Avestá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Avestá[1] ou Zendavestá[2] (do pálavi p(y)stʾk/abestāg,[3]) faz parte das escrituras sagradas do zoroastrismo, que são os textos do Avestá e os textos do Pálavi.[4]

Assim como a Bíblia, é uma coleção de livros sagrados que foram escritos durante um longo período e em diferentes idiomas. A principal diferença para a Bíblia é que o Avestá se parece com um livro de orações e possui poucas narrativas.[5]

Segundo o orientalista alemão Martin Haug, os sacerdotes zoroastristas inventaram a história de que seus livros sagrados remetiam a Abraão, o patriarca judeu, com o objetivo de escapar da perseguição dos maometanos.[6]

Referências

  1. Aulete.
  2. Infopédia.
  3. «Avesta - the holy book of the Zoroastrians.». Enciclopaedia Iranica. Columbia University 
  4. John Bruno Hare, editor do site www.sacred-texts.com [em linha]
  5. Jona Lendering, Avesta [em linha]
  6. Haug, Martin (1862). Essays on the sacred language, writings, and religion of the Parsees. [S.l.: s.n.]  Parâmetro desconhecido |imprenta= ignorado (ajuda)

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.