Baba Vanga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, podendo ainda necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
Baba na Bulgária.

Baba Vanga (búlgaro: Ванга), nascida Vangelia Pandeva Dimitrova (Вангелия Пандева Димитрова), após o casamento Vangelia Gushterova (Вангелия Гущерова) (Estrúmica, Império Otomano, 31 de janeiro de 191111 de agosto de 1996), foi uma búlgara cega, mística, curandeira, e vidente que passou a maior parte de sua vida na área de Rupite, nas montanhas Kozhuh da Bulgária. Seus seguidores estavam convencidos de que ela possuía habilidades paranormais,[1][2] tendo previsto eventos como a Queda da União Soviética, o acidente nuclear de Chernobil, a data exata da morte de Josef Stalin, os Ataques de 11 de Setembro de 2001, a eleição de um presidente negro nos Estados Unidos e a vitória do xadrezista Veselin Topalov no torneio mundial de xadrez.[3][4] Também foi a primeira vidente contratada pelo governo por causa de seus dons.[5]

Vida[editar | editar código-fonte]

Vanga nasceu em Estrúmica, então, no Império Otomano, mais tarde consecutivamente no Reino da Bulgária, Reino da Iugoslávia, mais uma vez na Bulgária, Jugoslávia RFS e depois Macedónia. Durante a segunda anexação búlgara da região (1941-1944) mudou-se para Petrich, (então Bulgária).

Em sua infância, Vangelia era uma garota comum. Seu pai foi convocado para o exército búlgaro, durante a Primeira Guerra Mundial, e sua mãe morreu quando Vanga era muito jovem, o que significava que a moça dependeu dos vizinhos por um longo tempo. Vanga era inteligente, com olhos azuis e cabelos loiros. Suas inclinações começaram a aparecer quando ela mesma imaginava jogos e adorava brincar de "cura", ela prescria algumas ervas para seus amigos, que fingiam estar doente. Seu pai, sendo viúvo, casou-se com uma boa mulher, proporcionando assim uma madrasta para a filha.

Um ponto de viragem na sua vida foi uma tempestade que levantou Vanga e jogou-a no chão (esta alegação não foi comprovada com registros meteorológicos ou outros relatos até esse momento). Ela foi encontrada depois de uma longa busca, muito assustada, e seus olhos estavam cobertos de areia e poeira, por isso ela não conseguia abri-los por causa da dor. Nenhuma cura deu resultados. Havia dinheiro apenas para uma operação parcial,sendo assim, sua visão estava falhando.

Em 1925 Vanga foi levada a uma escola para cegos na cidade de Zemun (Sérvia), onde passou três anos e lhe foi ensinado a ler Braille, a tocar piano, assim como fazer tricô, cozinhar e limpar. Após a morte de sua madrasta, ela teve que voltar para casa para cuidar de seus irmãos mais novos. Sua família era muito pobre, e ela tinha que trabalhar o dia todo.

Em 1939 Vanga contraiu pleurisia, embora tivesse sido bastante saudável em anos anteriores. O parecer do médico foi que ela iria morrer em breve, mas se recuperou rapidamente.

A casa de Vanga em Petrich

Durante a Segunda Guerra Mundial Vanga atraiu mais crentes, um número grande de pessoas à visitou, na esperança de obter uma resposta sobre se seus parentes estavam vivos, ou em busca do lugar onde eles morreram. Em 8 de abril de 1942 o czar búlgaro Boris III foi visitá-la.

Em 10 de maio de 1942 Vanga casou-se com Dimitar Gushterov, um homem de uma aldeia perto de Petrich. Pouco antes do casamento, Dimitar e Vanga mudaram-se para Petrich, onde logo se tornou conhecida. Dimitar foi posteriormente recrutado no exército búlgaro e teve de passar algum tempo na Bulgária, em seguida, anexa ao Norte da Grécia, mas em 1947, caiu no alcoolismo, e acabou por morrer em 1 de abril de 1962.

Vanga morreu em 11 de agosto de 1996. Seu funeral atraiu grandes multidões, incluindo muitos dignitários.

Cumprindo o último desejo de Vanga e seu testamento, a sua casa em Petrich se transformou em um museu, que abriu as portas em 5 de maio de 2008.

Referências

  1. «House of Bulgaria's Baba Vanga opens to visitors» (em inglês). 26 de março de 2014. Consultado em 19 de abril de 2014 
  2. Rina (2013). Baba Vanga (em francês). [S.l.]: Editions Astrée, Paris. 176 páginas. ISBN 979-10-91815-03-01 Verifique |isbn= (ajuda) 
  3. Press Review, "Notes from History: Baba Vanga", by Lucy Cooper, in the Sofia Echo Mon 19 Dec 2005 [1]
  4. Joyce, Judith (2010). «Baba Vanga». The Weiser Field Guide to the Paranormal. San Francisco, CA: Red Wheel/Weiser. pp. 21–25. ISBN 978-1-57863-488-0. Consultado em 1 de janeiro de 2011 
  5. «Você já ouviu falar de Baba Vanga, que previu o fim do mundo em 5079?». Megacurioso. Consultado em 14 de março de 2017 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Baba Vanga