Bário

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pix.gif Bário Stylised atom with three Bohr model orbits and stylised nucleus.svg
CésioBárioLantânio
Sr
  Cubic-body-centered.png
 
56
Ba
 
               
               
                                   
                                   
                                                               
                                                               
Ba
Ra
Tabela completaTabela estendida
Aparência
cinza prateado

Informações gerais
Nome, símbolo, número Bário, Ba, 56
Série química metal alcalinoterroso
Grupo, período, bloco 2 (IIA), 6, s
Densidade, dureza 3510 kg/m3, 1,25
Número CAS 7440-39-3
Número EINECS
Propriedade atómicas
Massa atômica 137,327(7) u
Raio atómico (calculado) 222 pm
Raio covalente 215±11 pm
Raio de Van der Waals 268 pm
Configuração electrónica [Xe] 6s2
Elétrons (por nível de energia) 2, 8, 18, 18, 8, 2 (ver imagem)
Estado(s) de oxidação 2 (óxido fortemente alcalino)
Óxido
Estrutura cristalina cúbica centrada no corpo
Propriedades físicas
Estado da matéria sólido
Ponto de fusão 1000 K
Ponto de ebulição 2170 K
Entalpia de fusão 7,75 kJ/mol
Entalpia de vaporização 142 kJ/mol
Temperatura crítica  K
Pressão crítica  Pa
Volume molar m3/mol
Pressão de vapor 100 Pa a 1185 K
Velocidade do som 1620 m/s a 20 °C
Classe magnética paramagnético
Susceptibilidade magnética
Permeabilidade magnética
Temperatura de Curie  K
Diversos
Eletronegatividade (Pauling) 0,89
Calor específico J/(kg·K)
Condutividade elétrica 3 x 106 S/m
Condutividade térmica 18,4 W/(m·K)
Potencial de ionização 502,9 kJ/mol
2º Potencial de ionização 965,2 kJ/mol
3º Potencial de ionização 3600 kJ/mol
4º Potencial de ionização kJ/mol
5º Potencial de ionização kJ/mol
6º Potencial de ionização kJ/mol
7º Potencial de ionização kJ/mol
8º Potencial de ionização kJ/mol
9º Potencial de ionização kJ/mol
10º Potencial de ionização kJ/mol
Isótopos mais estáveis
iso AN Meia-vida MD Ed PD
MeV
130Ba0,106%estável com 74 neutrões
132Ba0,101%estável com 76 neutrões
133BaSintético10,51 aε0,517133Cs
134Ba2,417%estável com 78 neutrões
135Ba6,592%estável com 79 neutrões
136Ba7,854%estável com 80 neutrões
137Ba11,232%estável com 81 neutrões
138Ba71,698%estável com 82 neutrões
Unidades do SI & CNTP, salvo indicação contrária.

O bário (do grego "barýs", pesado) é um elemento químico de símbolo Ba, número atômico 56 (56 prótons e 56 elétrons) com massa atómica 137 u. À temperatura ambiente, o bário encontra-se no estado sólido.

O bário é um elemento químico tóxico, macio, de aspecto prateado, com alto ponto de fusão pertencente a família dos metais alcalino terrosos. É encontrado no mineral barita, não sendo encontrado livre na natureza, devido a sua elevada reatividade.

Os compostos deste metal são usados em pequenas quantidades para a produção de tintas e vidros. Também é usado foguetes pirotécnicos.

Foi descoberto em 1808 pelo inglês Humphry Davy.

Características principais[editar | editar código-fonte]

O bário é um elemento metálico quimicamente semelhante ao cálcio, contudo é macio e, na forma pura, apresenta aspecto branco prateado semelhante ao chumbo. Este metal oxida-se muito facilmente quando exposto ao ar e é altamente reativo com água ou álcool. Alguns dos compostos de bário são notáveis pela elevada massa específica, como o sulfato de bário, BaSO4 (barita).

Aplicações[editar | editar código-fonte]

O bário é usado principalmente em velas de ignição, tubos de vácuo, foguetes pirotécnicos, e em lâmpadas fluorescentes.

Outros usos:

História[editar | editar código-fonte]

O bário (do grego "barys" que significa "pesado") foi primeiramente identificado em 1774 por Carl Scheele num minério de espato denominado "pedra de Bolonha" (baritina), do qual extraiu um mineral de sulfato insolúvel em água. Devido a sua elevada densidade este mineral foi chamado de "barote" por Guyton de Morveau, mudado por Antoine Lavoisier para barita. O bário foi isolado em 1808, pela eletrólise do cloreto de bário, por Sir Humphry Davy na Inglaterra.

Ocorrência[editar | editar código-fonte]

Como o bário é facilmente oxidado pelo ar, é difícil obter este metal na forma pura. É encontrado e extraído da barita, que é o sulfato de bário cristalizado. O bário é produzido comercialmente pela eletrólise do cloreto de bário fundido (BaCl2)

(cátodo): Ba2+ + 2elétrons ⇒ Ba

(anodo): 2 Cl- - 2 elétrons ⇒ Cl2 gasoso

O bário também pode ser obtido pela redução do óxido de bário com silício, no vácuo, a 1200 °C.

Compostos[editar | editar código-fonte]

Os compostos mais importantes do bário são: peróxido, cloreto, sulfato, carbonato, nitrato, e clorato.

Quando queimados produzem chamas verdes.

Isótopos[editar | editar código-fonte]

São conhecidos 22 isótopos de bário. O bário natural é uma mistura de 7 isótopos estáveis. Os demais são altamente radioativos com meias vidas de milissegundos até minutos. A única exceção é o Ba-133 que apresenta uma meia-vida de 10,51 anos.

Precauções[editar | editar código-fonte]

Os compostos de bário quando dissolvidos em água são extremamente venenosos. O sulfato de bário pode ser usado em medicina, por via oral, como contraste porque não se dissolve e por ser eliminado rapidamente pelo trato digestivo. Não se deve confundir com o sulfeto de bário, pois este é solúvel em água e pode causar a morte do paciente.

A oxidação do bário ocorre muito facilmente e, para permanecer puro, deve ser mantido imerso em líquidos derivados de petróleo (como a querosene) ou outro líquido isento de oxigênio e ar.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Bário