Baculejo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde dezembro de 2009)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
"The Correct Procedure for a Visual Search" - A 1990 video produced by the for the Federal Bureau of Prisons (United States)

O baculejo, também conhecida pela redução bacu [1] (gíria para revista pessoal, inspeção ou busca pessoal), é um ato utilizado pela polícia para abordar suspeitos. O baculejo consiste na revista ou inspeção física, por um policial diretamente no corpo do suspeito. É feito por um policial ou um segurança de certos eventos e consiste na busca para localizar armas ou drogas que possam estar escondidas no corpo de um suspeito. Em várias localidades já se tem substituído a prática do ato, considerado constrangedor e até mesmo ineficiente; pode ser substituído, por exemplo pela utilização de detectores de metal e cães farejadores. A utilização do ato como forma de prevenção do delito é ilegal, ou seja, o indivíduo só pode sofrer uma busca pessoal depois que já ficou comprovado que cometeu certo crime.[2]

No Brasil[editar | editar código-fonte]

A prática está autorizada no ordenamento processual penal brasileiro, em seu artigo 240, § 2.o. do Código de Processo Penal, ante suspeita fundada de ocultação de arma ou objetos envolvidos/utilizados em ilícitos ou que possam ser úteis à investigação criminal.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • DireitoNet –; artigo: "Levar baculejo é legal?"