Banco de desenvolvimento

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Junho de 2008).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.

Um banco de desenvolvimento é aquele que financia, normalmente a uma taxa de juros inferior à do mercado, projetos cuja finalidade é promover o desenvolvimento econômico de uma determinada região ou grupos de países.

O Banco Central do Brasil, mediante a Resolução CMN 394, de 1976, define os bancos de desenvolvimento como instituições financeiras controladas pelos governos estaduais que têm como objetivo básico proporcionar o suprimento oportuno e adequado dos recursos necessários ao financiamento, a médio e a longo prazos, de programas e projetos que visem a promover o desenvolvimento econômico e social do respectivo Estado.

As operações passivas dos bancos de desenvolvimento são depósitos a prazo, empréstimos externos, emissão ou endosso de cédulas hipotecárias, emissão de cédulas pignoratícias de debêntures e de Títulos de Desenvolvimento Econômico. As operações ativas são empréstimos e financiamentos, dirigidos prioritariamente ao setor privado.

Os bancos de desenvolvimento devem ser constituídos sob a forma de sociedade anônima, com sede na capital do Estado que detiver seu controle acionário, devendo adotar, obrigatória e privativamente, em sua denominação social, a expressão "Banco de Desenvolvimento", seguida do nome do Estado em que tenha sede.

BANCO DA AMAZONIA - BCB Banco de Credito da Borracha

INTRODUCAO: Como fonte dos recursos usados na época do ciclo da borracha (inicio do séc. XX na Amazônia Legal), para utilizar a borracha nas suas industrias, e na utilização armamentista do país americano, A empresa americana (Rubber Development company) como investidora, como fonte de recursos, utilizados para assegurar o crescimento da extração da borracha na Amazônia Legal, a empresa também em nome do pais de sua origem, se associou ao Brasil, para que enfim, o crescimento da Amazônia continuasse a crescer, ja que era praticamente a unica fonte da região, como prioridade, o Brasil era obrigado a exportar para o EUA sem praticamente lucro nenhum, pois, a empresa alegava ser a investidora, e sendo assim tinha livre acesso a produção amazônica, e ficava livre de possíveis taxas/tributos que o governo poderia cobrar, se fosse o caso de outros paises comprar a borracha.

Mas com o crescimento da borracha chinesa a empresa (Rubber Development company) passou a se interessar pela borracha chinesa e não a do Brasil, pelos custos em geral, e a consequência disso foi o declínio da borracha.

Mas passados anos, a legislação, tentando resolver os problemas da região da Amazônia Legal, assim como a região do nordeste brasileiro, resolvem criar constituintes de desenvolvimento para as regiões com problemas em crescimento, dessa forma criou o BCB - Banco de Credito da borracha (na Amazônia legal, e o BNB - Banco do Nordeste Brasileiro, para o nordeste do Brasil), como tentativa de recuperação da região o BCB sendo um Banco Federal, o Estado era quem estava por trás da administração do banco, com foco principal desenvolver a região, sendo com financiamentos e empréstimos a produtores rurais locais da região, motivando assim os pequenos produtores a insistir na região e a promover o desenvolvimento da amazônia, então o BCB foi permanecendo firme com os lucros, dos financiamentos e empréstimos realizados pelos produtores rurais, e também pelas industrias locais.

Depois de ter se estabelecido o BCB passa a ser BANCO DA AMAZÔNIA, de acordo com Constituição Federal de 1946, e depois de dez anos, a lei 1.806 estabelece o BANCO DA AMAZÔNIA como o banco responsável pela valorização econômica da amazônia.

Fonte: BCB - Banco Central do Brasil

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um banco ou instituição financeira é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.