Balada da Praia dos Cães

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o filme, veja Balada da Praia dos Cães (filme).
Balada da Praia dos Cães
Autor(es) José Cardoso Pires
Idioma língua portuguesa
País Portugal Portugal
Género Ficção
Linha temporal Anos 60
Localização espacial Setúbal
Lançamento 1982
Páginas 256
Edição portuguesa
Editora O Jornal
ISBN ISBN 972-20-1232-0
Cronologia
Corpo-Delito na Sala de Espelhos
Alexandra Alpha

Balada da Praia dos Cães é um livro da autoria de José Cardoso Pires, publicado em Portugal em 1982.

Escrita no período pós-revolução de 25 de Abril de 1974, esta obra situa a acção no princípio dos anos 60, retratando alguns aspectos da sociedade portuguesa em plena época da ditadura salazarista.

O livro recebeu em 1987 o Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores. Nesse mesmo ano, com base na obra, foi realizado por José Fonseca e Costa um filme com o mesmo título.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Balada da Praia dos Cães relata a investigação dum assassínio. A história começa com o relatório da descoberta dum cadáver enterrado na praia do Mastro, graças a alguns cães que, casualmente, dão com o morto sepultado na areia. Mais tarde a polícia descobre tratar-se do major Luís Dantas Castro, um militar preso por tentativa de sedição militar contra o regime político vigente, e que escapara da prisão, indo recolher-se, juntamente com três cúmplices: Mena, uma jovem mulher com quem o major tinha uma violenta e obsessiva relação antes do seu encarceramento, o arquitecto Fonte nova, outro prisioneiro detido pelo seu envolvimento com a revolta militar e membro do mesmo movimento de resistência anti-salazarista do Major, e o cabo Barroca, um guarda do campo a cumprir o seu serviço militar.

Os quatro refugiam-se numa casa situada a 20 km de Lisboa, aguardando a ajuda do advogado Gama e Sá, por eles apelidado Comodoro.

O responsável pela investigação é Elias Santana, um chefe da brigada da Polícia Judiciária, que vai reconstituindo o crime graças sobretudo aos interrogatórios feitos a Mena, confirmados e completados mais tarde pelos outros dois cúmplices, entretanto detidos. Comprova-se que o major fora assassinado pelos seus três companheiros de fuga.

A acção do livro desenrola-se em dois planos: por um lado, o sucedido antes do crime, contado pela perspectiva de Mena; por outro, o próprio inquérito policial e a vida de Elias Santana. Neste último plano, o livro retrata a realidade e os métodos da polícia em pleno regime do Estado Novo, bem como a vida triste, rotineira e apagada de Elias Santana.

Referências[editar | editar código-fonte]

PIRES, José Cardoso, Balada da Praia dos Cães, 2ª ed., Lisboa: Dom Quixote, 2008. ISBN 978-972-20-3438-8.