BSBIOS

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
BSBIOS
Logotipo da BSBios
Razão social Bsbios Indústria e Comércio de Biodiesel Sul Brasil S/A
Sociedade anônima fechada
Slogan Energia renovável
Atividade Petróleo
Fundação 15 de abril de 2005 (16 anos)
Sede BR 285 Km 294, Passo Fundo, Rio Grande do Sul
Locais Passo Fundo e Marialva
Proprietário(s) R.P. Biocombustíveis
Produtos Biodiesel
Website oficial bsbios.com

BSBIOS é uma empresa brasileira produtora de biodiesel. Pertencente à R.P. Biocombustíveis é subsidiária do ECB Group, do empresário Erasmo Carlos Battistella. Detém duas usinas em Passo Fundo, no Rio Grande do Sul, que produz 288 mil metros cúbicos por ano e outra em Marialva, no Paraná, com capacidade de produzir 414 mil metros cúbicos por ano.[1]

Em 20 de dezembro de 2019, foi anunciado que a Petrobras Biocombustíveis venderia sua parte na empresa em conjunto com sua sócia, R.P. Biocombustíveis,[2] negócio este concluído em 9 de fevereiro de 2021.[3]

História[editar | editar código-fonte]

Fundada em 15 de abril de 2005 na cidade de Passo Fundo a BSBIOS em 12 de junho de 2007, foi iniciada oficialmente a produção de biodiesel.[4]

A usina de Marialva, inaugurada em 14 de maio de 2010, foi adquirida pela Petrobras Biocombustíveis em 19 de novembro de 2009 por R$ 35,7 milhões. Seis meses depois, metade da empresa foi vendida por R$ 55 milhões para estatal.[5] A empresa tornou-se conhecida como "mini-Pasadena" após comentário do Ministro do TCU José Jorge. Uma auditoria realizada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) comprovou as suspeitas de sobrepreço na aquisição, pela Petrobras Biocombustível, de 50% de participação na usina de biodiesel de Marialva. O deputado Luís Carlos Heinze (PP-RS) também levantou suspeitas sobre o valor pago pelos ativos.

"Temos um levantamento, feito junto às empresas que atuam com biodiesel, que demonstram que fazer duas usinas do porte das que estão em Marialva e Passo Fundo custaria de R$ 180 milhões a 190 milhões. A Petrobras pagou R$ 255 milhões por 50% dessas duas. Nós entendemos que houve superfaturamento", disse o parlamentar à época da denúncia.

As suspeitas de sobrepreço foram confirmadas pela auditoria, segundo informou ao Valor uma fonte no TCU. "Foi investigado e a gente descobriu que era tudo verdade. O esquema é bem parecido (com Pasadena)", disse.

Referências

  1. «Petrobras inicia processo para vender fatia de 50% na BSBios Biodiesel». G1. 20 de dezembro de 2019. Consultado em 22 de dezembro de 2019 
  2. Corrêa, Douglas (22 de dezembro de 2019). «Petrobras Biocombustível venderá indústria de biodiesel no Sul do país». EBC. Agência Brasil. Consultado em 22 de dezembro de 2019 
  3. «Petrobras conclui venda da BSBios para RP Participações, por R$ 322 milhões». Valor Econômico. Consultado em 27 de fevereiro de 2021 
  4. «História». BSBIOS. Consultado em 22 de dezembro de 2019 
  5. «TCU pede explicações à Petrobras sobre compra de usinas no PR e RS». G1. 5 de novembro de 2014. Consultado em 22 de dezembro de 2019