Bandeirantismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o Bandeirantismo, veja Bandeirantes (desambiguação).
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Predefinição:Movimento Bandeirante

O Bandeirantismo é um alegre e grande jogo ao ar livre, com o qual os jovens e os adultos conservam o espírito juvenil e podem entregar-se em grupo ao prazer da aventura (...) adquirindo saúde e alegria, conhecimentos práticos e aptidões para ir avante em qualquer circunstância.

Bandeirantismo (no Brasil) ou Guidismo (em Portugal) é um movimento educacional que desde 1919 trabalha para a formação de valores e a vivência cidadã de crianças, adolescentes e jovens no Brasil.

A força do Movimento Bandeirante está nos programas inovadores de educação não formal, no desenvolvimento de liderança e da capacidade de advocacy e na ação comunitária, empoderando crianças e jovens para desenvolver as habilidades e a confiança necessárias para fazer mudanças positivas em suas vidas, comunidades e no país.

O resultado de seu trabalho é o reconhecimento, por entidades nacionais e internacionais, de seus projetos que comprovam forte atuação social, levando benefícios às comunidades locais e tendo contribuído para a formação de mais de um milhão e meio de crianças e jovens.

No Brasil, o Movimento Bandeirante ou Bandeirantismo é organizado pela Federação de Bandeirantes do Brasil, cuja missão é "Ajudar crianças, adolescentes e jovens a desenvolverem seu potencial máximo como responsáveis cidadãos do mundo.".

Promessa Bandeirante[editar | editar código-fonte]

O ato de se comprometer com a promessa, é um incentivo ao auto-desenvolvimento, fazendo com que o jovem e o adulto voluntário se torne cada vez mais íntegro.

Promessa Bandeirante:

Prometo, sob a minha palavra de honra,
Que farei o melhor possível para:
Ser leal a Deus e à minha Pátria,
Ajudar o próximo em todas as ocasiões e
Obedecer ao Código Bandeirante.

E para os pequenos, há a Promessa da Fada e do Mago, uma promessa especial para o Ramo Ciranda:

Promessa da Ciranda:

Prometo esforçar-me sempre para ser amigo(a) de Deus e de minha Pátria e obedecer às leis da Fada e do Mago.

Leis da Fada e do Mago:

1. A Fada e o Mago fazem bem às plantas e aos animais

2. A Fada e o Mago são companheiros e trabalham alegremente

3. A Fada e o Mago dizem sempre a verdade

4. A fada e o Mago prestam atenção a tudo e a todos

Código Bandeirante[editar | editar código-fonte]

O Código Bandeirante é o guia de conduta, nele contém os valores institucionais. Os códigos retêm os princípios morais, a postura em relação à sociedade e consigo mesmo.

Ser Bandeirante:

  1. É merecer confiança
  2. É ser leal e respeitar a verdade
  3. É servir ao próximo em todas as ocasiões
  4. É valorizar a estima e a amizade
  5. É ser amável e cortês
  6. É ver Deus na Criação e preservar a natureza
  7. É saber obedecer
  8. É enfrentar alegremente todas as dificuldades
  9. É usar os recursos com sabedoria
  10. É agir, pensar e ser coerente com os valores éticos.

Método Bandeirante[editar | editar código-fonte]

O Movimento Bandeirante possui um Método Educativo próprio pensado por seu fundador Lord Robert Baden-Powell. É o modo como a instituição trabalha o seu Programa Educativo em prol da missão de educação para cidadania ativa de crianças, adolescentes e jovens. Ele atua junto à Promessa e ao Código Bandeirante, fundamentando e atribuindo uma identidade ao Bandeirantismo. Ele permite e prevê que o Bandeirante compreenda os objetivos de suas ações e que atribua sentido ao seu trabalho e sua aprendizagem. Hoje, ele está estruturado como unidade composta por oito elementos interdependentes: Vivência de Valores contidos no Código e na Promessa Bandeirante, Convivência e Trabalho em Equipe, Aprender Fazendo, Autoprogressão, Vida ao Ar Livre, Expressão e Simbologia, Convivência entre Jovens e Adultos e Serviço na Comunidade.

No Movimento Bandeirante o jovem aprende através da experimentação, de novas experiências, de novas habilidades, pela descoberta de si e do outro, possibilitando compreender os objetivos e sentidos de sua ação.

Programa Educativo[editar | editar código-fonte]

O Programa Educativo do Movimento Bandeirante é voltado para crianças, adolescentes e jovens a partir dos 5 anos de idade. Com uma combinação equilibrada de atividades variadas e elementos educativos voltados para formação pessoal de crianças, adolescentes e jovens dentro dos princípios e valores da instituição, o Programa Educativo é desenvolvido de acordo com as características e especificidades de cada idade e compreende atividades que, desenvolvidas através do Método Bandeirante, são o meio para alcançar a Missão.

As Faixas Etárias[editar | editar código-fonte]

Os Grupos Bandeirantes são divididos por faixas etárias chamadas de Ramos.

Ramo Ciranda[editar | editar código-fonte]

Idade: 5 – 9 anos Cor: Amarelo

Ramo B1[editar | editar código-fonte]

Idade: 9-12 anos Cor: Azul Céu

Ramo B2[editar | editar código-fonte]

Idade: 12-15 anos Cor: Verde Bandeira

Ramo Guia[editar | editar código-fonte]

Idade: 15-18 anos Cor: Vinho

Com 18 anos, os Guias se tornam Guias Auxiliares (G.A.). Além das oportunidades como Guias, eles trabalham junto aos Coordenadores de Grupo, auxiliando os Ramos menores e participam de treinos e cursos de formação de Coordenadores Voluntários.

Coordenadores Bandeirantes (Voluntários adultos[editar | editar código-fonte]

Idade: a partir de 18 anos Cor: Azul Marinho

No Brasil[editar | editar código-fonte]

No dia 30 de maio de 1919 foi realizada a primeira reunião para divulgar a carta de 'Lady Baden-Powell. A reunião foi realizada na residência da Srª Adele Lynch e contou com a presença de vários membros da sociedade carioca, entre os convidados estavam o Srº Eugenio de Barros, May Mackenzie, canadense residente no Brasil que já havia participado do movimento na Inglaterra, Clara Santos e Jerônyma Mesquita, cunhada do Sr. Lynch. Esta última, conhecida por trabalhos educacionais e sociais, recebeu a responsabilidade de preparar moças e líderes para desenvolver o Bandeirantismo no Brasil.

O Movimento das Girl Guides se apresentava como uma proposta de educação pioneira, por acreditar na importância da mulher em assumir um papel mais atuante nas mudanças da sociedade. Essa característica cativou as pessoas que estavam na casa da Sra. Lynch, como Jerônyma Mesquita, uma mulher de grande presença na sociedade pelos trabalhos como enfermeira na Primeira Guerra Mundial e por acreditar que a mulher deveria ter um papel mais atuante na sociedade e que dedicou sua vida ao Bandeirantismo e foi homenageada com o título de Chefe Fundadora do Movimento Bandeirante brasileiro.

Com a liderança de Jerônyma Mesquita, em 13 de agosto de 1919, realizou-se a cerimônia de promessa das 11 primeiras bandeirantes brasileiras, na residência de Lady Mackenzie, na Av. Atlântica, RJ – data oficial de fundação do Movimento Bandeirante no país. Surgia a Associação das Girl Guides do Brasil (primeiro nome da instituição).

Em 1920, com o início do processo de expansão, a Chefe Jerônyma Mesquita, solicitou ao professor Jonathas Serrano um nome nacional às Girl Guides. Este buscou na história do Brasil o sentido adequado a ideia original de B-P, e escolheu o nome “Bandeirantes” que significa “aqueles que abrem caminhos” e a instituição adotou o nome na época de Federação das Bandeirantes do Brasil.

O Movimento Bandeirante que, inicialmente, se destinava à formação de meninas e moças – tendo um papel fundamental na ampliação e participação feminina na sociedade da época, com a implementação do programa de coeducação mista nas escolas, solidificou sua proposta de coeducação iniciada com a reformulação institucional entre os anos 1969 a 1974, no entanto, apostando na mudança, passou a incluir grupos mistos possibilitando que meninas e meninos pudessem participar juntos das atividades educativas promovidas. Mas a presença expressiva de meninos e rapazes ocorreu efetivamente no final dos anos noventa e, a partir do Estatuto de 2004, a instituição é denominada como Federação de Bandeirantes do Brasil.

Datas de Fundação dos Estados e Núcleos Vinculados[editar | editar código-fonte]

  • 1919: Rio de Janeiro
  • 1933: Bahia e Espírito Santo
  • 1934: Pará
  • 1942: Ceará e São Paulo
  • 1944: Rio Grande do Sul
  • 1946: Amapá
  • 1949: Pernambuco
  • 1950: Paraná e Santa Catarina
  • 1961: Distrito Federal
  • 1965: Sergipe
  • 1966: Roraima

Veja também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]