Baleia-bicuda-de-gervais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Como ler uma infocaixa de taxonomiaBaleia-bicuda-de-gervais
Gervais' beaked whale size.svg
Estado de conservação
Espécie pouco preocupante
Pouco preocupante (IUCN 3.1) [1]
Classificação científica
Reino: Animal
Filo: Cordados
Classe: Mammalia
Ordem: Cetáceos
Subordem: Odontocetos
Família: Zifiídeos
Género: Mesoplodon
Espécie: M. europaeus
Nome binomial
Mesoplodon europaeus
(Gervais, 1855)
Distribuição geográfica
Cetacea range map Gervais Beaked Whale.png

A baleia-bicuda-de-gervais (nome científico: Mesoplodon europaeus) é um cetáceo da família dos zifiídeos (Ziphiidae) encontrado em águas temperadas e tropicais do oceano Atlântico.

História da descoberta[editar | editar código-fonte]

Em algum momento entre 1836 e 1841, o capitão de um dos navios do mercador e armeiro francês Abel Vautier encontrou um grande animal flutuando na entrada do canal da Mancha, seu corpo coberto por gaivotas. Cortou sua cabeça e a transportou para Caen, onde a apresentou a Vautier. Vautier, por sua vez, ofereceu-o ao anatomista Deslongchamps. O espécime de alguma forma chegou ao cientista francês Paul Gervais, que o descreveu como uma nova espécie em 1855. Por várias décadas, permaneceu como o único espécime conhecido desta espécie, com muitos desconsiderando seu estatuto específico e alegando que apenas representava um espécime adulto aberrante de baleia-bicuda-de-sowerby.[2] A identidade da espécie foi confirmada pela descoberta de dois espécimes de Nova Jérsei, um macho imaturo capturado perto de Atlantic City em 1889 e uma fêmea adulta encontrada encalhada ao norte de Long Branch em 1905.[3]

Comportamento[editar | editar código-fonte]

Um avistamento feito em 1998, a oeste da ilha de Tenerife, envolveu três baleias nadando em águas de 1 500 metros de profundidade. Outro pequeno grupo foi visto a sul da ilha da Grã-Canária. Embora tímidas, permitiram fotos próximas. Emergiram por um curto período de tempo, e seus mergulhos duraram cerca de uma hora.[4] Em setembro de 2008, a nordeste da ilha de Lançarote, alguns exemplares foram fotografadas saindo da água.[5] Em 5 de maio de 2011, um espécime feminino jovem foi encontrado morto e encalhado em Praia Larga de Maunabo, no canto sudeste de Porto Rico (mar do Caribe). A jovem tinha seu estômago cheio de (10 libras) de sacos plásticos.[6] Em 10 de julho do mesmo ano, um espécime foi encontrado morto na península de Iucatã, no México. Investigações adicionais estão sendo realizadas para confirmar a espécie neste caso.[7]

Conservação[editar | editar código-fonte]

A espécie não foi caçada e raramente se enreda em redes de pesca. É abrangida pelo Acordo sobre a Conservação de Pequenos Cetáceos do Báltico, Atlântico Nordeste, Mar da Irlanda e do Norte (ASCOBANS)[8] e pelo Acordo sobre a Conservação dos Cetáceos no Mar Negro, Mar Mediterrâneo e Contíguos Espaço Atlântico (ACCOBAMS).[9] A espécie também está incluída no Memorando de Entendimento Sobre a Conservação do Peixe-boi e pequenos cetáceos da África Ocidental e da Macaronésia.[10]

Notas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Pitman, R. L.; Brownell Jr., R. L. (2020). «Gervais' Beaked Whale - Mesoplodon europaeus». Lista Vermelha da IUCN. União Internacional para Conservação da Natureza (UICN). p. e.T13245A50365198. doi:10.2305/IUCN.UK.2020-3.RLTS.T13245A50365198.en. Consultado em 26 de agosto de 2021 
  2. True, F. W. (1910). An account of the beaked whales of the family Ziphiidae in the collection of the United States National Museum, with remarks on some specimens in other American museums. Washington: Government Printing Office 
  3. Moore, Joseph Curtis (1966). «Diagnoses and Distributions of Beaked Whales of the Genus Mesoplodon Known from North American Waters». In: Norris, Kenneth S. Whales, dolphins, and porpoise. Berkeley: Imprensa da Universidade da Califórnia 
  4. «Zifio de Gervais Mesoplodon europaeus». Cópia arquivada em 13 de maio de 2008 
  5. «Los saltos del zifio de Gervais». Elmundo.es. Setembro de 2008 
  6. «Encuentran ballena muerta en playa de Maunabo». El Nuevo Dia 
  7. «Diario de Yucatán – Jul 12 Online edition». Consultado em 13 de julho de 2011. Arquivado do original em 11 de julho de 2012 
  8. «ASCOBANS – Agreement on the Conservation of Small Cetaceans of the Baltic, North East Atlantic, Irish and North Seas». www.ascobans.org 
  9. «Accobams -». Accobams 
  10. «Species – CMS». www.cms.int 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Mead, J. G.; Brownell, R. L. (2005). «Order Cetacea». In: Wilson, D. E.; Reeder, D. M. Mammal Species of the World: A Taxonomic and Geographic Reference 3.ª ed. Baltimore: Imprensa da Universidade Johns Hopkins. pp. 723–743