Ayat Al-Gormezi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Ayat Hassan Mohammed Al-Qurmezi '[1] (em árabe: آيات حسن محمد القرمزي, o sobrenome também pode ser transcrito por Al-Qormezi, Al-Ghermezi, Al-Gormezi) (nascida em 1 de janeiro de 1991 - Sanad, Bahrain) é uma ativista e estudante da Universidade de Bahrein.[2] Ela ficou conhecida mundialmente após ter sido presa em março de 2011 por escrito e declamado poemas críticos ao seu governo durante uma manifestação pró-reformas políticas.[3] Durante sua prisão, Ayat passou por períodos incomunicáveis, sob espancamento e tortura com choques elétricos na cara, além de ameaças de estupro. Foi forçada a assinar documentos e a gravar um vídeo em que pedia desculpas ao rei e ao primeiro-ministro do Bahrein.

Em junho de 2011, Ayat foi julgada e condenada a um ano de prisão por incitamento ao ódio, participação em protestos ilegais e por perturbar a segurança pública, mas saiu em liberdade condicional um mês depois ao se submeter a documentos em que alegava ter gozado de boa saúde durante o período de detenção e se comprometendo a não participar de manifestações públicas e a não criticar o governo, sob o risco de ser novamente presa.[4]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Ayat Hassan's Verdict to Be Issued next June 12». Bahrain News Agency. Bna.bh. 
  2. Patrick Cockburn (2 de junho de 2011). «Locked up for reading a poem» (em inglês). The Independent. 
  3. «Aayat Al-Qormozi - Presa por ter escrito um poema (Ação Encerrada)». Anistia Internacional. Amnistia-internacional.pt. Junho de 2011. 
  4. Nic Robertson (12 de junho de 2011). «Bahrain tries ex-lawmakers, imprisons poet» (em inglês). CNN. Consultado em 14 de julho de 2011. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.