Bacillus de Döderlein

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Como ler uma infocaixa de taxonomiaBacille de Döderlein
Lactobacillus acidophilus vaginalis
[[Imagem:
Pap test abnormal
|280px|]]
Classificação científica
Reino: Bacteria
Filo: Firmicutes
Classe: Bacilli
Ordem: Lactobacillales
Família: Lactobacillaceae
Género: Lactobacillus
Espécie: Lactobacillus acidophilus

Definição[editar | editar código-fonte]

Bacillus de Döderlein

são bacilos da flora vaginal, que se nutrem de glicogênio, produzido por células contidas na vulva.[1]

Tais bacilos produzem ácido lático que é essencial para manter o pH da vagina ácido, ajudando a evitar que bactérias oportunistas se proliferem, causando doenças.

Fisiologia da flora vaginal[editar | editar código-fonte]

Como representantes das bactérias do ácido láctico ou das espécies Lactobacillaceae, esses Lactobacillus crescem anaerobicamente, mas aerotolerantes, ou seja, eles crescem na presença de oxigênio atmosférico, mas não necessitam de oxigênio para o seu metabolismo.Como os anaeróbios gram-positivos vaginais, eles são pleomórficos, aparecendo como bastonetes ou cocos.

O mecanismo crucial que impede os patógenos de supercrescer na superfície vaginal ( disbiose ) é o ambiente criado indiretamente pelos estrogênios cíclicos . Sob sua influência hormonal, o glicogênio é formado nos epitélios escamosos da mucosa vaginal. Por sua vez, o glicogênio é metabolizado pelos lactobacilos em ácido láctico (lactato), o que reduz o pH para o intervalo acídico (cerca de pH 3,8 a 4,4). Mas não é só a acidificação causada pelo "grupo bacteriano de Döderlein", mas também a citólise das células epiteliais da superfície de escoamento e a liberação de açúcares e a formação de ácido lático da dextrose.e maltose . Como a ocorrência de lactobacilos é dependente de estrogênio, sua concentração na infância e na menopausa é reduzida.

A produção de ácido lático parece ser essencial para a manutenção de um ecossistema saudável, independentemente das espécies bacterianas que possam estar presentes na vagina. O pH ácido resultante previne a proliferação excessiva de micro-organismos potencialmente patogênicos.Mas vale lembrar ainda que a predominância de Lactobacillus é benéfica para o hospedeiro, já que algumas espécies produzem peróxido de hidrogênio e bacteriocinas, fatores que dificultam a proliferação de outros micro-organismos.

[2][3]


Referências

  1. gineco.com. «Corrimentos vaginais de outras causas e corrimentos crônicos Prurido Vulvar». Consultado em 17 de dezembro de 2008 
  2. Baracat, Edmund Chada; Giraldo, Paulo Cesar; Linhares, Iara Moreno (2010). «Novos conhecimentos sobre a flora bacteriana vaginal». Revista da Associação Médica Brasileira. 56 (3): 370–374. ISSN 0104-4230. doi:10.1590/S0104-42302010000300026 
  3. GmbH, Avoxa-Mediengruppe Deutscher Apotheker. «Infektionen: Vaginalflora in Aufruhr». Pharmazeutische Zeitung online (em alemão). Consultado em 22 de agosto de 2019 

Ver também[editar | editar código-fonte]