Backstreet Boys

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Backstreet Boys
Backstreet Boys no iHeartRadio Music Awards em 2019.
Informação geral
Origem Orlando, Flórida, Estados Unidos
Gênero(s)
Período em atividade 1993–presente
Gravadora(s)
Afiliação(ões)
Integrantes Kevin Richardson
Howie Dorough
Brian Littrell
AJ McLean
Nick Carter
Página oficial www.backstreetboys.com

Backstreet Boys (frequentemente abreviado como BSB)[1] é um grupo vocal masculino estadunidense formado em Orlando, Flórida em 1993. O grupo consiste nos integrantes AJ McLean, Howie Dorough, Nick Carter, Kevin Richardson e Brian Littrell. O grupo conquistou proeminência através de seu primeiro álbum de estúdio homônimo de 1996. No ano seguinte, lançou seu segundo álbum de estúdio, Backstreet's Back (1997), juntamente com seu álbum de estreia auto-intitulado nos Estados Unidos, que prosseguiu com o êxito comercial do grupo em todo o mundo. O Backstreet Boys chegou ao estrelato com seu terceiro álbum de estúdio Millennium (1999) e seu álbum seguinte, Black & Blue (2000).

Após uma pausa de dois anos, o grupo se reagrupou e lançou o álbum Never Gone em 2005. Após a conclusão de sua respectiva turnê musical de apoio, Never Gone Tour, em 2006, Richardson deixou o grupo para buscar outros interesses. O Backstreet Boys lançou dois álbuns como um quarteto: Unbreakable (2007) e This Is Us (2009).

Em 2012, Richardson retornou ao grupo de forma permanente. No ano seguinte, o quinteto comemorou seu vigésimo aniversário e lançou seu primeiro álbum independente, In a World Like This (2013). Um documentário sobre sua trajetória intitulado Backstreet Boys: Show 'Em What You're Made Of, foi lançado em janeiro de 2015.

Em abril de 2013, o Backstreet Boys recebeu uma estrela na calçada da fama em Hollywood. Por suas vendas de mais de 130 milhões de álbuns em todo o mundo,[2] o grupo tornou-se um dos grupos masculinos mais vendidos de todos os tempos, bem como um dos artistas musicais mais vendidos do mundo. Seus feitos incluem o de serem o primeiro grupo, desde o britânico Led Zeppelin, a ter seus dez primeiros álbuns alcançando o top 10 da parada estadunidense Billboard 200,[3] o que os tornou a única boy band a fazê-lo.

O êxito comercial do quinteto continua contínuo, mesmo após décadas de sua formação. O nono álbum de estúdio do grupo, DNA (2019), estreou em número um nas paradas de álbuns de diversos países, incluindo a Billboard 200, tornando o Backstreet Boys, o primeiro grupo masculino de música pop, a liderar a parada estadunidense de álbuns em três décadas diferentes.

História[editar | editar código-fonte]

1993–1995: Formação e primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Vista de Orlando, cidade de formação do Backstreet Boys.

Howie Dorough e AJ McLean ambos nativos de Orlando, Flórida, se conheceram primeiramente e depois descobriram Nick Carter através de audições.[4] Os três, percebendo que poderiam harmonizar suas vozes, decidiram formar um trio.[4] Os primos Kevin Richardson e Brian Littrell, ambos de Lexington, Kentucky, cantaram em corais e festivais da igreja local quando crianças.[4] Richardson se mudou para Orlando em 1990, onde trabalhou no Walt Disney World e se concentrava na música no período da noite. Eventualmente, ele conheceu Dorough, Carter e McLean através de um colega de trabalho, e os quatro decidiram formar um grupo.[4]

Em 1992, o empresário Lou Pearlman publicou um anúncio no jornal Orlando Sentinel a fim de formar um grupo vocal a ser gerenciado pelo mesmo.[5] McLean, que foi o primeiro a fazer um teste para Pearlman em sua sala de estar, se tornou o primeiro membro do grupo.[5] Entre o final de 1992 a março de 1993, Pearlman realizou testes abertos e inúmeros jovens fizeram audições em seu galpão na cidade de Kissimmee.[6][5] Durante este período, Carter, Dorough e Richardson foram finalmente selecionados após atender às expectativas de Pearlman.[7] Littrell voou de Kentucky para Orlando para se juntar formalmente ao grupo em 20 de abril de 1993, um dia depois de receber um telefonema de Richardson sobre o assunto. Assim, 20 de abril tornou-se a data de aniversário do grupo.[8] Pearlman decidiu nomeá-los de Backstreet Boys, em referência ao mercado a céu aberto Backstreet em Orlando, próximo ao International Drive, que também era um ponto de encontro para adolescentes.[5][9]

O Backstreet Boys teve sua primeira apresentação oficial no parque aquático SeaWorld Orlando em 8 de maio de 1993.[10] O grupo continuou a se apresentar em diversos locais durante o verão de 1993, de shopping centers, restaurantes a um evento beneficente de alto padrão em Fort Lauderdale, Flórida.[11] Posteriormente, com uma mudança de gestão, o quinteto começou a se apresentar em escolas dos Estados Unidos (incluindo a antiga escola de Littrell, a Tates Creek High School), construindo uma base de fãs enquanto tentava fazer um contrato de gravação. A Mercury Records quase forneceu um em 1993, mas o acordo fracassou no último minuto, porque o cantor de longa data da Mercury, John Mellencamp, ameaçou deixar a gravadora se eles ingressassem no negócio de boy bands.[12] No entanto, em fevereiro de 1994, Jeff Fenster (então vice-presidente sênior de A&R da Zomba / Jive Records) e David Renzer (então vice-presidente sênior e diretor geral da Zomba Music Publishing) viram o grupo se apresentando em uma escola de ensino médio em Cleveland e lhe deu seu primeiro contrato de gravação.[13]

No fim de dezembro de 1994, o grupo viajou para a Suécia para gravar algumas canções com os produtores Max Martin e Denniz Pop, incluindo "We've Got It Goin' On", que acabou tornando-se o seu primeiro single e encerrou suas sessões de trabalho em janeiro de 1995.[14] "We Got It Goin 'On" foi enviado as rádios em agosto de 1995 e lançado como um single físico em 5 de setembro do mesmo ano. A canção obteve um desempenho moderado nos Estados Unidos, atingindo a posição de número 69 pela Billboard Hot 100, em dezembro de 1995.[15] Em contrapartida, se estabeleceu no top 5 das paradas europeias que incluíram Alemanha, Suíça, Áustria, França e Holanda.[16][17] O desempenho europeu da canção levou o Backstreet Boys a uma turnê e mudou suas promoções, que passaram a ser direcionadas principalmente a Europa.

1996–1997: Crescimento de popularidade e Backstreet's Back[editar | editar código-fonte]

O grupo terminou de gravar seu primeiro álbum, Backstreet Boys, no período de março a junho de 1996, e foi lançado internacionalmente em 6 de maio,[18] excluindo Estados Unidos e Canadá; no entanto, mais tarde foi lançado neste último em outubro de 1996.[19] Sua popularidade cresceu na Europa. O single "I'll Never Break Your Heart" alcançou a certificação ouro na Alemanha por vender 250.000 cópias[20] levando o quinteto a ser eleito o grupo internacional número um em 1996. Eles também conquistaram sua primeira platina na Alemanha por vendagem de 500.000 cópias de seu álbum. Com o lançamento de seu álbum homônimo, o grupo iniciou uma turnê pela Ásia e Canadá.[20] O Backstreet Boys também se tornou um dos artistas estreantes mais bem-sucedidos do mundo, colecionando prêmios como o alemão Durchstarter (Melhor Recém-chegado) no Viva Comet Awards em 1996.[21] O single "Quit Playing Games (with My Heart)", foi lançado em 10 de junho do mesmo ano como o terceiro single de seu álbum de estreia, que também gerou seu quarto e último single "Anywhere for You" em 24 de fevereiro de 1997.[22] Além disso, a canção "Quit Playing Games (with My Heart)", lançada previamente em junho de 1996, foi re-lançada desta vez nos Estados Unidos, para o álbum de estreia estadunidense do grupo, sendo enviada as rádios em 19 de maio de 1997. A mesma atingiu a segunda colocação pela Billboard Hot 100, o que a levou a receber a certificação platina por vendas de mais de um milhão de cópias no país.[23][24]

O Backstreet Boys começou a trabalhar em seu segundo álbum de estúdio, em outubro de 1996. O grupo também gravou a canção "If You Stay" para a trilha sonora do filme Booty Call, lançado em fevereiro de 1997. Seu segundo álbum de estúdio intitulado Backstreet's Back, foi lançado em 11 de agosto de 1997 e alcançou o primeiro lugar na Alemanha, Noruega, Suíça, Finlândia, Holanda, Bélgica e Áustria,[25][26] vendendo mais de cinco milhões de cópias somente na Europa.[27] Nos Estados Unidos, o grupo lançou seu álbum de estreia auto-intitulado, contendo em sua lista de faixas, canções de seu álbum de estreia internacional de 1996 com canções de Backstreet Back.[28] O álbum foi lançado em 12 de agosto de 1997 e alcançou a quarta colocação pela Billboard 200, obtendo vendas de catorze milhões de cópias.[29] Os singles "Everybody (Backstreet's Back)" e "As Long as You Love Me" retirados de ambos os álbuns, foram os mais exitosos e auxiliaram na popularidade mundial do grupo.  

Em novembro de 1997, médicos descobriram que uma abertura congênita no coração de Littrell, havia aumentado para proporções perigosas.[30] No mês seguinte o grupo iniciou a Backstreet's Back Tour com concertos no Canadá. Porém, em 8 de maio de 1998, Littrell que havia adiado a cirurgia duas vezes para cumprir com as obrigações da turnê, foi submetido a cirurgia. A Backstreet's Back Tour teve sua continuação adiada até o mês de julho, a fim de fornecer tempo para que ele se recuperasse.[30]

1998–1999: Millennium e reconhecimento mundial[editar | editar código-fonte]

Ver artigos principais: Millennium e Into the Millennium Tour

Littrell iniciou uma ação contra Lou Pearlman e a Trans Continental em 1998, alegando que Pearlman não havia sido sincero sobre os ganhos obtidos pelo grupo.[31] De 1993 a 1997, Pearlman e sua empresa receberam cerca de US$ 10 milhões em receita, enquanto a banda recebeu apenas US$ 300.000 mil.[32] No ano seguinte, McLean, Richardson e Dorough entraram na ação que resultou em diversos acordos.[33]

Em 14 de fevereiro de 1998, o grupo realizou sua apresentação de estreia na América Latina através do Festival Internacional da Canção de Viña del Mar, no Chile. Em março do mesmo ano, o Backstreet Boys liderou um concerto beneficente realizado as vítimas de um tornado, que atingiu a cidade de Orlando, arrecadando mais de US$ 250.000. Posteriormente em 7 de outubro, o grupo recebeu as chaves da cidade como forma de homenagem, além disso, sua respectiva prefeita, tornou a data, o dia oficial dos Backstreet Boys em Orlando.[34] No meio de uma ação judicial,[35] o grupo iniciou a gravação de seu terceiro álbum de estúdio, no início do mês de outubro. No fim do ano de 1998, a sua turnê Backstreet's Back Tour foi encerrada com um total de 113 concertos.

Backstreet Boys se apresentando durante a turnê Into the Millennium Tour.

Antecedendo o lançamento do álbum nomeado como Millenium, o Backstreet Boys lançou o single "I Want It That Way" em 12 de abril de 1999, que se consolidou como um êxito mundial liderando as paradas musicais de mais de 25 países, além de tornar-se sua canção de assinatura.[15][16][36][37] O álbum foi lançado subsequentemente em 18 de maio, dia em que o grupo fez uma aparição fortemente divulgada no programa Total Request Live da MTV.[38] Outros três singles foram lançados de Millennium: "Larger than Life", "Show Me the Meaning of Being Lonely" e "The One", que figuraram dentro do top 30 da Billboard Hot 100. O álbum estreou no topo da Billboard 200 obtendo vendas de 1.134.000 cópias em sua primeira semana de lançamento.[39][40] Mais tarde, se tornou o álbum mais vendido de 1999 nos Estados Unidos com vendagem de 9.445.732 cópias.[41][42] Millenium também detém o recorde de maior número de remessas em um ano, com onze milhões de remessas[43] e permaneceu na parada da Billboard por 93 semanas, vendendo mais de doze milhões de cópias nos Estados Unidos e sendo certificado com platina por treze vezes.[44][45] Desde janeiro de 2013, Millennium é o quarto álbum mais vendido dos Estados Unidos da era do sistema SoundScan.[46] Globalmente atingiu vendas equivalente a 24 milhões, o que o lista entre os álbuns mais vendidos do mundo.[47] Além disso, o lançamento do álbum levou o Backstreet Boys a receber cinco indicações na premiação Grammy, sendo uma delas relacionada a "Álbum do Ano".

Em 2 de junho de 1999, o Backstreet Boys embarcou na turnê Into the Millennium Tour, que incluiu 115 concertos esgotados em 84 cidades, o qual algumas datas adicionais foram inseridas devido à alta demanda.[48] Sua segunda etapa, patrocinada pela rede de lojas Sears, foi toda vendida em seu primeiro dia em 14 de agosto, quebrando recordes de vendagem.[49][50] O concerto realizado em Atlanta, se estabeleceu como o mais assistido de um artista pop.[51] Em outubro do mesmo ano, o Backstreet Boys declarou nulo e sem efeito seu contrato vigente pela Jive Records, o que levou o grupo a um acordo de parceria, onde reassinou novamente com a Jive por um contrato de US$ 60 milhões para cinco gravações, além de possuir maior controle sobre como sua música seria comercializada e licenciada.[52]

2000–2003: Black & Blue, The Hits – Chapter One e conflitos com a Jive Records[editar | editar código-fonte]

Em maio de 2000, o Backstreet Boys realizou uma viagem às Bahamas a fim de se concentrar na composição de canções para seu quarto álbum de estúdio.[53] Suas sessões de gravação iniciaram em 1 de julho em Estocolmo, Suécia, e se encerraram em setembro do mesmo ano.[54][55][56] Uma canção concluída durante as sessões de gravação de julho intitulada "It's True", foi lançada em 28 de agosto de 2000, em um álbum de compilação nomeado como For the Fans, vendido exclusivamente na rede de restaurantes Burger King.[57]

Seu quarto álbum de estúdio, Black & Blue, foi lançado em 21 de novembro de 2000.[58] Para a sua promoção, o grupo viajou ao redor do mundo por cem horas, visitando Estocolmo, Tóquio, Sydney, Cidade do Cabo, Rio de Janeiro e Nova York. Cerca de 55 horas foram gastas nas viagens e 45 em aparições públicas.[59] Um DVD da curta turnê, além de um jogo de tabuleiro, foi lançado em 2001, intitulado Around the World. Em uma semana, o álbum Black & Blue registrou as melhores vendas internacionais de um álbum da história, vendendo mais de cinco milhões de cópias em sua primeira semana de vendagem.[60][61] Nos Estados Unidos, o álbum atingiu vendas de 1,6 milhão de cópias na primeira semana, tornando o Backstreet Boys, o primeiro artista desde os Beatles, a atingir mais de um milhão de cópias consecutivas na primeira semana.[62] Três singles foram lançados de Black & Blue: "Shape of My Heart", "The Call" e "More than That".

Em 28 de janeiro de 2001, o grupo cantou o hino nacional americano durante o Super Bowl XXXV em Tampa, Flórida.[63] Uma semana antes, iniciou a Black & Blue Tour, que apresentou concertos em cinco continentes. A turnê foi paralisada em julho, quando foi relatado que McLean havia entrado em um tratamento de reabilitação para combater o alcoolismo e a depressão, tendo sido auxiliado por Richardson.[64] A turnê recomeçou em 24 de agosto do mesmo ano e encerrou-se em novembro. Previamente em 23 de outubro, o Backstreet Boys lançou seu primeiro álbum de compilação, intitulado The Hits – Chapter One,[65] que incluiu a canção inédita utilizada como single: "Drowning".[66] O álbum figurou no top 5 dos Estados Unidos,[39] Reino Unido,[67] Alemanha[25] e Canadá,[68] além de se estabelecer no top 10 da Suíça, Áustria, Holanda e Nova Zelândia.[69] Adicionalmente, The Hits: Chapter One foi certificado como platina nos Estados Unidos por vender mais de um milhão de cópias[70] e também recebeu certificação platina pela IFPI devido sua vendagem de mais de um milhão de cópias na Europa.[71] O single "Drowning" foi igualmente exitoso alcançando o top 10 em diversos países. Em 2002, The Hits: Chapter One já havia vendido quase seis milhões de cópias em todo o mundo.[72]

Em 2002, o grupo expressou um forte desejo de deixar sua empresa de administração, The Firm.[72] No entanto, Carter optou por permanecer no The Firm para gerenciar sua carreira solo. Logo depois, o restante do grupo começou a gravar o próximo álbum do Backstreet Boys sem ele.[72] O relacionamento do grupo com a Jive Records piorou quando entraram com um processo estimado em US$ 100 milhões de dólares, contra a Zomba Music Group (empresa controladora da Jive Records), alegando quebra de contrato.[73] Os membros alegaram que a gravadora bloqueou o lançamento de um novo álbum do grupo para promover Now or Never, primeiro álbum solo de Carter, promovendo-o às custas do grupo.[74]

Em novembro de 2003, McLean apareceu no programa The Oprah Winfrey Show para falar sobre seu vício em álcool e drogas pela primeira vez em público.[75] O restante dos membros do Backstreet Boys, o surpreendeu ao aparecer pessoalmente no programa para demonstrar seu apoio, marcando a primeira aparição pública do grupo como um quinteto em quase dois anos.[75] O grupo iniciou um processo de reestruturação e de reconciliar suas diferenças, planejando também começar a gravar um álbum de retorno no início do ano seguinte.[76]

2004–2006: Never Gone e saída de Richardson[editar | editar código-fonte]

Ver artigos principais: Never Gone e Never Gone Tour

Em janeiro de 2004, o Backstreet Boys iniciou a gravação de seu próximo álbum de estúdio.[77] Além disso, o grupo também começou a se apresentar junto para promover seu retorno ao cenário musical. Em setembro, eles iniciaram uma pequena turnê asiática, visitando cidades que incluíram Pequim, Xangai, Tóquio e Manila. Devido ao êxito desta turnê, eles acrescentaram apresentações nas cidades mexicanas, Cidade do México e Monterrey. Em 28 de março de 2005, antecedendo o lançamento de seu próximo álbum de estúdio, o grupo lançou o single "Incomplete" através das estações de rádio. Posteriormente, embarcou em sua turnê Up Close & Personal Tour no mesmo mês, que serviu como uma turnê de pré-lançamento. "Incomplete" atingiu a posição de número treze pela Billboard Hot 100 nos Estados Unidos e alcançou o topo nas paradas da República Tcheca e Austrália, onde neste último, tornou-se seu primeiro êxito número um no país. Além disso, a canção figurou dentro do top 10 em treze países.

Backstreet Boys se apresentando pela Kiss FM Jingle Bell Bash 8, em dezembro de 2005.

Depois de passar mais de um ano em sessões de gravação, o Backstreet Boys lançou o seu álbum de retorno intitulado Never Gone, em 14 de junho de 2005. O álbum estreou em terceiro lugar na parada estadunidense com vendas de 291.000 cópias em sua primeira semana. A mudança drástica de estilo do grupo, que introduziu o rock as suas canções, atraiu criticas negativas da Rolling Stone.[78][79] Comercialmente, Never Gone foi certificado com platina nos Estados Unidos e quatro singles foram lançados do álbum. Seu segundo single, "Just Want You to Know", alcançou o top 10 no Reino Unido. Como terceiro single, foram lançados "Crawling Back to You" para os Estados Unidos e "I Still..." para o restante do mundo. Never Gone vendeu aproximadamente dez milhões de cópias em todo o mundo desde 2008.[80]

A fim de promover Never Gone, o Backstreet Boys iniciou a primeira etapa de sua turnê Never Gone Tour, em 22 de julho de 2005 na Flórida, Estados Unidos. Esta primeira etapa ocorreu até novembro de 2005 na Europa. Em janeiro de 2006 a segunda etapa iniciou-se em Tóquio, Japão. A turnê encerrou-se em 2 de fevereiro de 2006 em Melbourne, Austrália, composto de 81 concertos.

Em 23 de junho de 2006, foi anunciado que Richardson havia deixado o Backstreet Boys para buscar outros interesses.[81] Tanto ele quanto o restante do grupo, divulgaram um comunicado em seu website oficial, afirmando que Richardson partia amigavelmente e que a porta estava sempre aberta caso ele quisesse retornar.[82] Após a partida de Richardson, foi sugerido que o grupo mudasse seu nome para Backstreet, o que não foi aceito pelos membros.[83] Eles também recusaram uma oferta para estrelar um reality show para encontrar um novo membro.[83]

2007–2011: Unbreakable e This Is Us[editar | editar código-fonte]

Dois dias após o anúncio da saída de Richardson, o Backstreet Boys entrou em estúdio para gravar seu sexto álbum. O álbum, intitulado Unbreakable, foi lançado em 30 de outubro de 2007. O mesmo recebeu críticas positivas da crítica especializada e estreou em número sete na Billboard 200, vendendo 81.000 cópias em sua primeira semana de lançamento.[84] Unbreakable também obteve um bom desempenho no Japão, estreando em primeiro lugar na parada semanal da Oricon e permanecendo na mesma posição por mais uma semana. Os singles "Inconsolable" e "Helpless When She Smiles" foram os retirados do álbum.

Backstreet Boys se apresentando pela Unbreakable Tour, em Estocolmo, Suécia, em abril de 2008.

O grupo realizou uma turnê mundial para promover Unbreakable, que iniciou-se com um concerto em Tóquio, Japão, em 16 de fevereiro de 2008. A turnê nomeada como Unbreakable Tour, incluiu concertos na Ásia, Oceania, América do Norte e América do Sul. O concerto realizado em 14 de maio na The O2 Arena, em Londres, foi filmado e tornou-se disponível para visualização na seção Music in Concert do portal MSN.[85] Além disso, Richardson se juntou ao restante do grupo no palco do Palladium em Hollywood, Los Angeles, em 23 de novembro do mesmo ano, para a última parada da turnê nos Estados Unidos.[86] A Unbreakable Tour encerrou-se em 13 de março de 2009 em Puebla, México com um total de 99 concertos.

Em 6 de outubro de 2009, o grupo lançou seu sétimo álbum de estúdio, This Is Us.[87] Neste álbum, o Backstreet Boys voltou a introduzir batidas dance-pop e a destacar o gênero R&B em suas canções.[88] This is Us estreou no nono lugar pela Billboard 200, vendendo 42.000 cópias em sua primeira semana de lançamento[89] e alcançou o segundo lugar no Japão, onde recebeu a certificado platina por vendagem de 250.000 cópias.[90][91] Dois singles foram lançados deste álbum: "Straight Through My Heart" e "Bigger".

Alguns dias depois de promover This Is Us e filmar o vídeo musical de "Bigger" no Japão, Littrell contraiu gripe suína, fazendo com que o grupo cancelasse sua participação no evento Pinktober do Hard Rock Café Nova York, em 5 de outubro.[92] O restante do grupo recebeu a medicação Tamiflu, apesar de não apresentar qualquer sintoma da gripe.[93] Posteriormente, foi cancelado também uma apresentação programada no The Early Show da CBS, na mesma data de lançamento de This Is Us.[94] No fim de outubro de 2009, o grupo embarcou na turnê This Is Us Tour, que durou um ano e cinco meses ativa, consistindo de 123 concertos realizados na Europa, Ásia, Oceania, América do Norte e América do Sul. Adicionalmente, o Backstreet Boys, incluindo Richardson, filmaram um segmento para o programa The Oprah Winfrey Show em 22 de outubro de 2010. Richardson também se apresentou com o grupo no estúdio do programa mais tarde naquele dia, tornando-se a segunda vez que ele se juntou ao grupo desde sua partida.[95]

2011–2012: NKOTBSB e retorno de Richardson[editar | editar código-fonte]

Ver artigos principais: NKOTBSB e NKOTBSB Tour

Em maio de 2011, o Backstreet Boys anunciou que havia deixado sua gravadora de longa data, Jive Records.[96] No mesmo mês, o grupo embarcou em uma turnê conjunta com o grupo masculino New Kids on the Block, onde ambos receberam o nome conjunto de NKOTBSB.[97] Antes da turnê, o Backstreet Boys lançou um álbum de compilação de seus maiores êxitos, também intitulado como NKOTBSB, o álbum incluiu em adição um mashup e duas novas canções.[98] No fim de 2011, a turnê se classificou em 17º lugar na lista anual "Top 25 Tours" da Billboard, adquirindo uma receita de mais de US$ 40 milhões de dólares em 51 concertos.[99] A turnê perdurou até junho de 2012, compreendendo oitenta apresentações na América do Norte, Europa, Austrália e Ásia. Durante o concerto realizado no Staples Center, Los Angeles, em julho de 2011, Richardson se juntou novamente ao grupo no palco.[100]

Em 3 de dezembro de 2011, Richardson organizou uma festa na praia nas Bahamas, como parte do segundo cruzeiro anual do Backstreet Boys, onde ele se apresentou com o grupo. No programa de rádio On Air with Ryan Seacrest, ele afirmou que adoraria se apresentar com o grupo novamente de forma mais regular.[101] A declaração, juntamente com sua aparição no evento de cruzeiro, gerou especulações de que ele pudesse retornar ao grupo de forma definitiva,[102] no entanto, nem Richardson nem o grupo se pronunciaram sobre o assunto.

Backstreet Boys se apresentando no Old Navy Fit For Fall Fashion Show em setembro de 2012.

Em 29 de abril de 2012, durante um concerto em Londres pela turnê NKOTBSB Tour, foi anunciado que Richardson havia retornado permanentemente ao Backstreet Boys.[103] Alguns dias depois, McLean e Littrell revelaram em ocasiões distintas, que ele havia retornado desde 2010, antes do início da NKOTBSB Tour. Richardson havia conversado sobre participar da turnê, mas desistiu da ideia. Os outros membros apoiaram sua decisão e mantiveram seu retorno em segredo até o fim da turnê.[104][105] O grupo falou positivamente sobre seu retorno de Richardson, afirmando que eles não poderiam estar mais felizes em tê-lo de volta. Além disso, o próprio ficou emocionado por estar de volta com seus antigos colegas de grupo, afirmando que eles possuem "uma química e um vínculo".[106][107]

Em julho de 2012, os membros do Backstreet Boys mudaram-se para uma casa juntos, quando iniciaram o processo de produção de seu novo álbum de estúdio com o produtor sueco Martin Terefe em Londres.[108] Em 31 de agosto, o grupo encerrou a série de concertos de verão do programa Good Morning America no Central Park, em Nova York. Tornando-a primeira apresentação televisiva como um quinteto, desde que Richardson retornou ao grupo.[109] Na ocasião, foi anunciado que o Backstreet Boys iria realizar seu terceiro cruzeiro em outubro de 2013.[109]

Em 5 de novembro de 2012, o grupo lançou a canção natalina "It's Christmas Time Again", através da AOL Music,[110] que foi lançada oficialmente como um single um dia depois.[111] O seu lançamento alcançou o primeiro lugar na parada estadunidense Billboard Holiday Digital Songs.[112]

2013–2015: Aniversário de 20 anos, In a World Like This, documentário e Dead 7[editar | editar código-fonte]

Em 20 de abril de 2013, o Backstreet Boys comemorou seu vigésimo aniversário, através de um evento de fãs em Hollywood.[113][114] Dois dias depois, em 22 de abril, o grupo recebeu uma estrela na Calçada da Fama e a data tornou-se o Dia do Backstreet Boys em Hollywood.[115] Em maio, o grupo embarcou em sua turnê comemorativa de vinte anos, oficialmente intitulada como In a World Like This Tour.[116] A mesma teve uma duração de mais de dois anos, compreendendo mais de 170 concertos realizados na América do Norte, América do Sul, Europa, Ásia, Australásia e Oriente Médio. A In a World Like This Tour, tornou-se a 44ª turnê mundial de maior bilheteria do ano de 2014, obtendo um total bruto de US$ 32,8 milhões e uma vendagem de ingressos de 607.407 mil.[117]

Em 25 de junho de 2013, o grupo lançou em formato digital, o single "In a World Like This", canção que dá nome a seu oitavo álbum de estúdio, mais tarde, em 22 de julho, a faixa passou a ser executada nas rádios. O álbum foi lançado nos Estados Unidos em 30 de julho e posteriormente, em outras datas ao redor do mundo, tornando-o primeiro lançamento independente do grupo, lançado sob seu próprio selo, K-Bahn. In a World Like This atingiu o top 5 nos Estados Unidos, Canadá, Holanda, Alemanha, Suíça, Espanha, Taiwan e Japão.[3][118][119] E vendeu 800.000 cópias até janeiro de 2015.[120][121][122][123] Em 18 de novembro, foi lançado um segundo single do álbum, "Show 'Em (What You're Made Of)".[124] Ainda no mesmo ano, o grupo fez uma participação especial no filme This Is the End (2013), interpretando uma versão fictícia de si mesmos, onde cantaram sua canção "Everybody (Backstreet's Back)",[125] o que lhes rendeu um prêmio de "Melhor Momento Musical" no MTV Movie Awards no ano seguinte.[126] Em dezembro de 2013, o Backstreet Boys cantou suas duas canções originais de Natal como apresentadores no especial de televisão anual Christmas in Washington, que também contou com a presença do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e de sua família.[127]

Os membros do Backstreet Boys deveriam comparecer no tribunal em 24 de março de 2014, devido a uma queixa apresentada contra o ex-empresário Lou Pearlman. O grupo alegou que Pearlman ainda lhes devia US$3.451.456,04 de dólares e também haviam pedido US$87.728,58 dólares em honorários legais por terem de estar em uma batalha judicial com ele durante anos.[128] Entretanto, no início daquele mês, o grupo afirmou ter um conflito de horários, o que levou a uma discussão sobre o adiamento da audiência por noventa dias.[129] Em 21 de outubro, o Backstreet Boys recebeu um acordo financeiro de US$99.000 dólares, além de material que incluiu 34 rolos de fitas de áudio, 26 CDs, sete fitas de áudio de estúdio masterizado, seis pôsteres fechados, três fitas de áudio e uma fita VHS. As gravações incluem algumas composições não lançadas, demos e materiais originais.[130]

Em 30 de janeiro de 2015, o quinteto lançou o documentário Backstreet Boys: Show 'Em What You're Made Of primeiramente nos cinemas dos Estados Unidos e online, mais tarde, o seu lançamento ocorreu em 26 de fevereiro de 2015 no Reino Unido e na Europa e em 28 de março em todo o mundo.[131][132] A produção narra toda a sua carreira até a criação do seu álbum de 2013, In A World Like This.[131] Em 10 de abril, os membros Richardson e Littrell, foram introduzidos no Kentucky Music Hall of Fame.[133] Em agosto, os membros Carter, Dorough e McLean, realizaram as filmagens de um filme que Carter escreveu, intitulado Dead 7. Dirigido por Danny Roew, seu enredo refere-se a um bando de pistoleiros, operando durante uma praga pós-apocalíptica de zumbis.[134] Sua estreia ocorreu em 1 de abril de 2016, através da emissora por assinatura Syfy. Uma cópia gratuita da canção tema "In the End", foi lançada em 28 de março, interpretada por Carter, McLean e Dorough; além de outros integrantes de grupos masculinos dos anos 90, que integram a produção.[135]

No mês de outubro do mesmo ano, McLean revelou que o Backstreet Boys estava trabalhando em seu nono álbum de estúdio e que o grupo esperava finalizar suas sessões de gravação, antes de seu próximo cruzeiro, a ser realizado em maio de 2016.[136]

2016–presente: Residência em Las Vegas e DNA[editar | editar código-fonte]

Ver artigos principais: DNA e DNA World Tour

Em 29 de janeiro de 2016, o Backstreet Boys foi o convidado musicail do fim da série de comédia Undateable da NBC. Subsequentemente, Carter e McLean apoiaram a participação da modelo Gigi Hadid no programa de competição musical Lip Sync Battle.[137] Em 1 de abril, Carter disse ao programa Entertainment Tonight, que o Backstreet Boys havia assinado um contrato com a Live Nation, para a realização de uma turnê de "residência de teste", com nove concertos em Las Vegas.[138] McLean confirmou o acordo, dizendo à publicação Us Magazine, que a residência iniciaria em janeiro de 2017.[139] Em julho, o grupo apareceu e se apresentou no programa Greatest Hits da ABC.[140]

Em 15 de setembro, McLean e Carter confirmaram a produção de um novo álbum a ser lançado no ano seguinte, juntamente com uma nova turnê.[141] Em 23 de setembro, o Backstreet Boys confirmou sua série de apresentações de residência em Las Vegas, intitulado Backstreet Boys: Larger Than Life.[142][143] A mesma contou com oitenta concertos entre 1 de março de 2017 a 27 de abril de 2019. Em 17 de janeiro de 2017, o Backstreet Boys lançou conjuntamente a canção "God, Your Mama, and Me", com a dupla de música country, Florida Georgia Line, retirada do terceiro álbum de estúdio da dupla: Dig Your Roots.[144] A canção atingiu pico de número 92 na Billboard Hot 100, tornando-a o primeiro retorno do grupo à referida parada desde 2007.[145]

Previamente ao lançamento de seu nono álbum de estúdio, coproduzido pelas gravadoras K-Bahn e RCA Records, e distribuído pela Sony Music, o Backstreet Boys lançou os três singles do álbum, que iniciou-se com "Don't Go Breaking My Heart" em 17 de maio de 2018.[146] A canção atingiu a posição de número 63 na Billboard Hot 100, tornando-a canção melhor posicionada do grupo como artista principal na parada, desde "Inconsolable" de 2007.[147] Em 9 de novembro do mesmo ano, o Backstreet Boys lançou o single "Chances" e anunciou que o título do álbum de estúdio receberia o título de DNA. Em 4 de janeiro de 2019, o terceiro e último single "No Place", foi lançado e em 25 de janeiro, DNA foi oficialmente lançado atingindo o topo das paradas da Áustria, Canadá, Suíça e Estados Unidos, neste último, sua entrada no topo da Billboard 200 ao obter vendas de 234,00 cópias,[148] ocorreu após dezenove anos, desde o lançamento do álbum Black & Blue (2000),[148] tornando o Backstreet Boys o primeiro grupo masculino de música pop a figurar em número um durante três décadas diferentes na parada estadunidense.[148]

Em 8 de abril de 2019, o grupo lançou uma exposição no Grammy Museum, antes de ser aberta ao público dois dias depois. O local contou com a exibição de roupas de turnês passadas e recordações da infância dos membros.[149][150] No mesmo mês, o Backstreet Boys anunciou que lançaria seu primeiro álbum de natal[151] e durante o vigésimo aniversário de lançamento da canção "I Want It That Way",[152] o grupo participou de uma cerimônia de impressão de suas mãos no Planet Hollywood, a fim de comemorar o encerramento de seus concertos de residência de dois anos.[153]

Em 11 de maio de 2019, o Backstreet Boys embarcou na DNA World Tour em apoio ao álbum.[154]

Características musicais[editar | editar código-fonte]

Vocais e influências iniciais[editar | editar código-fonte]

O Backstreet Boys sempre se orgulhou de ser um grupo de harmonia vocal e não apenas uma boy band.[155] Grupos vocais de R&B e soul como Shai, Jodeci e Boyz II Men, inspiraram o quinteto no início de sua carreira musical,[156] que sempre que possível, cantava a capella, para combater o estereótipo do termo boy band e evitar a reação sofrida pelo grupo New Kids on the Block, em uma controvérsia sobre sincronização labial em 1992.[157] Musicalmente, o Backstreet Boys geralmente emprega harmonia polifônica, o que o diferencia de muitos outros grupos de cantores. Nos refrões, Littrell, Carter e McLean costumam cantar a melodia, com Dorough harmonizando acima da melodia e Richardson cobrindo as partes baixas das canções.[158][159] Durante a ausência de Richardson, McLean e Carter cobriram sua parte em refrões,[160] enquanto Dorough incorporou suas partes solo, embora McLean tenha cantado o seu verso em "Drowning".[161]

Estilo musical[editar | editar código-fonte]

O estilo musical do grupo evoluiu ao longo dos anos. Em seu primeiro e segundo álbuns de estúdio, o Backstreet Boys cantou um híbrido de R&B e dance-pop de clube, misturado com gêneros que incluíram baladas de new jack e hip-hop.[162][163] Com Millennium (1999) e Black & Blue (2000), o grupo começou a abandonar o R&B e a migrar mais para o pop e o pop-rock, como demonstrado em músicas como "I Want It That Way", "Shape of My Heart", "Larger than Life" e "Not For Me". Em 2005, o Backstreet Boys mudou drasticamente seu estilo musical, através de seu álbum de retorno Never Gone, que é uma produção do tipo adulto contemporâneo, apresentando apenas instrumentos ao vivo, em um afastamento do som pop anterior, que apresentou muitos sintetizadores.[164][165] Comparado aos álbuns anteriores, Never Gone é "mais orgânico, despojado, com menos harmonias e mais instrumentação".[166] Seu primeiro álbum sem Richardson, Unbreakable (2007), é semelhante a Never Gone. Ele se inclina para a música pop contemporânea e ao adulto contemporâneo, e apresenta harmonias de coral entrelaçadas, piano, cordas, guitarra e bateria,[167] adicionado a elementos de hip-hop e reggae em algumas faixas, como em "One in A Million".[168] Através do sétimo álbum de estúdio do grupo, This Is Us (2009), o Backstreet Boys retornou às batidas dance-pop originais combinadas com o electro-pop. Adicionalmente, este álbum também contém um som mais R&B comparado a Unbreakable.[88]

O primeiro álbum independente do Backstreet Boys, In A World Like This (2013), que também é seu primeiro álbum após o retorno de Richardson, é considerado uma produção que acolhe a maturidade do grupo em uma mistura de pop moderno, adulto contemporâneo e dance music.[169]

Membros[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Discografia de Backstreet Boys

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Em todas as participações do Backstreet Boys em séries de televisão e filmes ficcionais, o grupo atuou como ele mesmo.

Ano Título Notas
1998 Sabrina The Teenage Witch Participação especial no episódio: "The Band Episode"
2002 Arthur Episódio: "Arthur: It's Only Rock 'N' Roll"
2013 This Is the End Participação especial cantando "Everybody (Backstreet's Back)" com o elenco.
2015 Backstreet Boys: Show 'Em What You're Made Of Documentário biográfico sobre o grupo.
2016 Undateable Episódio: "Backstreet Boys Walk Into a bar"
2017 Drop the Mic Episódio: "Nicole Scherzinger vs. Lil Rel Howery / Charlie Puth vs. Backstreet Boys"

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Ao longo de sua carreira, o Backstreet Boys tem recebido inúmeras indicações e recebido diversos prêmios, que incluem sete Billboard Music Awards, dois MTV Video Music Awards, quatro MTV Europe Music Awards, oito World Music Awards, três American Music Awards, dois Nickelodeon Kids' Choice Awards e Teen Choice Awards, dentre outros.[170]

Turnês[editar | editar código-fonte]

Como artista principal
Como co-artista principal
Como artista convidado
Concerto de residência

Referências

  1. «Backstreet Boys». Consultado em 12 de abril de 2011 
  2. Feeney, Katherine (6 de janeiro de 2010). «Backstreet Boys are back». The Sydney Morning Herald. Consultado em 22 de janeiro de 2014 
  3. a b «Backstreet Boys Score First No. 1 Album in Nearly 20 Years on Billboard 200 Chart With 'DNA'». Billboard. 3 de fevereiro de 2019. Consultado em 20 de abril de 2019 
  4. a b c d «Backstreet Boys Biography». StarPulse.com. Consultado em 25 de março de 2010. Arquivado do original em 20 de agosto de 2009 
  5. a b c d Burrough, Bryan (Novembro de 2007). «Mad About the Boys». Vanity Fair. Consultado em 22 de maio de 2017. Cópia arquivada em 1 de março de 2010 
  6. McLean, Denise; Gotlin, Nicole (22 de junho de 2009). Backstreet Mom: A Mother's Tale of Backstreet Boy AJ McLean's Rise to Fame, Struggle with Addiction, and Ultimate Triumph. [S.l.: s.n.] ISBN 9781935251439 
  7. Murrin, Anita (2 de setembro de 2005). «The Backstreet Boys get back to basics». Inside Portland. Consultado em 22 de maio de 2017. Cópia arquivada em 7 de janeiro de 2009 
  8. «Happy 18th Anniversary to Our Boys!!!». 20 de abril de 2011. Consultado em 22 de maio de 2017 
  9. Feigenbaum, Nancy (31 de julho de 1991). «Merchants Say They're Bugged By Problems At New Flea Market». Orlando Sentinel. Consultado em 22 de maio de 2017 
  10. «From big hits to big lawsuits». Sun-Sentinel. 21 de dezembro de 2008. Consultado em 22 de maio de 2017 
  11. McLean, Denise (Novembro de 2003). Backstreet Mom. [S.l.]: BenBella Books. ISBN 1-932100-15-6 
  12. Gray, Tyler (2008). The Hit Charade. [S.l.]: HarperCollins. p. 108. ISBN 978-0-06-170186-3. Mas, antes de que qualquer acordo pudesse ser assinado, foi descartado pelo cantor de longa data da Mercury, John Cougar Mellencamp, disse Lou. Ele ameaçou se afastar da gravadora se eles entrassem no ramo de boy bands. 
  13. «CelebrityAccess Industry Profile: David Renzer». Celebrity Access. Consultado em 21 de julho de 2012. Arquivado do original em 4 de novembro de 2013 
  14. Golden, Anna Louise (15 de setembro de 2015). Backstreet Boys: They've Got It Goin' On!. [S.l.: s.n.] ISBN 9781250098207 
  15. a b «Backstreet Boys' US singles chart-positions». Billboard Magazine. Consultado em 24 de janeiro de 2010. Arquivado do original em 24 de janeiro de 2010 
  16. a b «Backstreet Boys' German singles chart-positions». Musicline.de. Consultado em 24 de janeiro de 2010. Arquivado do original em 29 de setembro de 2012 
  17. «Backstreet Boys' European chart-positions on We've Got It Going On». HitParade.Ch (em sueco). swisscharts.com. Cópia arquivada em 11 de fevereiro de 2010 
  18. «Backstreet Boys: Backstreet Boys (international version)». swisscharts.com. Consultado em 1 de março de 2010. Arquivado do original em 11 de fevereiro de 2010 
  19. Hits of the World: Canada's albums (November 4, 1996). Nielsen Business Media, Inc. [S.l.]: Billboard Magazine. 9 de novembro de 1996. Consultado em 29 de março de 2010 
  20. a b «Gold-/Platin-Datenbank (Backstreet Boys)» (em alemão). Bundesverband Musikindustrie. Consultado em 24 de janeiro de 2010 
  21. «COMET 2007: History – Die Gewinner». Consultado em 10 de junho de 2012. Cópia arquivada em 22 de março de 2007 
  22. «Backstreet Boys-Anywhere For You». swisscharts.com. Consultado em 3 de março de 2010. Cópia arquivada em 11 de fevereiro de 2010 
  23. Backstreet Boys View Their Teen Act Origins As the Start of their Career. Nielsen Business Media, Inc. [S.l.]: Billboard Magazine. 23 de maio de 1998. Consultado em 4 de agosto de 2010 
  24. «Backstreet Boys US certifications on Quit Playing Games». RIAA. Consultado em 3 de março de 2010 
  25. a b «Backstreet Boys' German albums chart-positions». Musicline.de. Consultado em 24 de janeiro de 2010. Arquivado do original em 13 de agosto de 2011 
  26. «Backstreet Boys' European chart-positions on Backstreet's Back». swisscharts.com. Consultado em 24 de janeiro de 2010. Cópia arquivada em 11 de fevereiro de 2010 
  27. «IFPI (Europe) Certification-awards 1998». IFPI. Consultado em 24 de janeiro de 2010. Cópia arquivada em 5 de fevereiro de 2010 
  28. Backstreet Boys Move Onto Main. Nielsen Business Media, Inc. [S.l.]: Billboard Magazine. 19 de julho de 1997. Consultado em 2 de março de 2010 
  29. «Backstreet Boys - Biography». Billboard Magazine. Consultado em 22 de maio de 2017. Arquivado do original em 25 de maio de 2013 
  30. a b Helligar, Jeremy (14 de setembro de 1998). «Where the Boys Are». People. Consultado em 22 de julho de 2012 
  31. «Backstreet Boys: Local manager milked millions». Orlando Business Journals. 14 de setembro de 1998. Consultado em 13 de agosto de 2012 
  32. Carlson, Peter (6 de novembro de 1999). «THE MUSIC MACHINE: 'Big Poppa' Pearlman Takes Kids and Turns Them Into Stars. Then They Sue Him». The Washington Post (1707922510) 
  33. «Backstreet Boys Sue Pearlman, Trans Continental». Billboard. Consultado em 10 de fevereiro de 2010 
  34. «Mark Your Calendar For Backstreet Day». Orlando Sentinel. Consultado em 26 de maio de 2012 
  35. «Backstreet Boys Settle With Pearlman, Record New Album». MTV. Consultado em 3 de março de 2010 
  36. Official Charts Company – Backstreet Boys – I Want It That Way Consultado em 12 de fevereiro de 2011
  37. «Backstreet Boys' European Chart- I Want It That Way». swisscharts.com. Consultado em 1 de março de 2010. Cópia arquivada em 11 de fevereiro de 2010 
  38. «Backstreet Boys album Millennium». MTV. Consultado em 1 de março de 2010 
  39. a b «Backstreet Boys - Billboard Hot 100 (Chart-history)». Billboard Magazine. Consultado em 2 de março de 2010. Arquivado do original em 17 de março de 2010 
  40. «Britney Scores Second Best Soundscan Week». AllBusiness. 24 de maio de 2000. Consultado em 18 de janeiro de 2010. Cópia arquivada em 8 de janeiro de 2009 
  41. «U Music captures top market share». Variety. 5 de janeiro de 2000. Consultado em 23 de julho de 2012 
  42. «Soundscan Annual Report 1999». Backstreet.net. 5 de janeiro de 2000. Consultado em 18 de junho de 2012 
  43. «Top Selling Albums From 1991–2008». collectiblesblog.net. 14 de agosto de 2009. Consultado em 3 de março de 2010. Arquivado do original em 19 de agosto de 2009 
  44. «2009 U.S. Music Purchases up 2.1% over 2008; Music Sales Exceed 1.5 Billion for Second Consecutive Year». businesswire.com. 24 de maio de 2000. Consultado em 18 de janeiro de 2010. Cópia arquivada em 16 de janeiro de 2010 
  45. «Search Result: Backstreet Boys». RIAA. 24 de maio de 2000. Consultado em 18 de janeiro de 2010 
  46. «The Nielsen Company & Billboard's 2012 Music Industry Report». MarketWatch. 4 de janeiro de 2013. Consultado em 22 de janeiro de 2013 
  47. «Backstreet Boys – Biography». Sony BMG. 2006. Consultado em 17 de setembro de 2013. Cópia arquivada em 11 de setembro de 2007. The next two BSB albums ("Backstreet's Back" and "Millennium") enjoyed worldwide sales of 24 million copies each. 
  48. «Backstreet Boys Wrap Up Sold-out World Tour». NYRock. World Beat. 24 de março de 2000. Consultado em 18 de maio de 2008. Arquivado do original em 5 de setembro de 2008 
  49. Nailen, Dan (23 de outubro de 1999). «Backstreet Boys Take Success 'Into the Millennium'». The Salt Lake Tribune. Consultado em 18 de maio de 2008 
  50. Evans, Rob (19 de agosto de 1999). «Backstreet Boys Cash In On Unorthodox Ticket Sales Plan». LiveDaily. Consultado em 18 de maio de 2008. Cópia arquivada em 11 de fevereiro de 2010 
  51. Bob, By (30 de outubro de 2009). «U2's Rose Bowl Show Breaks Attendance Record». Billboard.biz. Consultado em 10 de junho de 2012 
  52. Lewis, Mark (11 de novembro de 1999). «Backstreet Boys Pave Golden Road In New Deal With JIVE Records». Consultado em 18 de junho de 2012 
  53. «Backstreet Bahama Boys». CBS News. 16 de maio de 2000. Consultado em 5 de março de 2010 
  54. Johnson, Tina (21 de junho de 2000). «Backstreet's Kevin Gets Hitched». MTV. Consultado em 4 de março de 2010 
  55. Manning, Kara (21 de junho de 2000). «Backstreet Boys Set Up Studio Time». MTV. Consultado em 4 de março de 2010 
  56. «Backstreet Boys Get To Get "Black and Blue"On New LP». MTV. 19 de setembro de 2000. Consultado em 4 de março de 2010 
  57. Saidman, Sorelle (21 de agosto de 2000). «Backstreet Boys Say "It's True" On Burger CDs». MTV. Consultado em 4 de março de 2010 
  58. «Backstreet Boys album Black & Blue». MTV. Consultado em 3 de março de 2010 
  59. Lee, Kevin (21 de novembro de 2001). «Backstreet Boys Launch Black & Blue Tour». ABC News. Consultado em 22 de maio de 2017. Arquivado do original em 4 de junho de 2011 
  60. «Backstreet Boys: Biography on Rolling stone». Rolling Stone. Consultado em 22 de maio de 2017. Arquivado do original em 21 de novembro de 2012 
  61. «Charts: Backstreet Boys score another No. 1 with Black & Blue». SoundSpike. 29 de novembro de 2000. Consultado em 9 de fevereiro de 2010 
  62. Backstreet's Back in Action. Billboard Magazine. [S.l.]: Nielsen Business Media, Inc. 5 de março de 2005. Consultado em 3 de março de 2010 
  63. «2001 Super Bowl XXXV». Super-bowl-history.us. 28 de janeiro de 2001. Consultado em 4 de abril de 2012. Arquivado do original em 4 de março de 2012 
  64. «The Oprah Winfrey Show – Transcript» (PDF). Harpo Productions Inc. Consultado em 18 de junho de 2012. Arquivado do original (PDF) em 17 de abril de 2013 
  65. «Allmusic: The Hits: Chapter One». AllMusic. Consultado em 14 de março de 2013 
  66. «Allmusic: The Hits: Chapter One». AllMusic. Consultado em 14 de março de 2013 
  67. «Backstreet Boys' UK chart-positions». Official Charts Company. Consultado em 9 de fevereiro de 2010 
  68. «Backstreet Boys - Canadian Albums chart-positions». Billboard Magazine. Consultado em 11 de novembro de 2017. Arquivado do original em 10 de novembro de 2017 
  69. «Backstreet Boys' European and Australasian chart-positions on The Hits: Chapter One». swisscharts.com. Consultado em 9 de fevereiro de 2010 
  70. «Backstreet Boys' US certifications». RIAA. Consultado em 9 de fevereiro de 2010 
  71. «IFPI Platinum Europe Awards – 2002». IFPI. Consultado em 9 de fevereiro de 2010. Arquivado do original em 10 de fevereiro de 2010 
  72. a b c Strauss, Neil (18 de agosto de 2002). «Music; The Lost Boys: How a Pop Sensation Came Undone». New York Times. Consultado em 24 de agosto de 2012 
  73. «Backstreet Boys' Backs Are Up». Cbsnews.com. 27 de novembro de 2002. Consultado em 22 de maio de 2017 
  74. Hiatt, Brian (27 de novembro de 2002). «Backstreet Boys sue Zomba for allegedly blocking album release». Entertainment Weekly. Consultado em 22 de maio de 2017 
  75. a b Moss, Corey (4 de dezembro de 2003). «Backstreet Boys Inspired By Oprah To Hit Studio Again». MTV. Consultado em 5 de março de 2010. Cópia arquivada em 12 de fevereiro de 2010 
  76. «Everybody, Backstreet's back». The Boston Globe. 20 de dezembro de 2003. Consultado em 5 de março de 2010 
  77. Friedman, Roger (9 de fevereiro de 2004). «Justin Timberlake Gets Debut Movie Role». Fox News. Consultado em 5 de março de 2010. Arquivado do original em 13 de setembro de 2009 
  78. «Backstreet Boys 'Never Gone'». Rolling Stone. 16 de junho de 2005 
  79. «Backstreet Boys 'Never Gone'». CBS News. 14 de junho de 2005 
  80. «SingerUniverse Magazine – Backstreet Boys article». singeruniverse.com. Consultado em 18 de junho de 2012 
  81. Kaufman, Gil (26 de junho de 2006). «Kevin Richardson Quits Backstreet Boys». MTV. Consultado em 4 de março de 2010. Cópia arquivada em 12 de fevereiro de 2010 
  82. «Statement to our fans from the Backstreet Boys regarding Kevin Richardson departure from the group». Backstreet Boys. 23 de junho de 2006. Cópia arquivada em 25 de junho de 2006 
  83. a b «Backstreet Boys hope to restore fading fortunes». Reuters. 12 de outubro de 2007. Consultado em 4 de setembro de 2012 
  84. «Eagles Fly Past Britney To Debut At No. 1». Billboard. Consultado em 18 de junho de 2012 
  85. «Backstreet Boys Live in Concert on MSN Video». MSN. Consultado em 13 de setembro de 2012. Arquivado do original em 20 de abril de 2013 
  86. «Backstreet Boys – All Five Of Them – Reunite Onstage In L.A.». MTV. 24 de novembro de 2008. Consultado em 12 de julho de 2012 
  87. Glastetter, Jason (28 de julho de 2009). «Backstreet Boys are back, alright! July 28, 2009». Theendofirony.net. Consultado em 18 de junho de 2012 
  88. a b «This Is Us' review at Allmusic». Allmusic. Consultado em 22 de maio de 2017 
  89. «Michael Buble Beats Kiss». Billboard. Arquivado do original em 7 de julho de 2011 
  90. «週間 アルバムランキング (2009年10月12日付)» [Classificação semanal de álbum (12-10-2009)] (em japonês). Oricon. Consultado em 19 de outubro de 2009. Cópia arquivada em 4 de dezembro de 2014 
  91. «Search results of the Japanese Oricon Weekly Albums Chart (October - 2009)» (em japonês). Oricon. Consultado em 19 de outubro de 2009. Arquivado do original em 9 de outubro de 2009 
  92. «Brian Littrell Has Swine Flu». People. 5 de outubro de 2009. Consultado em 13 de agosto de 2012 
  93. Kaufman, Gil (5 de outubro de 2009). «Backstreet Boys' Brian Littrell Diagnosed With Swine Flu». MTV Networks. MTV News. Consultado em 8 de fevereiro de 2011 
  94. «Brian Littrell Diagnosed with Swine Flu». Backstreet Boys. 5 de agosto de 2009. Consultado em 13 de agosto de 2012 
  95. «The Backstreet Boys Reunite». Oprah.com. Consultado em 23 de maio de 2012 
  96. «Backstreet Boys part ways with longtime label JIVE: 'This is the best thing that could happen to us'». Entertainment Weekly. Consultado em 12 de julho de 2012 
  97. «Rising Pop Star Ashlyne Huff is Set to Join This Summer's NKOTBSB Tour as the Opening Act» (Nota de imprensa). PR Newswire. 2 de maio de 2011. Consultado em 21 de maio de 2011. Cópia arquivada em 14 de outubro de 2012 
  98. «The Fans Have Spoken! NKOTBSB Track Listing Revealed!» (Nota de imprensa). PR Newswire. 11 de abril de 2011. Consultado em 16 de abril de 2011 
  99. «Top 25 Tours of 2011». Prometheus Global Media. Billboard. 8 de dezembro de 2011. Consultado em 27 de dezembro de 2011. Cópia arquivada em 27 de dezembro de 2011 
  100. «Kevin Richardson joins Backstreet Boys and New Kids on the Block in Los Angeles». Pop2it – Zap2it. 2 de julho de 2011. Consultado em 23 de maio de 2012 
  101. «Kevin Richardson On Appearing with the Backstreet Boys Again [AUDIO]». Ryan Seacrest Productions. 25 de outubro de 2011. Consultado em 25 de outubro de 2011 
  102. «Kevin Richardson Contemplates Rejoining the Backstreet Boys». US Weekly. Consultado em 19 de julho de 2012 
  103. «Special Announcement from London!». 29 de abril de 2012. Consultado em 30 de abril de 2012 
  104. «Brian Littrell Q&A! (Melbourne 19/5)» (Video). 19 de maio de 2012. Consultado em 29 de setembro de 2012 
  105. «AJ McLean & Jonathan Knight Interview» (Video). Novum. Consultado em 19 de julho de 2012 
  106. «Backstreet Boys Recording Fifth Album as a Quintet, Living Together in London». US Magazine. Consultado em 18 de julho de 2012 
  107. «All Five Original Backstreet Boys Prep New Album». Rolling Stone. 18 de julho de 2012. Consultado em 18 de julho de 2012 
  108. «Reunited Backstreet Boys Announce 'Good Morning America' Concert». ABC News. 17 de julho de 2012. Consultado em 17 de julho de 2012 
  109. a b «The Backstreet Boys Reunite On 'Good Morning America,' Announce Backstreet Cruise For 2013». Huffington Post. 31 de agosto de 2012. Consultado em 31 de agosto de 2012 
  110. Malach, Maggie (5 de novembro de 2012). «Backstreet Boys, 'It's Christmas Time Again' Premiere: Band Rings in Holiday Season with New Song». AOL Music. Consultado em 5 de novembro de 2012 
  111. «It's Christmas Time Again». Amazon. Consultado em 6 de novembro de 2012 
  112. Trust, Gary (16 de novembro de 2012). «Weekly Chart Notes: Phillip Phillips Finds His 'Home' At No. 1». Billboard. Consultado em 20 de novembro de 2012 
  113. Gonzalez, Sandra (21 de abril de 2013). «Backstreet Boys reflect on their 20th anniversary, release album sneak peeks». Entertainment Weekly. Consultado em 22 de abril de 2013 
  114. Clare, Donna (21 de abril de 2013). «The Backstreet Boys Celebrate 20 Years». CNN. Consultado em 22 de abril de 2013 
  115. «Backstreet Boys Get Star on Hollywood Walk of Fame». People. 22 de abril de 2012. Consultado em 22 de abril de 2012 
  116. «Backstreet Boys Announce 'In a World Like This' 20th Anniversary Tour». On Air With Ryan Seacrest. 13 de maio de 2013. Consultado em 13 de maio de 2013 
  117. «2014 Year End Top 100 Worldwide Tours» (PDF). Pollstar Pro. Consultado em 12 de janeiro de 2015 
  118. «Billboard Japan Top Albums». Billboard. Consultado em 3 de agosto de 2013 
  119. «INTL: Backstreet Boys' New Album 'In A World Like This' Enters The Top5». BMG. 14 de agosto de 2013. Consultado em 16 de agosto de 2013 
  120. «Backstreet Boys return with a new album!». Jawhara Magazine. 19 de novembro de 2016 [ligação inativa]
  121. «Backstreet Boys: Show 'Em What You're Made Of». TimeOut. 23 de fevereiro de 2015 
  122. «后街男孩全球巡演4月北京开唱 3月21日全面开票» (em chinês). 新华网. 18 de março de 2015 
  123. «The Backstreet Boys Announce Four Australian Shows in May». lockerdome. 12 de fevereiro de 2015 
  124. «The Backstreet Boys' 'Show 'Em (What You're Made Of) Video: A Noir Fantasia Of Boy Band Facial Expressions». MTV. 19 de novembro de 2013. Consultado em 30 de novembro de 2013 
  125. «Best of 2013 (Behind the Scenes): Evan Goldberg on how much of 'This Is The End' was improvised, his favorite moments». EW. 3 de dezembro de 2013. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  126. Clark, Cindy (13 de abril de 2014). «2014 MTV Movie Awards winner's list». USA Today. Consultado em 13 de abril de 2014 
  127. Clark, Cindy (16 de dezembro de 2013). «Obamas, Hugh Jackman celebrate 'Christmas in Washington'». USA Today. Consultado em 25 de dezembro de 2013 
  128. «Backstreet's Back ... In Court! BSB Suing Former Manager Lou Pearlman For $3.5 Million». Radar Online. 7 de março de 2014. Consultado em 11 de março de 2014 
  129. Chutchian, Maria (7 de março de 2014). «Backstreet Boys To Quit Playing Games With Ch. 11 Claims». Law360. Consultado em 11 de março de 2014 
  130. Brinkmann, Paul. «Backstreet Boys get recordings, posters in final Pearlman payout». Orlando Sentinel. Consultado em 22 de outubro de 2014 [ligação inativa]
  131. a b Garibaldi, Christina (2 de dezembro de 2014). «Backstreet Boys Are Back With A New Movie: Find Out When It Hits Theaters». MTV. Consultado em 3 de dezembro de 2014 
  132. «international : Backstreet Boys». Backstreetboys.com. Consultado em 9 de janeiro de 2015 
  133. Papadatos, Markos (12 de abril de 2015). «Backstreet Boys members inducted into Kentucky Music Hall of Fame». Consultado em 13 de abril de 2015 
  134. «First Images from Dead 7 Feature the Backstreet Boys in the Wild West». Dread Central 
  135. Flaherty, Keely (28 de março de 2016). «Members Of The Backstreet Boys, NSYNC, O-Town, And 98 Degrees Recorded A New Song». Consultado em 28 de março de 2016 
  136. Tailor, Lenna (18 de outubro de 2015). «Backstreet Boys' A.J. McLean on Fiery Solo Song, Nick Carter Zombie Western». Consultado em 6 de outubro de 2015. Arquivado do original em 9 de abril de 2018 
  137. Snetiker, Mark (7 de janeiro de 2016). «'Undateable' books Backstreet Boyz, Weezer, and Charlie Puth». Entertainment Weekly. Consultado em 27 de fevereiro de 2016 
  138. «EXCLUSIVE: Nick Carter Confirms Backstreet Boys' Las Vegas Residency, Teases New Album». etonline.com. Consultado em 4 de julho de 2016 
  139. «Backstreet Boy A.J. McLean Raves About Britney's Hot Body». 13 de abril de 2016. Consultado em 4 de julho de 2016 
  140. «Watch Greatest Hits TV Show». ABC. Consultado em 20 de julho de 2016 
  141. «Backstreet Boys Going Country?: AJ & Nick Talk New Album After Florida Georgia Line Collab». hollywoodlife.com. Consultado em 15 de setembro de 2016 
  142. «Backstreet Boys To Perform Las Vegas Residency». 24 de setembro de 2016. Consultado em 20 de maio de 2019 
  143. Kreps, Daniel (24 de setembro de 2016). «Backstreet Boys Announce 2017 Las Vegas Residency». Rolling Stone. Consultado em 20 de maio de 2019 
  144. «Backstreet Boys Go Country With Florida Georgia Line – Listen To 'God, Your Mama, & Me'». hollywoodlife.com. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  145. Trust, Gary (8 de março de 2017). «Backstreet's Back! Backstreet Boys Notch First Billboard Hot 100 Hit Since 2007». Consultado em 20 de maio de 2019 
  146. «Backstreet Boys Announce New Single 'Don't Go Breaking My Heart'». Billboard. 14 de maio de 2018. Consultado em 14 de maio de 2018 
  147. «Backstreet Boys Earn First Pop Songs Chart Hit Since 2007 With 'Don't Go Breaking My Heart'». Billboard. 5 de maio de 2018. Consultado em 27 de setembro de 2018 
  148. a b c Caulfield, Keith (3 de fevereiro de 2019). «Backstreet Boys Score First No. 1 Album in Nearly 20 Years on Billboard 200 Chart With 'DNA'». Billboard. Consultado em 20 de maio de 2019 
  149. Vartan, Kristin (9 de abril de 2019). «Backstreet Boys' Nick Carter on Grammy Museum Exhibit & Renewed Success: 'We're Just Living in the Moment'». Billboard. Consultado em 20 de maio de 2019 
  150. Museum, Grammy. «An Evening With Backstreet Boys». www.grammymuseum.org. Consultado em 20 de maio de 2019 
  151. «The Backstreet Boys Are Releasing Their First-Ever Christmas Album». news.yahoo.com 
  152. Tailor, Leena (9 de abril de 2019). «Backstreet Boys' 'I Want It That Way' Turns 20: The Story Behind the Hit's Mystery Lyrics». Billboard. Consultado em 20 de maio de 2019 
  153. «Backstreet Boys Honored with Iconic Handprint Ceremony at Planet Hollywood Resort & Casino in Las Vegas». vegasnews.com. Consultado em 20 de maio de 2019 
  154. Bajgrowicz, Brooke (9 de novembro de 2018). «Backstreet Boys Announce Massive 70-Date World Arena Tour: See the Dates». Billboard. Consultado em 20 de maio de 2019 
  155. Michelson, Noah (13 de junho de 2010). «Catching Up with the Backstreet Boys». Out Magazine. Consultado em 20 de maio de 2019 
  156. Karger, Dave (20 de maio de 2011). «Summer music preview: NKOTBSB». Entertainment Weekly. Consultado em 20 de maio de 2019 
  157. Reece, Doug (19 de julho de 1997). «Backstreet Boys Move Onto Main». Billboard. Consultado em 20 de maio de 2019 
  158. «Howie D coming for Sarah CD launch». The Philippine Star. 9 de setembro de 2008. Consultado em 20 de maio de 2019 
  159. Cooper, Chet. «Kevin Richardsons Interview by Chet Cooper». Ability Magazine. Consultado em 20 de maio de 2019 
  160. «Backstreet Boys Hope New Album Shows 'Evolution'». Billboard. 10 de agosto de 2007. Consultado em 20 de maio de 2019 
  161. Robbins, Jefferson (28 de julho de 2010). «Four-part harmony». The Wenatchee World. Consultado em 20 de maio de 2019 
  162. «Backstreet Boys Full Biography». VH1. Consultado em 20 de maio de 2019. Arquivado do original em 22 de outubro de 2012 
  163. Jermolajew, Taylor. «Backstreet's Back Review». Sputnik Music. Consultado em 20 de maio de 2019 
  164. «Never Gone – Backstreet Boys». AllMusic. Consultado em 20 de maio de 2019 
  165. Bodia, Joe. «Backstreet Boys – Never Gone Tour». Gashaus. Consultado em 20 de maio de 2019. Arquivado do original em 27 de dezembro de 2010 
  166. «Backstreet Boys The Man Band». MTV. Consultado em 20 de maio de 2019 
  167. Lamb, Bill. «Backstreet Boys – Unbreakable». About.com. Consultado em 20 de maio de 2019 
  168. «Backstreet Boys' Unbreakable: An Undeniably Strong Album». Yahoo! Voices. 26 de outubro de 2007. Consultado em 20 de maio de 2019. Arquivado do original em 20 de junho de 2012 
  169. «Review: Backstreet's Back 'In A World Like This' And They're 'Alright'». Starpulse. 2 de agosto de 2013. Consultado em 20 de maio de 2019. Arquivado do original em 5 de agosto de 2013 
  170. «Awards for Backstreet Boys». MetroLyrics. Consultado em 20 de maio de 2019. Arquivado do original em 29 de julho de 2013 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Imagens e media no Commons
Commons Categoria no Commons