas, modulados pela testada frontal de 24 metros, embora é observado que nem todos os lotes tiveram a testada generosa defendida para o projeto, sendo que variavam entre 10, 12 e 18 m, com profundidade de 23 m, em sua maioria. As galerias para o abrigo dos pedestres são também uma característica marcante – com pé-direito duplo, possuindo 6,8 m de altura e quatro metros de passeio coberto e um metro de passeio desabrigado entre os pilares da galeria e o meio fio.

Um dos edifícios mais emblemáticos da avenida é o Edifício das Secretarias, uma construção modernista, fachada em concreto aparente, com breeze soleil, pilotis e pavimentos-tipo livres, elevadores abrindo para o passeio público, além de esquadrias deslizantes e com venezianas. O edifício contava ainda com um painel de Burle Marx que foi retirado em 1972. O edifício complementava o inicio da Avenida Amaral Peixoto no seu primeiro trecho e se confrontava com o antigo edifício do Fórum (o Palácio da Justiça), em estilo eclético.[3]

Cultura[editar | editar código-fonte]

A Avenida Amaral Peixoto abriga a Praça da República um conjunto formado por praça e pelos edifícios públicos de arquitetura eclética tombado pelo patrimônio histórico, construído para abrigar o centro cívico do antigo estado do Rio de Janeiro, hoje todos abrigam espaços culturais - composto atualmente pela Câmara Municipal de Niterói e seu arquivo histórico, Biblioteca Estadual de Niterói, o antigo Tribunal de Justiça (atual Centro de Memória Judiciária de Niterói) e Liceu Nilo Peçanha e o monumento Triunfo a República.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências