Banda Grafith

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis publicadas por terceiros (desde março de 2015).
Por favor, melhore-o, incluindo referências mais apropriadas vindas de fontes fiáveis e independentes.
Fontes primárias, ou que possuem conflito de interesse geralmente não são suficientes para se escrever um artigo em uma enciclopédia.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)


Banda Grafith
Informação geral
Origem Natal, RN
País  Brasil
Gênero(s) música popular, eventualmente forró, jovem guarda, reggae, axé, bolero, brega e romântico
Período em atividade 1988 – atualmente
Página oficial BandaGrafithRN.com.br
Integrantes Junior
Kaká
Joãozinho
Carlinhos
Marjonny "Pardal"

A Banda Grafith é uma banda de música popular formada em novembro de 1988 em Natal, Rio Grande do Norte, por quatro irmãos que permanecem como integrantes da banda até hoje. O repertório sem limite de gêneros musicais ou preconceitos fez com que a banda conquistasse um público fiel de diferentes camadas sociais, os "Grafiteiros".[1]

A Grafith sempre esteve adequado às novidades de cada geração. Nos anos 80, predominava o rock de Brasília, com Legião Urbana, Capital Inicial, também o Kid Abelha e os Abóboras Selvagens.

A banda começa a espalhar pelo país um grande número de fã-clubes e admiradores, sobretudo no seu estado de origem, além dos estados do Ceará, Pernambuco, Sergipe, Paraíba e até no Rio de Janeiro.[2]

Alguns sucessos históricos da banda: O Bode, Jungle People, O Brasil canta, Camaleão, Fuleragem.

A banda regrava músicas mal sucedidas de outras bandas, o que inclui desde James Blunt até PSY, e transformam em uma verdadeira explosão, e sem duvidas e a Banda mais bem sucedida da historia do Rio Grande Do Norte, são mais de 20 anos de carreira com um auge de 122% nas paradas.[3] Atualmente está mais conhecida pelo fato de que o lutador de mma Renan barão entrou no octógono ouvindo um de seus sucessos.

A banda é conhecida no estado de Rio Grande do Norte por seus dizeres ''Bora negona'' ''Simbora negona''

Seu público está localizado em regiões de baixa escolaridade na cidade de Natal, situados nas zonas norte e oeste, onde a taxa de analfabetismo chega a ser gritante.

Em 4 de novembro de 1988, os irmãos Kaká, Carlinhos, Joãozinho e Júnior se juntaram e compuseram a Banda Grafith. Vinte e cinco anos mais tarde e com todas as mudanças ocorridas durante este longo percurso, a banda é uma das mais conceituadas do Rio Grande do Norte, com média elevada de shows por mês durante o ano (no verão, o número de apresentações dobra) e constantes solicitações para carnavais, formaturas, confraternizações e eventos. Sua história é sempre lembrada e comemorada no mês de novembro, com uma grande festa que agita a noite potiguar, com várias horas de show e uma viagem no mundo da música.

Há 26 anos, a Banda encantava seu público com sua versatilidade. Conhecidos pelo estilo baile, os irmãos tocavam de tudo: de discoteca e rock a samba e MPB. Foram pioneiros ao realizar sua festa de aniversário – depois da festa do primeiro aniversário da Banda Grafith, outras se inspiraram na ideia e, até hoje, realizam grandes eventos em comemoração a mais um ano de banda, grupo, etc.

Além dessa inovação, os irmãos também foram os primeiros a gravar vinheta de banda. Em 1990, gravaram a mesma vinheta ouvida nos dias de hoje. Com a ideia testada e aprovada pelos fãs, a Banda Grafith lançou tendência em mais um segmento da música – as vinhetas viraram febre em todo o Brasil.

E não parou por aí. Os irmãos ainda foram os pioneiros do “alô”, aquela pausa entre as músicas que é aproveitada para dar um alô aos presentes, tão utilizada nos dias de hoje. Virtude de família, a humildade sempre pode ser percebida nos shows, quando os primeiros alôs de cada apresentação eram dados a qualquer pessoa,  independente da classe social. Esta atitude ainda é vista nos shows, 25 anos depois.

Tempos de adaptações – Na década de 90, o cenário musical começou a mudar no Rio Grande do Norte. As músicas mais tocadas pelos irmãos, inspiradas em bandas como Pink Floyd, Queen, Aerosmith, passaram a não empolgar tanto quanto antes. Este foi um período difícil e os irmãos pensaram em desistir. Analisando o cenário local, outras bandas que tocavam baile como a Grafith migraram para o forró, a nova tendência. Entre desistir e seguir o mercado musical, Kaká, Carlinhos, Joãozinho e Júnior decidiram fazer o que eles têm feito de melhor – arrastar multidões com música e energia.

Versatilidade – A Banda Grafith é admirada por sua versatilidade. Adapta-se desde micaretas a festas de formatura de escolas, universidades e confraternizações. Dessa forma, a história da Banda em 25 anos pode ser colocada em prática com o arrocha do momento ao repertório de bailes de tempos atrás.

A história da Banda Grafith daria um livro. Mas o que se pode concluir é que, em todos esses anos, ela quebrou paradigmas e superou preconceitos. Cresceu, fez seu nome e, hoje, colhe os frutos do sucesso baseado nos conceitos de família, educação e bons exemplos.

  • 1988:Aconteceu o primeiro show da banda, numa sexta-feira, dia 4 de Novembro, no clube da ASSEN em Natal/RN.

O famoso “Alô” começa a ser utilizado pela banda, desde seu primeiro show. Júnior Grafith fala o nome de diversos fãs da Nação Grafitheira durante os shows;

  • 1989:Aniversário de 1º ano da banda, também aconteceu no dia 4 de novembro num sábado, a partir deste a festa passa a ser comemorada tradicionalmente no primeiro ou segundo sábado de Novembro.

A Grafith foi pioneira, dentre as bandas da época, em fazer um show especial para comemorar o aniversário da banda, levando essas apresentações de comemoração para diversas cidades do interior, principalmente para a cidade de Macau/RN.

  • 1990:Gravação do LP com primeiros registros de trabalho autoral. O nome do Disco, era também, o nome do primeiro sucesso da banda: “Camaleão”. O LP conseguiu emplacar outros sucessos como “Eu sou ilê”, Jacaré e Garotada Lamba em diversas rádios do Nordeste.

É lançada a famosa vinheta utilizada sobre as músicas para identificar a banda, que até hoje é replicada nas apresentações e gravações: “Gra, Gra, Gra, Gra, Gra, Grafith”.

  • 1992:O Estado da Paraíba, já tinha uma grande ligação com a banda desde projetos anteriores. Nesse ano a Grafith entra no Estado de Pernambuco e do Ceará, dessa forma abrindo novos caminhos e mercados para a banda;
  • 1993: 5°aniversário da banda, foi o começo da consolidação da banda no mercado do Nordeste.
  • 1995:A banda já conhecida como uma banda baile, iniciou no mercado de formaturas neste ano, na festa do colégio Nossa Senhora das Neves em Natal/RN.
  • 1998:A Primeira década de banda, a Grafith, já tinha realizado eventos importantes de diversos tipos, mas no ano de 1998 a banda toca o Baile do Aviador e o evento da ASA ambos da Aeronáutica brasileira.
  • 2000:A banda já fazia diversos carnavais, micaretas e arrastava a multidão por onde passava, mas foi neste ano que aconteceu o primeiro carnaval na cidade de Macau/RN, que contou com a soma da tradição do carnaval junto a Nação Grafitheira, totalizando num evento de proporções nacionais.
  • 2008:A comprovação da estabilidade da banda no mercado vem com a grande festa de 20 anos do Grafith, que já era conhecida em diversas partes do território nacional.
  • 2011:Uma das apresentações que Marcou a história do Grafith foi a sua primeira aparição no maior Carnaval Fora de época do Brasil, o Carnatal. Foi a Maior Pipoca da História do evento, superando todos os artistas que já haviam passado pelo evento, foi o momento do Orgulho Potiguar.

A primeira apresentação em São Paulo, aconteceu num evento na empresa Elo Iluminações.

  • 2013:O 25° aniversário do Grafith tem mais uma festa com grande público e para coroar o ano a banda venceu o prêmio Hangar de Música como Destaque Popular sendo esse um prêmio obtido pelo júri popular.

No Carnatal de 2013 foi lançada a música: Sou Grafitheiro Por Amor.

  • 2014:Em 2014, o lutador do UFC Renan Barão, participou do UFC 169 em Nova Jersey, e para sua entrada ao ringue o lutador potiguar colocou a música de Sou Grafitheiro Por Amor, que embalou a vitória de Barão, e emocionou a Nação Grafitheira. Após essa homenagem de Barão para a banda, que ele ouvia desde pequeno, o Grafith compôs uma música: Passinho do Barão, que já se tornou mais um sucesso tocado em todas as apresentações.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Flag of Brazil.svgGuitarra masc.png Este artigo sobre uma banda ou grupo musical do Brasil, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.