BR-101

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
BR-101 (oficial).svg
BR-101
Rodovia Governador Mário Covas
(nome oficial, Lei nº 10.292/2001[1] )
"Rodovia Translitorânea"
Mapa da BR-101.jpg
Extensão 4 772,4 km (2 996,1 mi)
Inauguração 1957 (trecho Curitiba - Florianópolis)
década de 1950 (trecho Florianópolis - Torres)
década de 1960/70 (trecho Torres - Parnamirim)
década de 1980 (Rodovia Rio-Santos)
década de 1950/60 (Trecho Rio - Salvador)
1988(duplicação Curitiba - Florianópolis)
2009 (duplicação Florianópolis - Osório)
1958 (Salvador - Touros)
2002 (Duplicação Salvador - Touros)
Tipo Rodovia Longitudinal
Limite norte Touros, Rio Grande do Norte
Interseções
Limite sul São José do Norte, Rio Grande do Sul
Concessão Autopista Litoral Sul, Eco101, Ecoponte, Autopista Fluminense
Lista de rodovias do Brasil

A BR-101 é uma rodovia federal, longitudinal do Brasil. Seu ponto inicial está localizado na cidade de Touros (Rio Grande do Norte) e o final na cidade de São José do Norte (Rio Grande do Sul).

Construida pelo Exército Brasileiro, atravessa doze estados brasileiros: Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Em toda sua extensão é denominada oficialmente Rodovia Governador Mário Covas.

Segue no sentido norte-sul por praticamente todo o litoral leste brasileiro, do Rio Grande do Norte ao Rio Grande do Sul. Tem dois trechos não construídos entre os municípios paulistas de Peruíbe e Iguape, e entre Cananeia (São Paulo) e Garuva (Santa Catarina). No trecho incompleto entre Peruíbe (SP) e Garuva (SC), a BR-101 é complementada pelas rodovias SP-55, BR-116 (Rodovia Régis Bittencourt) e BR-376.

A BR-101 é uma das mais importantes rodovias brasileiras.

Duplicações[editar | editar código-fonte]

Sudeste[editar | editar código-fonte]

Em 2009 foi aberta ao público a duplicação de 26 km entre Santa Cruz e Itacuruçá, trecho localizado no Estado do Rio de Janeiro, próximo à capital. O trecho da Rio-Santos entre Itacuruçá e Paraty com promessa de duplicação ainda não saiu do papel por Burocracia dos governos Estadual e Federal, e por questões ambientais, pois a estrada passa por áreas de mata atlântica em uma região espremida entre a Serra do Mar e o Oceano Atlântico. O trecho Urbano compreendido como Av. Brasil têm 58 km e é todo duplicado e é administrado pelo município do Rio de janeiro e termina próximo ao início da Ponte Rio Niterói. Seguindo pela Ponte Rio-Niterói que tem um pouco mais de 13 km de extensão sobre a Baía de Guanabara a rodovia tem pilares de até 72 metros de altura sobre o mar e possui pistas duplas com 4 faixas em cada lado. Neste trecho de ponte ela é administrada pelo Grupo CCR. A rodovia continua com pista dupla até o município de Rio Bonito com 59 km desde o fim da Ponte Rio Niterói. O trecho entre Rio Bonito e Campos dos Goytacazes está em processo de duplicação e abrangerá 176,6 km de pistas duplicadas. O Trecho de 20 km entre Macaé e Conceição de Macabu já foi duplicado. Mais 13 km entre os quilômetros 105 e 118 da região de Campos dos Goytacazes foram liberados recentemente. E o Grupo Arteris, a concessionária que administra a Br-101 dentro do estado do Rio de Janeiro no trecho entre a Ponte Rio Niterói e a divisa com o estado do Espírito Santo ratificou a duplicação de mais de 25 km, sendo 10 km na região de Campos dos Goytacazes e 15 km entre Casimiro de Abreu e Silva Jardim até o final do ano de 2014, somando 58 km de pistas duplicadas na Br-101 Rio de Janeiro trecho Norte. A Br-101 tem cerca de 599 km de extensão dentro do estado do Rio de Janeiro, entre a divisa com o Espírito Santo ao norte e a Divisa com o Estado de São Paulo ao Sul. É a mais extensa rodovia federal dentro do estado do Rio de Janeiro.

Trecho paulista da BR-101 (que atualmente se encontra sob administração do Estado de São Paulo, sob a sigla SP-55), de 172 km, entre Ubatuba e Bertioga, será duplicada a partir de 2013.[2] No trecho de 49,1 km entre Ubatuba e a divisa com o estado do Rio de Janeiro ela é denominada de Rodovia Governador Mário Covas sob a Sigla BR-101.

Em 17 de abril de 2013 a Justiça liberou o início de obras na BR-101 no estado do Espírito Santo, para ser explorado e duplicado pela EcoRodovias (ECO101)[3] .

Sul[editar | editar código-fonte]

O trecho entre Curitiba e Florianópolis, de 312 km, foi totalmente duplicado no Governo FHC (Fernando Henrique Cardoso).[4] [5] . O trecho entre a divisa entre Paraná/Santa Catarina e Florianópolis, de aproximadamente 200 km, foi totalmente duplicado no final dos anos 1990. Já o trecho complementar (BR-376, entre a divisa Paraná/Santa Catarina (em Garuva-SC e Curitiba), foi duplicado pelo governo do estado do Paraná (administração Roberto Requião) entre 1994 e 1995.

Desde 2005 encontra-se em duplicação o trecho que liga Palhoça (SC) a Osório (RS), de 350 km. Ainda não concluído. O trecho gaúcho já está todo duplicado. Três trechos catarinenses ainda não foram concluídos: dois próximos ao Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, entre Palhoça e Imbituba, e o trecho entre Laguna, Tubarão e Jaguaruna. A duplicação da BR-101 catarinense atingiu 93% de conclusão em 2014, sendo 234 quilômetros de pista duplicada, entre Passo de Torres e Palhoça. Faltam ainda duplicar 14,5 quilômetros (10 quilômetros em Laguna, dois quilômetros em Tubarão e outros 2,5 quilômetros em Morro dos Cavalos, em Palhoça). Os 88,5 quilômetros do trecho gaúcho foram entregues em fevereiro de 2011.[6]

Nordeste[editar | editar código-fonte]

Encontra-se em duplicação, desde 2005, o trecho da BR-101 no Nordeste, entre Natal e Salvador. Ainda não concluído, com previsão de término em 2016.[7] [8] O trecho entre Natal (RN) e Palmares (PE), de 404 km de extensão (sendo que cerca de 70 km que cortam a Região Metropolitana do Recife já eram duplicados antes de 2005) já se encontra duplicado. Os trechos entre Palmares e a divisa Pernambuco-Alagoas, assim como os trechos nos estados de Alagoas e Sergipe, encontram-se com obras em ritmo lento, sem previsão de término. No estado do Sergipe, o trecho entre Aracaju e Estância, de 67 km, está com a duplicação praticamente concluída. O trecho baiano da BR-101 teve apenas a ordem de serviço assinada em 2014, com previsão de conclusão em 2016. Foram assinadas quatro lotes das obras da BR-101, os quais deverão ser executados simultaneamente. Terá 165,4 quilômetros e parte de Feira de Santana até a fronteira com o estado de Sergipe. Outra parte será duplicada até a fronteira com o Espírito Santo.

Percurso[editar | editar código-fonte]

Serve, dentre outras, às seguintes cidades:

Visão noturna da BR-101 na saída de Natal (RN).

O trecho entre Natal e a divisa com a Paraíba, denominado localmente como BR-101 sul, encontra-se totalmente duplicado.

Rio Grande do Norte[editar | editar código-fonte]

Paraíba[editar | editar código-fonte]

Trecho da BR-101 na divisa entre os estados da Paraíba e do Rio Grande do Norte.

Pernambuco[editar | editar código-fonte]

Encontra-se em fase final de duplicação o trecho da divisa com a Paraíba até Palmares. O trecho referente ao contorno de Recife, embora duplicado necessita de reparos e melhorias, a licitação realizada para sua recuperação não obteve propostas.[9]

O trecho de aproximadamente 25 km, entre o acesso a Catende, no município de Palmares, e a divisa com Alagoas, foi licitado em dezembro de 2009[10] e as obras estão em fase inicial. .

Alagoas[editar | editar código-fonte]

A para fins de duplicação a BR-101, no estado de Alagoas, foi dividida em seis lotes, dos quais cinco já foram licitados[12] [13] e as obras em fase inicial. O sexto lote será executado pelo 2º Batalhão de Engenharia de Construção do Exército Brasileiro.[14]

Sergipe[editar | editar código-fonte]

Bahia[editar | editar código-fonte]

O trecho desde a divisa de Sergipe até o entroncamento com a BR-324, em Feira de Santana foram licitados em agosto de 2014. O trecho entre Eunápolis e Mucuri, na divisa com o Espírito Santo será licitado em setembro de 2014.[7] [8]

Espírito Santo[editar | editar código-fonte]

O trecho da BR-101 ES de 475,9 km é administrado pela concessionária ECO101 desde 2013.

A BR 101, trecho da BR-101 Norte ES saída da Região Metropolitana de Vitória

Rio de Janeiro[editar | editar código-fonte]

A Ponte Rio-Niterói, trecho da BR-101 sobre a Baía de Guanabara entre as cidades do Rio de Janeiro e de Niterói (RJ).

São Paulo[editar | editar código-fonte]

Paraná[editar | editar código-fonte]

  • O trecho no estado do Paraná não existe. O acesso ao restante da rodovia em Garuva no estado de Santa Catarina é feito passando pelas rodovias SP-226, BR-116 (até Curitiba) e BR-376 (entre Curitiba e a divisa com o estado de Santa Catarina).
    • Antonina - uma das cidades onde passaria o trecho "planejado" da rodovia.

Santa Catarina[editar | editar código-fonte]

BR-101 em Santa Catarina.

Rio Grande do Sul[editar | editar código-fonte]

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]