Bamerindus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Bamerindus
Razão social Banco Bamerindus do Brasil S/A
Empresa de capital aberto
Slogan "Gente que faz", popularizado na década de 1990[1]
"Mais tempo pra você", slogan póstuma
Atividade Serviços financeiros
Fundação 1929 em Tomazina
Fundador(es) Avelino Antônio Vieira
Encerramento 1997
Sede Curitiba, PR
Proprietário(s) Família Andrade Vieira (1929-1997)
HSBC (até 1997)
Presidente José Eduardo de Andrade Vieira
Produtos Banco
Banco de varejo
Significado da sigla Banco Mercantil e Industrial do Paraná
Sucessora(s) HSBC Bamerindus

Banco Mercantil e Industrial do Paraná S/A (Bamerindus) foi um banco brasileiro com sede na cidade de Curitiba. O grupo empresarial era de propriedade da família Andrade Vieira (fundado por Avelino Antônio Vieira[2]) que, em 1994, passou a ter dificuldades e acabou entrando no Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento do Sistema Financeiro Nacional (PROER). O programa de recuperação não obteve resultados e em 1997 houve a intervenção da instituição pelo Banco Central[3] e parte do banco foi incorporada pelo HSBC, e a outra parte, pelo Banco Central. Seu último presidente foi José Eduardo de Andrade Vieira.

O banco foi imortalizado pela propaganda de sua caderneta de poupança com o ator Toni Lopes no início da década de 1990, exibida principalmente na Rede Globo durante o programa Domingão do Faustão. O jingle era: "O tempo passa, o tempo voa; e a 'Poupança Bamerindus' continua numa boa... é a 'Poupança Bamerindus'!".

História[editar | editar código-fonte]

Avelino Antônio Vieira, nascido em Tomazina, interior do Paraná e ex-vendedor e ex-escriturário de seção bancaria (representação de bancos em pequenas cidades), após concluir o curso de contabilidade na capital paranaense, retorna para sua cidade e abre sua seção bancária.

Em 1929, em plena crise mundial,[4] Avelino resolveu fundar, em Tomazina, uma empresa bancária, e para isto associa-se a alguns amigos e cria a Sociedade Cooperativa de Responsabilidade Limitada Banco Popular e Agrícola do Norte do Paraná (BPA). Em 1944 o BPA foi incorporado ao Banco Comercial do Paraná, do qual Avelino tornou-se diretor comercial. Em 1951 Avelino Vieira assumiu o controle do Banco Meridional da Produção (com apenas quatro agências) e mudou sua razão social para Banco Mercantil e Industrial do Paraná SA. Em abril de 1971 esta denominação foi alterada e assim o Banco Mercantil e Industrial do Paraná SA transformou-se no Banco Bamerindus do Brasil SA,[5] uma das maiores instituições bancárias da América do Sul durante as décadas de 1970 e 1980, entrando em crise e colapso nos anos 1990.[2]

Referências

  1. http://www.updateordie.com/2014/02/25/gente-faz-versao/ GENTE QUE FAZ.
  2. a b Biografia do Homenageado Site da Cohab - Londrina – acessado em 14 de junho de 2010
  3. Acordo encerra batalha de minoritários do Bamerindus Site Gazeto do Povo - edição de 9 de março de 2011
  4. A Solução Site do Sinprorp/SP – acessado em 13 de junho de 2010
  5. Justificativa Site da Câmara Municipal de Curitiba – acessado em 11 de junho de 2010

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um banco ou instituição financeira é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.