Bárbara Gordon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Batgirl
2062307-batgirl2011 large.jpg
Dados da publicação
Publicado por DC Comics
Primeira aparição Como Batgirl:
Detective Comics #359
(Janeiro de 1967)
Como Oráculo:
Suicide Squad (Vol. 1) #23
(Janeiro de 1989)
Criado por Gardner Fox
Carmine Infantino
Características do personagem
Alter ego Barbara "Babs" Gordon
Afiliações Bat-Família
Aves de Rapina
Liga da Justiça
Esquadrão Suicida Corporação Batman, Canário Negro
Parentesco James Gordon (pai)
Barbara Kean (mãe)
Sarah Essen (madrasta)
James Gordon (irmão)
Dick Grayson (namorado)
Inimigos Coringa
Situação presente Ativa
Codinomes conhecidos Batgirl
Habilidades Intelecto genial, hacker excepcional, memória fotográfica, grande detetive, bailarina e artista marcial.
Projecto Banda desenhada  · Portal da Banda desenhada

Bárbara Gordon é uma personagem fictícia da empresa norte-americana de Quadrinhos (banda desenhada, em Portugal) DC Comics. Bárbara atuou como a super-heróina conhecida por Batgirl de 1967 até 1988, quando passou a ser conhecida por Oráculo, manto que ela abandonou quando voltou a andar, em seguida voltando a ser a Batgirl.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Batgirl[editar | editar código-fonte]

A bibliotecária Bárbara Gordon estreou nos quadrinhos em Detective Comics #359 (1967) como filha do Comissário de Polícia da cidade de Gotham City, James Gordon. Em suas aventuras originais durante a Era de Prata, Batgirl era uma alegre e inexperiente versão feminina de Batman. Depois de várias aparições como coadjuvante em Batman, ela recebeu a sua própria tira em Detective Comics. Isso permitiu que a ela deixasse de ser uma tímida versão de Bárbara Gordon e, rapidamente, passasse a ser uma personagem mais moderna e confiante, a qual os amigos passaram a chamar de “Babs”. Desprovida de seus óculos e seus “coques”, Bárbara começou a ter uma série de encontros, o que viria a ser uma sucessão de namorados, sendo os mais populares: Jason Bard, veterano da guerra do Vietnã (que mais tarde virou investigador particular) e Dick Grayson, nessa época ainda usando o manto de Robin.

Bárbara provou ser bastante popular quando seus leitores passaram a mandar pedidos para que fizesse mais participações especiais em outros títulos. Além de aparecer várias vezes em Batman e Detective Comics, Batgirl participou também de World's Finest Comics, onde veio a encontrar Superman, Supergirl, Bat-Mirim e Mxyzptlk, pela primeira vez. Ela também lutou ao lado da Liga da Justiça contra a vilã Abelha Rainha. Babs encontrou Supergirl novamente em Adventure Comics #381, quando as duas heroínas investigaram separadamente um grupo criminoso formado por mulheres.

Batgirl nos anos 70 e 80[editar | editar código-fonte]

Suas histórias eram publicadas esporadicamente em Detective Comics até a metade dos anos 70. Durante esse tempo, Bárbara revelou sua identidade secreta para seu pai (que já tinha descoberto isso por conta própria). Os dois concorreram e venceram as eleições para a Câmara dos Deputados dos EUA. Eles se mudaram para Washington e ela planejou largar sua carreira de Batgirl.

Os fãs e o editor Julius Schwartz não queiram que ela se fosse e, por isso, Batgirl retornou em Superman #268, onde Bárbara Gordon teve um encontro às cegas com Clark Kent, estabelecendo uma amizade entre eles e também permitindo que Batgirl lutasse ao lado do Superman, posteriormente. Eles atuaram juntos novamente em Superman #279 e em DC Comics Presents #19. Em Superman Family #171, Babs atuou novamente com Supergirl, personagem a qual Bárbara passou a ser muito ligada.

Batman Family[editar | editar código-fonte]

Em 1975 a DC Comics criou a revista Batman Family, que só durou 20 edições. Batgirl foi uma das estrelas da revista, onde freqüentemente atuava com Robin. Nesse período, surgiu a grande amizade entre Dick e Bárbara. Por isso, logo em seguida, eles revelaram suas identidades um ao outro.

Bárbara conheceu a Batwoman em Batman Family #10, quando a super-heroína retornou a sua carreira no combate ao crime. A dupla enfrentou o Mariposa Assassina e o Cavaleiro. Mais tarde, as duas revelaram suas identidades secretas, tornando-se amigas um tempo depois. Além disso, atuaram mais duas vezes em Batman Family e foram companheiras de equipe nos Combatentes da Liberdade.

Na edição 17, Bárbara conhece Helena Wayne, a Caçadora da Terra 2.

Quando a revista acabou, seu conceito uniu-se ao de Detective Comics, começando com a edição #481 (1979), onde Batgirl continuou suas aventuras. Mesmo depois que o conceito Batman Family deixou Detective Comics, Batgirl continuou como atração secundária até a edição #519 (1982). Durante esses anos, ela retornou a Gotham e retomou seu emprego, enquanto combatia vários criminosos menores. Supergirl visitou Gotham nesse período e, novamente, as duas atuaram juntas em uma aventura. Um tempo depois, Bárbara ficou gravemente ferida ao levar um tiro de Cormorant em uma de suas aventuras, resultando numa crise de fé e uma outra pausa na carreira de vigilante mascarada. Mas, depois de uma conversa com Batman, ela voltou à ativa, capturando o vilão que quase lhe tirou a vida.

Depois do ocorrido, retornou à sua vida de Batgirl. Porém, cada vez mais Bárbara sentia-se inútil em mundo repleto de heróis e vilões superpoderosos. Ela expressou essas dúvidas à Supergirl durante a Crise nas Infinitas Terras, repetindo sua dúvida durante o enterro de sua amiga, no fim da Crise. Finalmente, após capturar Cormorant novamente em Batgirl Special #1 (1988), Bárbara retirou-se de sua vida de vigilante mascarada, vindo a atuar ocasionalmente em situações especiais.

Crise nas Infinitas Terras[editar | editar código-fonte]

A Crise nas Infinitas Terras mudou a continuidade do Universo DC de várias maneiras.

Na nova continuidade, Bárbara passou a ser a filha de Roger e Thelma Gordon e sobrinha de Jim Gordon. Quando seus pais morreram, Bárbara, ainda pré-adolescente, mudou-se de Chicago para Gotham City, para viver com seu tio Jim, sua tia Bárbara e o filho do casal, James. Antes da Crise, a Barbara parecia ser mais velha que o Dick Grayson, mas depois os dois passam a ter a mesma idade. Há alguns anos, entretanto, em Batman: Gotham Knigts #06, Bárbara descobriu que Jim Gordon teve um caso com sua mãe, antes de ela casar-se com Roger e, por isso, há uma grande chance de Jim ser o pai biológico de Bárbara (embora ele não saiba disso). Além disso, nessa nova versão, a Dupla Dinâmica teve um papel mais significativo em seu treinamento. Na mini-série em nove partes chamada Batgirl: Ano Um é mostrado uma parte desse treinamento e mais alguns detalhes que foram acrescentados à cronologia da personagem. A única menção ao tempo em que Bárbara foi Deputada na fase Pré-Crise, foi em uma aparição especial em Rapina e Columba #22-#24 (1991) e, desde então, nunca mais comentou-se nada a respeito.

A Supergirl Pós-Crise não aterrissou na Terra até Bárbara já estar estabelecida como Oráculo. Além disso, Bárbara e Dick Grayson foram namorados por algum tempo, no passado. Bárbara também se envolveu com Jason Bard, que agora não era mais um veterano da guerra do Vietnã, mas sim um ex-policial e, atualmente, investigador particular.

Oráculo[editar | editar código-fonte]

Em Batman: A Piada Mortal (graphic novel escrita por Alan Moore), Coringa põe em prática um plano que, segundo ele, deixaria James Gordon louco. A ideia era provar que até o cidadão mais equilibrado é capaz de enlouquecer. Parte do plano consistia em atirar em Bárbara. Então, Coringa vai até a casa de James e atira em Bárbara, quando ela vai atender a campainha. Após o atentado, Coringa a despiu e tirou fotos da heroina. A bala atingiu a espinha de Bárbara, que veio a ficar paraplégica e interrompendo sua carreira de Batgirl [1].

Unindo sua grande inteligência com sua memória fotográfica, seu vasto conhecimento sobre computadores e eletrônicos, suas habilidades de hacker e seu treinamento como bibliotecária, Bárbara assumiu a identidade de Oráculo. Agora ela atuava como uma corretora de informações, as reunindo e disseminando para agências da lei e para a comunidade dos super-heróis. Mais tarde, ela foi treinada por Richard Dragon em uma arte marcial que utiliza-se de bastões, para que Bárbara pudesse combater em sua cadeira de rodas.

Inicialmente, Bárbara utilizou a identidade de Oráculo para auxiliar seu pai em um caso de assassinato extremamente complicado. Mais tarde, ela participou do Esquadrão Suicida, por um tempo. Durante esse período, ela se mudou para a prisão Belle Reve, em Louisiana, onde trabalhou usando o nome de Amy Beddoes. Novamente, Bárbara se muda, mas agora ela volta para Gotham, onde, frequentemente, ajuda Batman, os vigilantes de Gotham e vários outros heróis. Por isso, ela é convidada a participar da Liga da Justiça, sendo um membro ativo por muito tempo, fazendo o serviço de informação e comunicação da equipe. Atualmente, ela está como status de membro reserva.

Aves de Rapina[editar | editar código-fonte]

Bárbara formou um grupo de super-heroínas que ela contratou como suas agentes. Sua primeira agente foi a Poderosa. Poderosa deixou de trabalhar com Oráculo depois do desastroso caso no Qurac, que teve como consequência várias mortes. Depois, Bárbara reagrupou e uniu forças com Canário Negro que, além de se tornar uma grande parceira, tornou-se, também, sua melhor amiga. Mais tarde, Helena Bertinelli, a Caçadora foi introduzida na equipe. E, por fim, Lady Falcão Negro foi a última integrante a ingressar.

Nova Batgirl[editar | editar código-fonte]

Durante a história Terra de Ninguém, Bárbara registrava tudo oque acontecia em Gotham e empregava vários adolescentes para serem seus olhos e ouvidos. Um desses adolescentes era Cassandra Cain que posteriormente salvou a vida de Jim Gordon. Vendo que Cassandra era uma ótima artista marcial e percebendo que Batman precisava de todos aliados que pudesse ter, Bárbara permitiu que ela se tornasse a Batgirl e passou a treiná-la, passando a ser ser a guardiã de Cassandra. Visto que a menina foi treinada por seu pai David Cain que não a ensinou nada mais do que apenas lutar e tendo como único objetivo se tornar uma arma letal.

Retorno[editar | editar código-fonte]

Começando os Novos 52, Bárbara Conseguiu recuperar novamente os movimentos das pernas e retornou a sua carreira como Batgirl. Após a troca de elenco da sua revista semanal, Bárbara se mudou para Burnside onde mora com sua amiga Frankie e agora passa a atuar principalmente na cidade onde passa a construir uma vida tanto para si, quanto para a popular Batgirl que acaba virando uma celebridade em Burnside.

Relacionamentos[editar | editar código-fonte]

Seu relacionamento mais notável foi ao lado de Dick Grayson, o primeiro Robin e atual Asa Noturna, onde ambos viveram altos e baixos e um "Chove não Molha" desastroso. Foram parceiros de equipe e agora mantém um relacionamento de amigos, apesar de muitas pessoas considerar uma amizade colorida. Em Grayson #20(Novos 52) quando Dick foi possuído pelo doutor dédalo, foi revelado a Helena Bertinelli que a única mulher que Dick Grayson realmente amou e ainda ama foi Bárbara Gordon e que ela era muito mais bonita que Helena.

Os Novos 52[editar | editar código-fonte]

Após a DC Comics reiniciar suas histórias, Bárbara teve seu retorno triunfal ao posto de Batgirl quando recuperou os movimentos de suas pernas e então passou novamente a proteger Gotham City. Nesta continuidade, Bárbara tem um irmão chamado James Gordon Junior que a odeia por ser perfeita e ser sempre o centro das atenções das pessoas ao seu redor.

No Arco "Morte da Família", o Coringa diz que sabe a identidade de todos os membros da Bat-Familia e os expõe as seus piores pesadelos. Sem saber que quem está por baixo da máscara de morcego é a garota que ele aleijou a quase três anos atrás, o palhaço pede a Batgirl em casamento e a entrega uma aliança junto com o dedo da ex-esposa do comissário Gordon, o dedo da mãe de Bárbara. Quando consegue escapar do Coringa, Batgirl se envolve numa briga com seu irmão James e logo descobre que ele ajudou o palhaço insano, ela é apagada e quando desperta ela está na Bat-Caverna ao lado de seu mestre Batman, seu até então ex-namorado Dick Grayson, os dois antigos Robins Jason Todd e Tim Drake e o atual Robin, Damian Wayne. Eles escapam e o Coringa cai numa cachoeira, logo declarado como morto. Logo depois é encontrado o caderno que o Coringa afirma que tinha os nomes civis da Bat-Familia, só que ele estava em branco.

Além de estar cautelosa e mais esperta, é mostrado que agora Bárbara se coloca em primeiro lugar e fará de tudo para continuar sendo a Batgirl, e isso fica bem á mostra quando James Junior sequestra sua mãe e diz que fará Bárbara voltar para a cadeira de rodas. Ele tenta matar sua própria mãe só que é impedido quando a Batgirl decide matá-lo de uma vez por todas.

"A partir de agora eu sou filha única"-declara e joga um Batarang no olho de seu irmão que em seguida cai ao mar e desaparece. Seu pai, o comissário Gordon chega no momento e presencia a morte de seu filho assassinado pela Batgirl, ele a dá uma ordem de prisão, mas a heroína foge.

Á partir deste momento é iniciado o arco "Batgirl Procurada", onde Bárbara presencia a raiva de seu pai pela heroina e quando ela vai salvar seu namoradinho marginal da polícia, ele é assassinado pelo comissário na sua frente. Como Batgirl, ela é confrontada por seu pai e quando ela tira a máscara para revelar a sua verdadeira identidade, ele a impede e diz que não quer saber. Entendendo que James era um psicopata, o comissário Gordon dá uma abertura para a Batgirl fugir dos policiais e diz que a partir de agora o mandado de prisão seria retirado.

Depois de se unir temporariamente a nova formação das Aves de Rapina, formada por sua melhor amiga Canário Negro e depois de saber da "morte" do Asa Noturna, cuja identidade era Dick Grayson, Bárbara fez uma aliança com a Mulher-Gato e ambas derrotaram os "Donos" da órfã, uma super assassina que logo decidiu se tornar uma heroína e se redimir pelos seus pecados.

Outras mídias[editar | editar código-fonte]

Na série de TV de "Batman" dos anos 60, a personagem foi interpretada por Yvonne Craig.

Em 1997, no filme "Batman e Robin", a Batgirl foi interpretada por Alicia Silverstone, onde foi feita uma alteração na identidade da personagem, passando a se chamar Barbara Wilson, sobrinha de Alfred, mordomo do milionário Bruce Wayne.

Em 2002, foi interpretada por Dina Meyer na série de televisão produzida para a Warner, chamada Birds of Prey.[2] Na série a personagem Barbara Gordon, outrora Batgirl, já se encontra paraplégica e assumindo a identidade de "Oráculo". A atriz aparece na série como Batgirl em alguns flashbacks da personagem.

Em 2008, no filme The Dark Knight o Comissário Gordon tem uma mulher, um filho e uma filha que aparece brevemente com 9 ou 10 anos de idade, interpretada por Hannah Gunn. Gary Oldman e Christopher Nolan revelaram que ela se chama Bárbara.Em Jogos ela já apareceu na franquia Lego Batman Mas com a maior participação em Lego Batman 3,Também em a franquia Arkham e Injustice: Gods Among us.

Em 2016, tem participação na webserie Asa Noturna mostrando se como interesse amoroso do mesmo. Ap

Ícone de esboço Este artigo sobre banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Referências

  1. MONTEIRO, Rodrigo. Omelete. Batman: A piada mortal
  2. BORGO, Érico. Birds of prey estréia com sucesso Omelete