Avianca Holdings

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Avianca)
Ir para: navegação, pesquisa
Mergefrom 2.svg
O artigo ou secção AviancaTaca deverá ser fundido aqui. (desde fevereiro de 2017)
Se discorda, discuta sobre esta fusão aqui.
Avianca Holdings
Aerovías del Continente Americano
Razão social Avianca Holdings S.A.
Tipo Sociedade Anônima
Slogan
  • The First Airline of the Americas ("A Primeira Linha Aérea das Américas")
  • The Airline of Colombia ("A Linha Aérea da Colômbia")
  • Avianca é por você
Indústria Aviação comercial
Fundação
Sede Panamá Aquilino de la Guardia, Calle No. 8, Cidade do Panamá, Panamá
Área(s) servida(s) Mundo
Proprietário(s) Synergy Group
Pessoas-chave
  • Germán Efromovich (Chairman)
  • Fabio Villegas Ramírez (CEO)
Empregados 19.000[1]
Produtos Transporte de passageiros e de carga aérea
Subsidiárias
Acionistas Synergy Aerospace Corp. 51.53%, Kingsland Holdings Ltd. 14.46%, Outros 34.01%[2]
Valor de mercado US$ 1,77 bilhões (2015)[3]
Lucro USD$ 234.1 milhões
Faturamento US$ 4,7 bilhões[4]
Antecessora(s) AviancaTaca
Website oficial www.aviancaholdings.com

Avianca Holdings (antigamente AviancaTaca) é uma holding aérea multinacional, baseada em Panamá[5] formada em fevereiro de 2010 através da fusão de duas companhias aéreas, sendo Avianca da Colômbia e TACA Airlines de El Salvador. A empresa é uma subsidiária do Synergy Group, um conglomerado privado brasileiro. Avianca foi a primeira linha aérea comercial de passageiros fundada na América e a segunda no mundo, depois da KLM. É terceira maior companhia na América do Sul.

História[editar | editar código-fonte]

Sociedad Colombo-Alemana de Transporte Aéreo[editar | editar código-fonte]

Avianca é a primeira companhia aérea comercial fundada nas Américas e a segunda no mundo. A sua criação ocorreu graças ao talento e ao espírito aventureiro dos alemães Werner Kaemmerer,[6] Stuart Hosie, Alberto Tietjen e dos colombianos Ernesto Cortizzos (o primeiro presidente da companhia aérea), Rafael Palacio, Cristóbal Restrepo, Jacobo Correa e Aristides Noguera.

Estes visionários e sonhadores fundaram em 5 de dezembro de 1919, na cidade de Barranquilla (Colômbia), a Sociedade colombo-alemã de Transporte Aéreo - SCADTA, em lingua espanhola: Sociedad Colombo Alemana de Transporte Aéreo. A companhia realizou o primeiro voo entre Barranquilla e a população próxima de Puerto Colômbia, a bordo de um Junkers F-13 no qual foram transportadas 57 cartas. O vôo foi comandado pelo piloto alemão Helmuth von Krohn. Este avião Junker F-13 e outro do mesmo tipo fizeram parte da primeira frota da companhia aérea, monoplanos de asa baixa e de construção completamente metálica cujos motores tiveram que ser modificados para poder operar eficientemente nas condições climáticas do país. Tinham 9,50 metros de comprimento e 3,50 metros de altura. A sua capacidade de voo era de 850 quilómetros e podiam levar até quatro passageiros, além dos dois tripulantes.

Devido às características topográficas do país, foram adaptados dois flutuadores aos Junkers com o objetivo de poder realizar pousos nos rios de diferentes cidades. Assim, em 20 de outubro de 1919 e seguindo o curso do rio Magdalena, Helmuth Von Krohn realizou o primeiro vôo para o interior da Colômbia. Foram oito horas com quatro aterrizagens de emergência incluídas. Com a mesma visão do grupo de fundadores, Peter von Bauer, um científico e filantropo alemão, interessou-se pela SCADTA e contribuiu com conhecimentos, dinheiro e outro avião para a companhia. Igualmente obteve para a SCADTA, a concessão do governo colombiano para o transporte do correio aéreo do país, com que a SCADTA desenvolveu-se definitivamente.

Projeção da pintura dos novos aviões da Avianca a partir de 2013.

Já na metade da década de 1920, superando muitos tropeços naturais, a SCADTA inaugurou as rotas internacionais que cobriam inicialmente destinos na Venezuela e nos Estados Unidos.

Lamentavelmente, na mesma década, exatamente em 1924, o avião onde viajavam entre outros Ernesto Cortizzos e von Krohn, precipitou-se a terra na zona que hoje é conhecida como Bocas de Ceniza, acidente que provocou a morte dos seus ocupantes. Dadas as circunstâncias da Segunda Guerra Mundial, von Bauer tinha tido que vender as suas ações da SCADTA à companhia norte-americana Pan American. Em setembro de 1920, com Fritz Hammer como piloto, Wilhem Schnurrbusch como co-piloto e Stuart Hosie como passageiro, a SCADTA realizou o primeiro vôo entre Barranquilla e Puerto Berrio.

Em 19 de outubro do mesmo ano, Helmuth von Krohn realizou o primeiro vôo entre Barranquilla e Girardot, e já em 1921 foram estabelecidas as rotas entre as cidades de Barranquilla, Girardot e Neiva. Em 1922 a Avianca começou a prestar o serviço de correio aéreo. Em agosto de 1922, o General Pedro Nel Ospina, Presidente da Colômbia naquele momento, utilizou por primeira vez um avião da SCADTA para realizar uma missão oficial. Em 19 de julho de 1923, para salvar o país da bancarrota, a SCADTA transportou um carregamento de ouro e papel moeda desde Puerto Berrio até Girardot. Em 12 de julho de 1928 um Junkers F-13 da SCADTA comandado pelo piloto Herbert Boy cruzou a Linha do Equador. Em 23 de julho de 1929 foram estabelecidas as rotas regulares entre Girardot e Bogotá.

Em 16 de julho de 1931 a SCADTA estabeleceu o primeiro serviço de correio entre Bogotá e Nova York. Em 1937 a primeira companhia aérea das Américas adquiriu 10 Boeing 247 bimotores e graças a eles ampliou as rotas nacionais. Em outubro de 1939, já como Avianca, adquiriu os primeiros aviões Douglas DC-3 que chegaram ao país e voavam a incrível velocidade, para a época, de 200 milhas por hora.

Atualidade[editar | editar código-fonte]

No final de 2011, os últimos Fokker 100 foram aposentados e substituídos pela família A320 da Airbus. De 2013, um novo design corporativo, incluindo um novo logotipo da marca e uma nova pintura, consequentemente, à frota foi introduzida, que inclui apenas vermelho e branco. A nova pintura é usada para todas as companhias aéreas pertencendo ao Avianca Holdings.

Em junho 2012 juntou-se à Star Alliance.

Frota Avianca Holdings[editar | editar código-fonte]

Aeronave Quantidade Pedidos Rotas Notas
Airbus A318-100
10
América do Sul
Airbus A319-100
25
América do Sul
Airbus A320-200
54
América do Sul
Airbus A321
5
América do Sul
Airbus A320neo
133
América do Sul e Central
Airbus A330-200
10
6 Américas e Europa
Boeing 787-8
4
Américas e Europa
Airbus A350-900
10
Américas e Europa
Cessna 208
10
America do Sul
Embraer 190
12
3
America do Sul
ATR 42-600
9
America do Sul
ATR 72-600
7
America do Sul
Total
157
152

Destinos[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Destinos Avianca

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Avianca Factsheet, staralliance.com, recuperado 3 de outubro 2015
  2. Ownership 2015, aviancaholdings.com, recuperado em 3 de outubro 2015
  3. Bloomberg. Market cap
  4. [1]
  5. (em inglês) About Avianca Holdings, aviancaholdings.com, recuperado em 3 de outubro 2015
  6. Avianca cumple 90 años aviacol.net, 4 de dezembro 2009 (es)

Ligação externa[editar | editar código-fonte]


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Avianca Holdings