Baba Vanga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo. Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, podendo ainda necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
Baba na Bulgária.

Baba Vanga (búlgaro: Ванга), nascida Vangelia Pandeva Dimitrova (Вангелия Пандева Димитрова), após o casamento Vangelia Gushterova (Вангелия Гущерова) (Estrúmica, Império Otomano, 31 de janeiro de 191111 de agosto de 1996), foi uma búlgara cega, mística, curandeira, e vidente que passou a maior parte sua vida na área de Rupite nas montanhas Kozhuh da Bulgária. Seus seguidores estavam convencidos de que ela possuía habilidades paranormais.[1] [2]

Vida[editar | editar código-fonte]

Vanga nasceu em Estrúmica, então, no Império Otomano, mais tarde consecutivamente no Reino da Bulgária, Reino da Iugoslávia, mais uma vez na Bulgária, Jugoslávia RFS e depois Macedónia. Durante a segunda anexação búlgara da região (1941-1944) mudou-se para Petrich, (então Bulgária).

Em sua infância, Vangelia era uma garota comum. Seu pai foi convocado para o exército búlgaro, durante a Primeira Guerra Mundial, e sua mãe morreu quando Vanga era muito jovem, o que significava que a moça dependeu dos vizinhos por um longo tempo. Vanga era inteligente, com olhos azuis e cabelos loiros. Suas inclinações começaram a aparecer quando ela mesma imaginava jogos e adorava brincar de "cura", ela prescria algumas ervas para seus amigos, que fingiam estar doente. Seu pai, sendo viúvo, casou-se com uma boa mulher, proporcionando assim uma madrasta para a filha.

Um ponto de viragem na sua vida foi uma tempestade que levantou Vanga e jogou-a no chão (esta alegação não foi comprovada com registros meteorológicos ou outros relatos até esse momento). Ela foi encontrada depois de uma longa busca, muito assustada, e seus olhos estavam cobertos de areia e poeira, por isso ela não conseguia abri-los por causa da dor. Nenhuma cura deu resultados. Havia dinheiro apenas para uma operação parcial,sendo assim, sua visão estava falhando.

Em 1925 Vanga foi levada a uma escola para cegos na cidade de Zemun (Sérvia), onde passou três anos e lhe foi ensinado a ler Braille, a tocar piano, assim como fazer tricô, cozinhar e limpar. Após a morte de sua madrasta, ela teve que voltar para casa para cuidar de seus irmãos mais novos. Sua família era muito pobre, e ela tinha que trabalhar o dia todo.

Em 1939 Vanga contraiu pleurisia, embora tivesse sido bastante saudável em anos anteriores. O parecer do médico foi que ela iria morrer em breve, mas se recuperou rapidamente.

A casa de Vanga em Petrich

Durante a Segunda Guerra Mundial Vanga atraiu mais crentes, um número grande de pessoas à visitou, na esperança de obter uma resposta sobre se seus parentes estavam vivos, ou em busca do lugar onde eles morreram. Em 8 de abril de 1942 o czar búlgaro Boris III foi visitá-la.

Em 10 de maio de 1942 Vanga casou-se com Dimitar Gushterov, um homem de uma aldeia perto de Petrich. Pouco antes do casamento, Dimitar e Vanga mudaram-se para Petrich, onde logo se tornou conhecida. Dimitar foi posteriormente recrutado no exército búlgaro e teve de passar algum tempo na Bulgária, em seguida, anexa ao Norte da Grécia, mas em 1947, caiu no alcoolismo, e acabou por morrer em 1 de abril de 1962.

Vanga morreu em 11 de agosto de 1996. Seu funeral atraiu grandes multidões, incluindo muitos dignitários.

Cumprindo o último desejo de Vanga e seu testamento, sua casa em Petrich se transformou em um museu, que abriu suas portas em 5 de maio de 2008.

Referências

  1. «House of Bulgaria’s Baba Vanga opens to visitors» (em inglês). 26-03-2014. Consultado em 19-04-2014. 
  2. Rina (2013). Baba Vanga (em françês) Editions Astrée, Paris [S.l.] p. 176. ISBN 979-10-91815-03-01 Verifique |isbn= (Ajuda). 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Baba Vanga