Bang Bang (telenovela)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bang Bang
Logotipo da telenovela
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero Faroeste
Romance
Comédia
Aventura
Duração 60 minutos
Criador(es) Mário Prata substituído no terceiro mês por Carlos Lombardi
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Ricardo Waddington
Elenco Bruno Garcia
Fernanda Lima
Carol Castro
Giulia Gam
Mauro Mendonça
Daniele Suzuki
Marco Ricca
Alinne Moraes
Guilherme Berenguer
ver mais
Tema de abertura "Malaguena", The Bambi Molesters
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Rede Globo
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 3 de outubro de 2005 - 21 de abril de 2006
N.º de episódios 173

Bang Bang é uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida no horário das 19 horas entre 3 de outubro de 2005 e 21 de abril de 2006, em 173 capítulos, substituindo A Lua Me Disse e sendo substituída por Cobras & Lagartos.[1] Foi a 69ª "novela das sete" exibida pela emissora.

Foi escrita por Mário Prata e Carlos Lombardi, com a colaboração de Ana Ferreira, Antonio Prata, Reinaldo Moraes, Chico Mattoso, Filipe Miguez e Márcia Prates, com direção de Paulo Silvestrini, Cláudio Boeckel, Ary Coslov e Carlo Milani, direção geral de José Luiz Villamarim e núcleo de Ricardo Waddington. Carlos Lombardi substituiu Mário Prata, que desistiu de fazer a novela no seu terceiro mês.[2]

Contou com Bruno Garcia, Fernanda Lima, Danielle Suzuki, Giulia Gam, Marco Ricca, Alinne Moraes, Guilherme Berenguer, Ricardo Tozzi, Marisa Orth, Ney Latorraca, Evandro Mesquita, Guilherme Fontes, Kadu Moliterno, Fernanda de Freitas, Joana Fomm, Mauro Mendonça e Carol Castro nos papéis principais.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Oeste dos Estados Unidos; Época da expansão territorial americana para o oeste; c. 1880; Ben Silver teve sua família morta aos oito anos pelos capangas de Paul Bullock. Sendo assim, Ben cresceu com o desejo de vingança para aquele que mandou assassinar seus pais. Passam-se vinte anos e ele retorna a Albuquerque para realizar a missão, mas no caminho se apaixona pela bela Diana, uma mulher corajosa e sedutora, dona de uma personalidade muito forte, durona e, por ter sido treinada desde criança, altamente hábil no manejo de armas e em luta corporal. Até que ele descobre que ela é filha do homem que ele quer matar. A partir de então, Ben fica entre o amor e a vingança. Muitas outras histórias animaram a drama: as invenções malucas de Aquarius Lane, consideradas coisas do demônio por sua esposa, a conservadora beata Úrsula, a coragem da viúva Miriam Viridiana, que tem seu marido, o xerife John MacGold, morto logo no início da trama; o amor de Penny Lane e Neon - ela, uma McGold, ele, um Bullock, famílias inimigas; as irmãs Denaide e Henaide, na verdade, disfarces dos bandidos Jesse James e Billy The Kid; o amor de Dong-Dong, que para ter de volta a esposa Dorothy, em coma há vinte anos, tem que ler para ela o diário dela onde descobre que foi traído; a volta de Zorroh, que é uma mistura de Zorro e O Cavaleiro Solitário (que durante anos ficou conhecido como Zorro no Brasil),[3][4] mas depois de aposentado, colocou um "h" no nome por recomendação de uma numeróloga e hoje toca uma barbearia junto com o índio Tonto; a dupla formada pelo Padre Hacker e o sacristão Ernest; e as meninas de Vegas Locomotiv, que tinha um caso com Gógol, um farsante de xerife. Por volta da metade da história, Gógol é assassinado. Então Vegas passa ter como objetivo casar com Bullock para garantir seu futuro. Enquanto isso o então xerife Zorroh chega a vários suspeitos para a morte de Gógol, sem êxito, já que o verdadeiro assassino é o sacristão Ernest.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Fernanda Lima Mary Diana Bullock
Bruno Garcia Benjamin "Ben" Silver
Carol Castro Mercedita Bolívar
Mauro Mendonça Paul Jonathan Bullock
Giulia Gam Vegas Locomotive / Moll Flanders
Marco Ricca Patrik Gogol / Edgard Stuart
Daniele Suzuki Yoko Bell
Alinne Moraes Penny McGold Lane
Guilherme Berenguer Neon Bullock
Joana Fomm Miriam Viridiana McGold
Marisa Orth Ursula McGold Lane
Ney Latorraca Aquarius Lane
Ricardo Tozzi Dr. Harold Phinter / Lobo
Fernanda de Freitas Catty McGold
Kadu Moliterno Jesse James (Denaide / Garfunkel / Denilson)
Evandro Mesquita Billy the Kid (Henaide / Simon / Edilson)
Guilherme Fontes Jeff Wall Street / Pedro
Rodrigo Lombardi Constantino Zoltar
Sidney Magal Zorroh (Cleiton Lake)
Anderson Lau Sheng Leng Jr.
Nair Bello Dona Zorra (Leona Lake)
Tatiana Monteiro Elga Andersen
Eliezer Motta Índio Tonto
Maria Helena Velasco Mãe Bizerra
Renato Consorte Padre Jeremy Hacker
Renato Borghi Ernest
Cosme dos Santos Rush
Luca de Castro Campino
Ernani Moraes Frank Black Heart / Prima Dolores
Betty Lago Calamity Jane (Primo Mike)
Angelina Muniz Violeta Bolívar
Thalma de Freitas Baiana
Babi Xavier Marilyn Corroy
Ariela Massoti Brenda Lee
Rui Rezende Jack Label
Roumer Calhães Absurd Boy
Humberto Carrão Pablito Bolívar
Mauren Mcgee Thabata Corroy Zoltar
Raphael Rodrigues Bike-Boy (Fred)
Jairo Mattos Dong Dong
Genézio de Barros Javier Bolívar
Roney Facchini Nicola Felinni
Sônia Siqueira Zulma Smith
Cris Bonna Dorothy McGold
Zé Carlos Machado Armstrong
André Bankoff Pete (Peter Benett)
Fábio Herford Washington
Miguel Nader Dragon / Pike
Luiz Melodia Sam Smith
Iran Malfitano Mac Mac
Paulo Miklos Kid Cadillac
Jece Valadão Joe Wayne
Ana Roberta Gualda Polly Phinter
Andréa Buzato Ingrid Gogol
Tarcísio Meira John McGold

Elenco de apoio[editar | editar código-fonte]

Audiência[editar | editar código-fonte]

Horário # Eps. Estreia Final Posição Temporada Classificação geral
Data Primeiro
capítulo
Data Último
capítulo
Segunda — Sabádo
19:15
173
3 de outubro de 2005
37
22 de abril de 2006
34 #1 2005 - 2006 27

Seu primeiro capítulo obteve média de 37 pontos e 57% de participação, superior ao índice registrado por sua antecessora A Lua Me Disse, em seu capítulo de estreia.[5]

Sua maior audiência foi registrada em 18 de outubro de 2005, com média de 38 pontos.

Já sua menor audiência é de 22 pontos, alcançada em 12 de novembro e 24 de dezembro de 2005.[6]

O Ibope da novela perdia facilmente para a novela das seis exibida na época, Alma Gêmea, e para Malhação. Além disso, enfrentava a concorrência da Record, que exibia Prova de Amor.[7] Por conta da baixa audiência, a trama chegou a ter a duração dos seus capítulos reduzida.[8]

Em seu último capítulo, Bang Bang marcou 34 pontos com pico de 39 e share de 50%, considerado baixo para audiência de último capítulo.[9]

Teve média geral de 27 pontos, considerada muito baixa para o horário que exigia 35 pontos, sendo a segunda pior audiência no horário das 19 horas da década de 2000, superior apenas a Três Irmãs de Antônio Calmon, com 24 pontos.[10]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

  1. Malaguena- The Bambi Molesters (tema de abertura)
  2. De Perto - Paralamas do Sucesso (tema de Ben Silver e Diana Bullock)
  3. Nós Dois - Luiz Melodia (tema de Javier e Violeta)
  4. Canção Agalopada - Zé Ramalho (tema de Ben Silver)
  5. Balada do Céu Negro - Zeca Baleiro (tema de Mercedita)
  6. Tempos de Cowboy - Blitz (tema de Denaide e Henaide)
  7. Coração do Meu Mundo - Black Alien (tema de Diana Bullock)
  8. Os Dois No Ar - Paulo Miklos (tema de Penny Lane e Neon Bullock)
  9. Não Resisto a Nós Dois - Wanessa Camargo (tema de Ben Silver e Diana Bullock)
  10. Big Blue Sea - Bob Schneider (tema de Harold e Yoko)
  11. Love Me Tender / Troubles - The Originals (tema de Paul Bullock)
  12. Quem, Além de Você? - Leoni
  13. I've Been Thinking - Supla (tema de Neon)
  14. Last Ride - The Bambi Molesters

Referências

  1. «Estréia "Bang Bang", novela de Mario Prata». Estadão. 2 de outubro de 2005. Consultado em 3 de setembro de 2015. 
  2. Paulo Sampaio (5 de fevereiro de 2006). «"A diligência me atropelou", diz Mario Prata». Folha Ilustrada. Consultado em 3 de setembro de 2015. 
  3. Dalmo Magno Defensor (04/10/2005). «Ainda deve haver riquezas a extrair de "Bang Bang"». UOL. 
  4. Leonardo Vicente Di Sessa (15/12/2010). «Crossover entre Zorro e Cavaleiro Solitário». HQManiacs. 
  5. Alessandro Soares (5 de outubro de 2005). «‘Bang Bang’: cai o humor, mas não o chapéu». Diário do Grande ABC. Consultado em 31 de março de 2015. 
  6. «"Bang Bang" marca 22 pontos de audiência». Terra. 26 de dezembro de 2005. Consultado em 31 de março de 2015. 
  7. «"Bang Bang" e "Prova de Amor" travam briga pela audiência». Terra. 27 de novembro de 2005. Consultado em 31 de março de 2015. 
  8. «"Bang Bang" : Novela começa tarde e termina cedo». UOL. 12 de dezembro de 2005. Consultado em 31 de março de 2015. 
  9. «Último capítulo de "Bang Bang" marca 34 pontos». O Fuxico. 22 de abril de 2006. Consultado em julho de 2010. 
  10. «Ibope de novelas desaba na Globo; veja a queda». UOL. 18 de setembro de 2008. Consultado em 1 de abril de 2015. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre telenovelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.