Domingo Legal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Banheira do Gugu)
Ir para: navegação, pesquisa
Domingo Legal
Informação geral
Formato Programa de auditório
Duração 240 minutos (1993 - 2015)
300 minutos (1999 - 2003)
120 minutos (2015 - presente)
Criador(es) Homero Salles
Gugu Liberato
Roberto Manzoni
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Homero Salles (1993 - 2009)
Roberto Manzoni (1993 - 2016)
Rubens Gargalaca Jr (2016 - presente)
Apresentador(es) Gugu Liberato (1993 - 2009)
Celso Portiolli (12 de julho de 2009 - presente)
Exibição
Emissora de televisão original Brasil SBT
Formato de exibição 1080i HD (2008 - presente)
480i SD (1993 - 2008)
Transmissão original 17 de janeiro de 1993 - presente

Domingo Legal é um programa de auditório brasileiro, exibido aos domingos pelo SBT. Estreou em 17 de janeiro de 1993 sob o comando de Gugu Liberato. Mesclando informação, entretenimento, diversão, emoção, humor, atrações musicais, entrevistas e games, o programa atualmente é apresentado por Celso Portiolli, com direção de Rubens Gargalaca Jr.

História[editar | editar código-fonte]

Gugu Liberato (1993-2009)[editar | editar código-fonte]

Apresentado por Gugu Liberato, que já fazia sucesso no SBT com o Viva a Noite e o Passa ou Repassa, a história do Domingo Legal começou em 17 de janeiro de 1993. Durante o seu primeiro ano, o Domingo Legal era gravado, mas a partir do dia 7 de agosto de 1994, o programa passou a ser ao vivo. De 1994 a 1997, o Domingo Legal foi exibido das 12h às 16h, com duração de quatro horas. Já líder de audiência, a partir de 1997, o Domingo Legal muda de horário, passando a concorrer diretamente com o Domingão do Faustão. Em 1 de fevereiro de 1998, o programa passou a ser transmitido do CDT da Anhanguera. [1][2][3]

Inicialmente, o programa era uma versão do Viva a Noite, apresentado por Gugu Liberato nas noites de sábado, que foi fenômeno de audiência na década de 1980. O formato da atração era baseado em apresentações musicais e brincadeiras no palco com artistas. O programa logo se tornou um dos mais assistidos do SBT e conseguiu rápida identificação do público, tendo sido o primeiro programa de televisão a utilizar a Internet como forma de interação com o público, através de mensagens enviadas por telespectadores através do email gugu@virtual-net.com.br e posteriormente através do Portal UOL e que eram levadas ao ar durante a exibição do programa.

Os quadros mais marcantes do programa eram Táxi do Gugu, Gugu na Minha Casa, Sentindo na Pele, a disputa entre artistas "Eles x Elas", com provas conhecidas como "Prova do Tato", "Prova do Desenho", "Prova da Bexiga", "Teste do Batimento Cardíaco", "Mão no Bicho", entre outras, além da polêmica Banheira do Gugu. Outros quadros que fizeram bastante sucesso, foi o Bom Dia Legal, que consistia em acordar famosos com o uso de uma buzina. Inicialmente apresentado por Otávio Mesquita, o quadro passou a ser comandado pela dupla ET & Rodolfo, em fevereiro de 1998.[4]

No quadro A Princesa e o Plebeu, o cantor e apresentador Netinho de Paula, selecionava uma participante para viver um verdadeiro dia de princesa. Limusine, champanhe e uma verdadeira transformação estética aguardavam pela jovem princesa, tudo, obviamente, captado pelas lentes do Domingo Legal.[5]

Todos os domingos o Helicóptero do Gugu sobrevoava a cidade de São Paulo com dois objetivos bem específicos. O primeiro, e mais importante deles: o Paraquedas Premiado. Durante todo o programa, milhares de pessoas passavam a tarde olhando para o céu na expectativa de capturar o presente flutuante. O helicóptero foi útil também para inserir o jornalismo no “Domingo Legal”. A repórter Silvana Kieling, fez bastante sucesso no quadro "Notícia Urgente", que ao lado do Comandante Hamilton, trazia as principais informações do momento direto do helicóptero do Gugu.

Dentre suas matérias, as mais marcantes estão à cobertura do acidente fatal do conjunto Mamonas Assassinas, em 2 de março de 1996, no qual o programa foi líder de audiência durante toda sua exibição, o sequestro o irmão de Zezé di Camargo & Luciano, o acidente do cantor Herbert Vianna, a rebelião no Carandiru e, as enchentes na época do verão em São Paulo.[6]

Escândalo Gugu-PCC, também conhecido como Escândalo da falsa entrevista dos integrantes do PCC, foi o nome dado ao caso de uma controversa reportagem em vídeo, veiculada em 2003 no Domingo Legal, contendo uma entrevista forjada, realizada pelo repórter Wagner Maffezoli com dois homens que se passavam por integrantes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital e ameaçavam apresentadores de TV e autoridades.Por conta de sua repercussão, a emissora foi posteriormente multada e o programa temporariamente suspenso.

Se existe algo que Gugu dominava como poucos, era a arte de emocionar o telespectador. Melhor exemplo disso estava no quadro De Volta Para Minha Terra, em que a equipe do Domingo Legal transportava famílias inteiras de retirantes de volta para a cidade de origem. Outro quadro de sucesso do Domingo Legal, foi o Devo, não nego. Pago Quando Puder, criado para pessoas que estavam enroladas com as dividas e não tinham como paga-las. Gugu fazia um desafio e oferecia uma chance para que a pessoa conseguisse liquidar sua divida. Os participantes eram selecionados através de cartas enviadas à produção. Além do carro chefe da atração, o quadro Construindo um Sonho.

Entre outros destaques, estavam os quadros: Amores Virtuais que promovia o encontro de pessoas que se conheceram e se identificaram através da internet, mas que não tiveram a oportunidade de se conhecerem pessoalmente, o Aconteceu Comigo que reconstituía historias reais de pessoas que conseguiram vencer desafios extremos e comprovar que, muitas vezes, a garra e o instinto de sobrevivência são capazes de superar barreiras que parecem impossíveis. Além do Dormindo Legal, Mais uma Chance, Verdade ou Mentira?, Essa Nota Vale uma Nota e Troca Legal.

No dia 25 de junho de 2009 Gugu assinou contrato com a Rede Record. A notícia, apesar de esperada no SBT, e por Silvio Santos, causou surpresa mesmo assim, devido a história do apresentador no SBT, que se despedia da emissora que o revelou, e do programa que o levou ao sucesso, após 16 anos no comando da atração. No dia 28 de junho o programa mudou de horário, passou a ser exibido ao meio dia e o Programa Silvio Santos às 16 horas.[7] Em 12 de julho, do mesmo ano, Celso Portiolli assume o comando do novo Domingo Legal.[8]

Celso Portiolli (2009-presente)[editar | editar código-fonte]

Celso Portiolli, atual apresentador do programa desde 2009.

Em 12 de julho de 2009, o apresentador Celso Portiolli assumiu o comando do Domingo Legal, e deu um novo ritmo ao programa, que se consolidou como um dos mais queridos pelo público brasileiro. Quadros de sucesso do programa, como Construindo um Sonho, De Volta pra Minha Terra, TOP 10 da Internet e Trocando as Bolas, continuaram animando os telespectadores. [9]

Entre as novidades do programa, estavam a estreia dos quadros Você Não Vale Nada, Mas Eu Gosto de Você, Medidas Desesperadas, TV Sushi (loucuras da TV Japonesa), Game Legal (uma divertida competição entre famosos); além da volta da Piscina Maluca, e dos quadros Lendas Urbanas e Telegrama Legal.

Um dos grandes destaques desta fase do Domingo Legal, foi a estreia do game Meu Pai é Melhor Que o seu Pai. Concebido pelo estúdio independente de produção Reveille Productions, o game – do original “My Dad is Better than your Dad”, transmitido pela NBC nos EUA – consistia em provas de coragem, conhecimentos gerais, rapidez, força e conhecimento do próprio filho (a). Eram quatro pais e quatro filhos (as) que disputavam o prêmio de R$ 25 mil. Todos os (as) filhos (as) saiam do programa com um video-game, e a criança vencedora arrematava também um notebook.

Para comemorar os 18 anos do Domingo Legal, em janeiro de 2011, Celso Portiolli relembrou momentos que marcaram a história do programa. Entre as novidades do programa, a estreia de novas provas com artistas (Cama Elástica, Touro Mecânico), o desafio da Bolada Certa, o novo formato do Construindo um Sonho, que passou a ter todas as suas etapas (surpresa,reforma e entrega) exibidas no mesmo domingo, o quadro Entrevista Legal e a competição entre humoristas Arquibancada do Riso.

Em 2012, o Domingo Legal ganhou um novo cenário, com a predominância da cor lilás.[10][11] Entre as novidades do programa, a estreia do quadro Jogo do Amor; o retorno do quadro Bom Dia Legal (comandado pelo humorista Charles Henriquepédia); e os episódios inéditos do Telegrama Legal. Outro destaque, foram as Aventuras Internacionais de Celso Portiolli, que acompanhado das assistentes de palco Bruna e Diana, encarou as mais incríveis viagens aos lugares mais curiosos e divertidos do mundo em altas aventuras repletas de novidades, emoção e muita adrenalina.

No dia 27 de janeiro de 2013, o Domingo Legal fez uma cobertura completa sobre o incêndio na Boate Kiss, em Santa Maria (RS). Em parceria com o Departamento de Jornalismo do SBT, o programa mostrou imagens ao vivo, do local do incêndio, assim como o depoimento de familiares das vítimas. A cobertura foi ancorada pelo jornalista Marcelo Torres.

Em 2013, um dos grandes destaques foi a estreia do Passa ou Repassa, um dos maiores sucessos da TV brasileira, que passou a fazer parte do programa. No quadro, duas escolas participavam da disputa por prêmios, tendo que responder perguntas de conhecimento geral. No fim, quem não sabe a resposta tem que pagar uma prova no palco. E as provas são cheias de ação e muita meleca. E ainda tem que ser rápido para não ficar todo lambuzado com a Torta Na Cara.

Em 2014, o destaque ficou para estreia do quadro "De Quem é essa Mansão?", em que os humoristas Marlei Cevada e Pedro Manso, iam até a mansão de algum famoso, conheciam os detalhes de cada canto da casa e, com todas as dicas, precisavam descobrir quem é o dono do lugar. Entre outras novidades do programa, estiveram a estreia dos quadros "Afunda ou Bóia", "Na Fazenda do Santos", "Em quem Você dá a Tortada?", "Parece Que Foi Ontem" e "Se Virar, Vai Ter Que Beijar" .

Outro quadro de enorme sucesso que retornou ao Domingo Legal foi "A Princesa e o Plebeu". Em que um artista selecionava uma participante para viver um verdadeiro dia de princesa. Limusine, champanhe e uma verdadeira transformação estética aguardavam pela jovem princesa, tudo, obviamente, captado pelas lentes do Domingo Legal. Em 2014, a primeira temporada do quadro foi comandada pelo cantor MC Gui, em 2015, foi a vez do cantor Biel, e atualmente quem comanda o quadro é cantor sertanejo Zé Felipe.

Baseado no formato holandês "Psychic Challenge", exibido em mais de 11 países, o Domingo Legal estreou no dia 28 de setembro, "Os Paranormais" uma série de entretenimento que tem como objetivo encontrar o melhor paranormal do país. Produzido pela Cygnus Media no Brasil para o Domingo Legal, a série trouxe 16 participantes no episódio inicial. A cada domingo, quatro paranormais participaram de competições, onde tiveram suas habilidades e sensibilidade testadas em três diferentes tarefas. O participante com mais acertos continuava na competição, os piores iriam sendo eliminados. No programa final o melhor paranormal recebeu o prêmio no valor de R$ 50 mil em barras de ouro.

No dia 30 de novembro de 2014, o Domingo Legal transmitiu a cobertura do velório do comediante Roberto Gómez Bolaños, conhecido por interpretar o protagonista da série Chaves. O programa mostrou imagens ao vivo, do velório, que foi realizado no estádio Azteca, na Cidade do México. Em parceria com o Departamento de Jornalismo do SBT, a cobertura foi ancorada pelo jornalista Carlos Nascimento e pela repórter Magdalena Bonfiglioli, enviada do SBT ao México.

Em agosto de 2015, devido a estreia do programa Mundo Disney, o Domingo Legal perde suas duas horas de exibição, passando a ser exibido das 13h00 às 15h00. Para compensar as horas perdidas, o apresentador Celso Portiolli, estreou o programa Sabadão com Celso Portiolli, nas noites de sábado.[12]

Em 2016, o programa ganhou novo cenário, pacote gráfico e novos quadros. Entre as novidades do programa, a estreia dos quadros "O Preço da Verdade", "Quem Casa, Quer Casa", entre outros. Em 7 de dezembro de 2016, o SBT anuncia o fim do programa por queda nos índices de audiência junto do Sabadão. As edições do programa Domingo Legal tem datas pra entrar no ar, entre 18 de dezembro ao vivo e 25 de dezembro até 26 de fevereiro de 2017 com Reprises de 2016.

Porém em 27 de janeiro de 2017, é anunciado que o programa não será mais cancelado, em virtude da renovação do contrato com Raul Gil. [13]

Audiência[editar | editar código-fonte]

Em 3 de março de 1996, o dominical atingiu picos de 47 pontos cobrindo a morte precoce do grupo Mamonas Assassinas, um dos maiores índices na história do SBT e o maior do Domingo Legal.

Em 1997, O Domingo Legal ficou 33 semanas em primeiro lugar antes da mudança de horário e depois da mudança conseguiu 7 vitorias do dia 19 de outubro de 1997 até 7 de dezembro de 1997 a frete da Rede Globo.

Em 15 de fevereiro de 1998, o programa apresentado por Gugu alcança média de 24 pontos de audiência, anunciando com exclusividade o sexo (feminino) do bebê da apresentadora Xuxa.[6]

Em 2000, o Domingo Legal fica 30 semanas seguidas e 5 não consecutivas na frente da Rede Globo, liderando com folga.[7]

Em 23 de Julho de 2000, o Domingo Legal marca 32 pontos com a visita de Gugu a casa de Carlos Alberto da Nóbrega e também com a presença de Ivete Sangalono palco do programa, na mesma hora o Domingão do Faustão marcou apenas 14 pontos.[8]

Em 2001, foram 48 semanas a frente do seu maior rival, o Domingão do Faustão.

Em 18 de fevereiro de 2001, o Domingo Legal marca 36 pontos mostrando com exclusividade o tiroteio na rebelião do Carandiru, no mesmo horário Faustão marcou 21.

Em 6 de maio de 2001, o Domingo Legal bateu 37 pontos de audiência com a presença do ator belga Jean Claude Van Damme no programa, foi uma das maiores audiências do Domingo Legal e também um dos momentos mais marcantes da história do programa, na mesma hora a Rede Globo marcou 27.[9]

Em 2002, o Domingo Legal teve 21 vitórias contra a 25 da Rede Globo mais o Domingão e o Domingo Legal empatam na média de pontos porque as vitórias do SBT foram por números maiores de pontos do que as da Globo. Esses dados se referem apenas à Grande SP, o principal mercado do país.

Em 2003, com a farsa do Caso PCC, o programa de Gugu cai para 18 pontos.

Em 3 de agosto de 2008, com o carro-chefe, Construindo um Sonho, o Domingo Legal registra picos de 28 pontos. Uma das últimas grandes audiências do dominical.

Em 25 de junho de 2009, o apresentador Gugu Liberato assina com a Rede Record por um salário de 3 milhões de reais. Semanas depois, Silvio muda o horário habitual do Domingo Legal para começar ao meio-dia. O último Domingo Legal no comando de Gugu, marcou 7 pontos no IBOPE, em São Paulo e 13 com picos de 18 no Rio de Janeiro.

Em 12 de julho de 2009, Celso Portiolli estreia na atração. O dominical alcançou 8 pontos com picos de 14. Subindo 1 ponto em relação a Gugu.

Em 6 de setembro, o Domingo Legal bate recorde da nova fase com 11 pontos com picos de 14, ficando na vice-liderança isolado. No horário, o Tudo é Possível, da Record, marcou 7 pontos. O Tudo é Possível, de Ana Hickmann, é o principal rival nas tardes de domingo de Celso Portiolli.

Em 13 de dezembro, o Domingo Legal ficou por 35 minutos na liderança absoluta de audiência. a atração do SBT fechou na vice-liderança isolada com média de 10 pontos de média (picos de 14).

Em 7 de março de 2010, o Domingo Legal, ficou por 52 minutos na liderança, Ficando na vice-liderança absoluta de audiência, com 7 pontos (picos de 10).

Em 21 de março de 2010, o Domingo Legal, chegou a ficar por meia hora na liderança, exibido das 11h às 14h56. Na média geral, conquistou a vice-liderança absoluta de audiência com 8 pontos (picos de 11).

O Domingo Legal, Em 22 de setembro de 2013, Celso Portiolli recebeu a apresentadora Adriane Galisteu. O programa registrou 8,2 pontos no Ibope e ficou por 31 minutos na liderança.

Em 30 de novembro de 2014, o Domingo Legal, com a cobertura da morte de Roberto Bolaños, o eterno Chaves, ficou no primeiro lugar durante os 46 minutos finais do programa. Conquistou a vice-liderança de audiência. marcou 9 pontos, e 14 de pico.

Em 22 de março de 2015, o “Domingo Legal” ficou 1 hora e 57 minutos na liderança. a atração marcou 7,5 pontos de média com 10.0 de pico e 16,2% de participação.

Em 26 de abril de 2015, O Domingo Legal ficou  durante 85 minutos em primeiro lugar, Marcando média de 7.8 pontos e chegou a picos de 10.1 pontos na Grande São Paulo e obteve 16.9% de participação total em share. O vídeo mostrando a vitória comemorada pelo apresentador está disponível no Youtube.

Em 31 de maio de 2015, das 12h59 às 13h59, o “Domingo Legal” foi líder com 10.2 pontos contra 9.9 pontos da Globo. exibida das 10h59 às 15h03, a atração comandada por Celso Portiolli foi vice-líder isolada com 9.5 pontos de média, 11.3 de pico e 18.8% de share.

Em 21 de junho de 2015, O Domingo Legal ficou 1 hora e 12 minutos em 1° lugar. No horário em que as duas atrações estiveram simultaneamente no ar, das 13h16 às 14h28, o Domingo Legal marcou 8,4 pontos de média contra 8 pontos do Esquenta/Globo. o Domingo Legal marcou 7,9 pontos de média. Vice-Liderança.

Em 5 de julho de 2015, O Domingo Legal ficou alguns minutos no 1° lugar, garantiu a vice-liderança isolada e fechou com uma média de 8,5 pontos.

Quadros[editar | editar código-fonte]

  • Construindo Um Sonho
  • A Princesa e o Plebeu
  • Celso Visita
  • Verdade ou Mentira?
  • De Quem é essa Mansão?
  • Homenagem Especial
  • O Preço da Verdade
  • Quem Casa, Quer Casa
  • Telegrama Legal
  • TOP 10 da Internet
  • Arquibancada Do Riso

Denúncias[editar | editar código-fonte]

Em 2003, em virtude do Escândalo Gugu-PCC, o programa entrou na lista da campanha "Quem Financia a Baixaria é Contra a Cidadania", que é formada por denúncias de telespectadores e pelo Comitê de Acompanhamento da Programação (CAP), onde estão como representantes mais de 60 entidades que assessoram a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados para criar a lista com o "Ranking da Baixaria na TV".[14] As denúncias indicavam que o programa fazia apologia ao crime e era desrespeitoso com os valores éticos.[15]

Referências

  1. «Disputa começou há dois domingos». Folha de S. Paulo. UOL. 29 de outubro de 1997. Consultado em 25 de agosto de 2014 
  2. Mariana Scalzo (20 de outubro de 1997). «Gugu Liberato teve pico de 30 pontos». Folha de S. Paulo. UOL. Consultado em 25 de agosto de 2014 
  3. «'Domingo Legal' bate audiência de Faustão». Folha de S. Paulo. UOL. 20 de outubro de 1997. Consultado em 25 de agosto de 2014 
  4. Ricardo Valladares (4 de novembro de 1998). «Os novos ricos». Veja. Editora Abril. Consultado em 25 de agosto de 2014 
  5. «SBT grava quadro com Netinho, do Negritude Jr., em Campos do Jordão». Folha de S. Paulo. UOL. 20 de julho de 2000. Consultado em 25 de agosto de 2014 
  6. «Gugu tem recorde de audiência». Folha de S. Paulo. UOL. 5 de março de 1996. Consultado em 25 de agosto de 2014 
  7. «SBT muda horário de Gugu após anúncio de sua contratação pela Record». NaTelinha. 25 de junho de 2009. Consultado em 25 de agosto de 2014. Cópia arquivada em 28 de junho de 2008 
  8. «Celso Portiolli será o novo apresentador do 'Domingo Legal' no SBT». O Globo. Globo.com. 8 de julho de 2009. Consultado em 25 de agosto de 2014 
  9. «SBT - Domingo Legal». SBT - Sistema Brasileiro de Televisão. Consultado em 6 de maio de 2016 
  10. «Celso Portiolli estreia novo cenário do Domingo Legal - Área Vip». Área Vip. 20 de abril de 2012. Consultado em 6 de maio de 2016 
  11. «"Domingo Legal" vai ganhar novo cenário no SBT». natelinha.ne10.uol.com.br. Consultado em 6 de maio de 2016 
  12. AMARO, João (29 de julho de 2015). «"Domingo Legal" perde duas horas e Celso Portiolli ganha programa aos sábados no SBT». Consultado em 20 de agosto de 2015 
  13. Castro, Daniel (27 de janeiro de 2017). «Silvio Santos volta atrás e decide renovar contrato com Raul Gil». Notícias da TV. Consultado em 27 de janeiro de 2017 
  14. Patricia Roedel (9 de outubro de 2007). «Big Brother lidera 13º ranking da baixaria na TV». observatoriodaimprensa.com.br. Consultado em 3 de novembro de 2016 
  15. «"Kubanacan" lidera ranking da baixaria na TV - Cultura - Estadão». cultura.estadao.com.br. 17 de novembro de 2003. Consultado em 3 de novembro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]