Baco Exu do Blues

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Baco Exu do Blues
Informação geral
Nome completo Diogo Alvaro Ferreira Moncorvo
Nascimento 11 de janeiro de 1996 (22 anos)
Origem Salvador, BA
Nacionalidade Brasileiro
Gênero(s)
Ocupação(ões)
Instrumento(s) Vocal

Diogo Alvaro Ferreira Moncorvo (Salvador, 11 de janeiro de 1996), mais conhecido pelo nome artístico Baco Exu dos Blues, é um cantor, rapper e compositor brasileiro. Baco começou a ganhar popularidade após o lançamento da faixa Sulicídio,[1] composta em 2016 com o rapper Diomedes Chinaski, onde ambos fazem críticas aos cenário nacional do rap, concentrado nos estados do Rio de Janeiro e São Paulo, reivindicando mais visibilidade para a produção musical de outros estados brasileiros.[2] Dentre as principais características de Baco estão suas fortes metáforas com letras cruas e poéticas, que falam sobre amor, sexo, poder, religião e sociedade.

Esú[editar | editar código-fonte]

Em setembro de 2017, Baco lançou o seu primeiro disco solo, Esú, aclamado pela mídia e pela crítica.[3][4][5][6] O álbum constrói uma ponte entre fé, morte, amor, literatura (como nas citações aos escritores Jorge Amado, Machado de Assis e Mário de Andrade), fotografia (com inspirações no artista baiano Mario Cravo Jr.) e cinema (como em canção homônima ao sci-fi de Pedro Almódovar, A Pele que Habito).

Com o álbum, Baco foi indicado ao Troféu APCA 2017 nas categorias artista relevação, música do ano e disco do ano.[7] "Te Amo Disgraça", uma das canções do álbum, foi laureada como a Melhor Música de Rap pelo site Genius, através do Prêmio Genius Brasil de Música 2017.[8]

Referências