Aventino (rei)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Aventino (em latim Aventinus) foi o décimo segundo rei mítico de Alba Longa. Segundo a tradição, foi enterrado no monte que mais tarde levou seu nome (monte Aventino). Sucedeu Rômulo Sílvio. Reinou durante trinta e sete anos, tendo como sucessor Procas, pai de Amúlio e de Numitor.

Lenda[editar | editar código-fonte]

Mário Sérvio Honorato, em sua análise sobre a Eneida de Virgílio,[1] fala de um personagem chamado Aventino, rei dos primeiros habitantes de Roma, assassinado e enterrado num monte que recebeu mais tarde o seu nome. O rei de Alba Longa pode ser identificado com esse personagem da Eneida.

O Aventino é um monte ou colina da cidade de Roma. Admite-se que seu nome vem das aves (aves em latim), que, ao alçarem vôo partindo do Tibre, faziam seus ninhos ali. Ou então deve seu nome a um rei dos habitantes aborígines da Itália, chamado Aventino, que foi assassinado e enterrado naquele local, com o mesmo nome do rei de Alba Aventino, e teve como sucessor Procas. Já Varrão afirma que, entre os romanos, dizia-se que os sabinos aceitaram essa montanha, que lhes foi oferecida por Rômulo, e a chamaram Aventino por causa do rio Aventus, que corria na região. É aceito que esta última versão é posterior, pois no início o local era conhecido como Aventino por causa dos pássaros ou do rei italiano. Daí se deduz que Aventino, filho de Hércules, tirou seu nome do monte, e não o contrário.[carece de fontes?]

Referências[editar | editar código-fonte]

Árvore Genealógica dos Reis de Alba Longa[editar | editar código-fonte]

Anquises
Vênus
Latino
Creúsa
Eneias
Lavínia
Ascânio, ou Iulo
Sílvio
Sílvio
Eneias Sílvio
Bruto da Bretanha
Latino Sílvio
Alba
Átis
Cápis
Capetus
Tiberino Sílvio
Agripa
Rômulo Sílvio
Aventino
Procas
Numitor
Amúlio
Reia Sílvia
Marte
Hersilia
Rômulo
Remo
Reis de Roma

Referências