Baldwin-Westinghouse C+C

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Baldwin-Westinghouse C+C
Tren.svg
Locomotiva Baldwin-Westinghouse C+C da Companhia Paulista em 1922.
Descrição
Propulsão Elétrica
Fabricante Baldwin-Westinghouse
( Estados Unidos)
Número de série 214-215[1]
219-226
Ano de fabricação 2 – 1921
8 - 1927/28
Locomotivas fabricadas 10
Classificação AAR C+C
Tipo de serviço Carga
Características
Bitola 1,600 m
Diâmetro das rodas 1,016 m
Comprimento 15,291 m
Altura 3,834 m
Peso da locomotiva 106 t
Peso por eixo 17,7 t
Tipo de combustível Eletricidade
Método de eletrificação Corrente Continua
Tensão 3.000 V
Tipo de captação de energia Pantógrafo
Tração múltipla Sim (dupla)
Performance
Velocidade máxima 65 km/h
Potência total 1.350 hp
Esforço de tração 26.534 kg
Operação
Ferrovias Originais CPEF
Ferrovias que operou Fepasa
Numeração SIGO 6411 - 6418
Apelidos Cristaleira
Local de operação São Paulo
Ano da entrada em serviço 1922 e 1927/28
Situação Original nº 218 preservada no Museu de Jundiai-SP, com pintura Fepasa nº 6413

A locomotiva Baldwin-Westinghouse C+C foi um tipo de Locomotiva Elétrica construída pelas empresa Baldwin Locomotive Works (componentes mecânicos) e Westinghouse Electric Corporation (componentes elétricos) comprada pela Companhia Paulista de Estradas de Ferro em 1921 (duas unidades) e 1927/28 (oito unidades).

Fez parte do primeiro grupo de locomotivas elétricas encomendadas pela Paulista no início da operação do sistema eletrificado.[2] Inicialmente foram encomendadas 16 locomotivas elétricas, sendo 12 fabricadas pela GE (8 carga e 4 passageiro) e 4 pela Baldwin-Westinghouse (2 carga e 2 passageiro).[3]

Em 1927 foram compradas mais oito locomotivas junto a Baldwin-Westinghouse.

Sua numeração inicial seguiu o padrão da Paulista de adotar número sequenciais em função da entrada em operação de nova locomotivas (214-215 e 219-226), posteriormente foram renumeradas (410 a 419). Quando da criação da Fepasa foram inicialmente numeradas de 6321 a 6330. Duas destas locomotivas foram baixadas, e as restantes passaram por uma reforma, sendo novamente renumeradas (6411 a 6418).[4]

Baldwin-Westinghouse C+C da Companhia Paulista nº 226 em 1928.
Baldwin-Westinghouse C+C da Fepasa nº 6413, preservada no Museu de Jundiaí.

Inicialmente as locomotivas Baldwin-Westinghouse C+C foram encomendadas para transporte de carga, mas em 1968[5] eram classificadas como de uso misto (carga e passageiro). Foram desativadas pela Fepasa, pois não constavam da lista de locomotivas operacionais em 1992.[6]

Referências

  1. The Baldwin Locomotive Works (1922). A Baldwin no Brasil, 1862 – 1922. [S.l.: s.n.] 
  2. Jorge Hereth / Flavio R. Cavalcanti. «A eletrificação da Paulista». Consultado em 13 de março de 2009 
  3. Antonio Augusto Gorni (2009). A ELETRIFICAÇÃO NAS FERROVIAS BRASILEIRAS - A ELETRIFICAÇÃO NAS FERROVIAS BRASILEIRAS - Companhia Paulista de Estradas de Ferro. [S.l.: s.n.] 
  4. Jorge Hereth / Flavio R. Cavalcanti. «As locomotivas elétricas da CP». Consultado em 13 de março de 2009 
  5. CPEF (1969). Companhia Paulista de Estradas de Ferro – Relação das Locomotivas Elétricas e Diesel-Elétricas - 1968. [S.l.: s.n.] 
  6. Flavio R. Cavalcanti. «Locomotivas da Fepasa». Consultado em 03 de março de 2009  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)