Orientais (Tolkien)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Bór)
Ir para: navegação, pesquisa

Os Orientais da Primeira Era, na obra de Tolkien, eram Homens que viviam no leste da Terra-média, e geralmente lutavam ao lado de Morgoth. Eram diferentes dos Orientais de Eras posteriores.

Sua primeira aparição se deu no fim da Primeira Era, quando algumas tribos de humanos entraram em Beleriand por Eriador, passando para o norte perto das Ered Luin, as Montanhas Azuis.

"Eram baixos e atarracados, com braços longos e fortes, e lhes crescia muito pêlo no rosto e nos peitos. Seus cachos eram escuros, como seus olhos, e sua pele era amarelada ou morena. Mas não eram todos de uma mesma estirpe, nem em aparência ou humor, nem na língua que falavam. Não eram indecentes e eram honestos nos negócios; alguns eram sombrios e desagradáveis, e de pouca confiaça. Faziam parte de muitas casas, e entre elas havia pouco afeto."

A razão principal por terem migrado era o rumor de riqueza e paz em Beleriand, como foi durante o Cerco a Angband, mas muitos Orientais viajaram sob comando de Morgoth, o Lorde das Trevas, pois ele havia secretamente corrompido algumas tribos. Os Anões das Montanhas Azuis reportaram ao Senhor Élfico Maedhros da vinda dos Orientais. Maedhros então decidiu fazer uma aliança com eles na esperança de derrotar Morgoth, e os deu vastas terras em Lothlann e no Leste de Beleriand até o sul das terras de Maedhros. O mais poderoso de seus capitães com maior número de seguidores e mais autoridade eram Bór e Ulfang; seus discípulos foram treinados para a guerra pelos Filhos de Fëanor, e mais pessoas de seu povo de Eriador foram convocadas.

A Casa de Bór[editar | editar código-fonte]

O povo de Bór que permaneceu em Eriador parecem ser os ancestrais dos Forodwaith e dos Lossoth na Segunda Era e na Terceira Era. Os filhos de Bór eram Borlach, Borlad e Borthand, e seu povo jurou fidelidade a Maedhros e a Maglor, assim permanecendo, e acabando com as esperanças de Morgoth. Durante a Nirnaeth Arnoediad, a Batalha das Lágrimas Incontáveis, eles lutaram ao lado dos Elfos e Humanos, e após a traição de Ulfang os filhos de Bór mataram Ulfang e Ulwarth, mas eles mesmos, junto com seu povo, foram eliminados.

A Casa de Ulfang[editar | editar código-fonte]

Ulfang era pai de Ulfast, Ulwarth e Uldor, o Maldito. Ulfang também fora bem recebido pelos Filhos de Fëanor, e seu povo jurou fidelidade a Caranthir. Ulfang e seus filhos tinham uma aliança secreta com Morgoth, e traíram os Elfos e Humanos durante a Nirnaeth Arnoediad, no que mais tarde foi chamado de Traição dos Homens.

Antes do começo da batalha, Uldor, o líder da traição, enganou Maedhros com um falso aviso sobre o ataque de Angband e dificultou o avanço das tropas. Quando a batalha se iniciou, uma parte do povo de Uldor fugiu com medo, mas a maioria, foi para jundo de Morgoth. As hostes de Maedhros ficaram confusas e falhas, embora todos os filhos de Ulfang, que morreu posteriormente, tenham sido assassinados.

Invasores de Hithlum[editar | editar código-fonte]

Os traidores, o povo de Ulfang, também foi traído por Morgoth, seu Senhor, que prometera vastas terras em Beleriand para eles, mas os mandou acomodarem-se nas frias terras de Hithlum e os proíbiu de sair de lá. Lá eles saquearam e violentaram os remanescentes da Casa de Hador, em sua maioria idosos, mulheres e crianças; os que podiam trabalhar foram escravizados, os outros, abandonados à fome. Muitas mulheres da Casa de Hador se casaram à força.

Ver também[editar | editar código-fonte]