Banu Muça

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Banu Muça
Ilustração de uma lâmpada de auto-corte, produzida por meio dos estudos dos Banū Mūsā.
Conhecido(a) por Aplicação da aritmética à geometria
Kitab al-Hiyal
Nascimento Maomé ibne Muça ibne Xaquir
Amade ibne Muça ibne Xaquir
Haçane ibne Muça ibne Xaquir
século IX
Nacionalidade iraquiano
Campo(s) Astronomia e geometria

Os irmãos Banu Muça[1] (Banū Mūsā - lit. Filhos de Moisés), compostos por Maomé ibne Muça ibne Xaquir (Muḥammad ibn Mūsā ibn Shākir; antes de 803 — Fevereiro de 873), Amade ibne Muça ibne Xaquir (Aḥmad ibn Mūsā ibn Shākir; depois do século IX) e Haçane ibne Muça ibne Xaquir Al-Ḥasan ibn Mūsā ibn Shākir; depois do século IX) foram três cientistas iraquianos.[2] Eles se destacaram no campo da astronomia e geometria e se tornaram conhecidos pela publicação da obra Kitab al-Hiyal (lit. Livro de Mecanismos da Engenharia) e pelos estudos envolvendo a aplicação da aritmética à geometria. Dedicados à análise de dispositivos mecânicos, outro livro importante que escreveram foi sobre a medição de figuras planas e esféricas, obra citada recorrentemente em teses de matemáticos islâmicos e europeus.[3]

Os três trabalharam juntos em um observatório astronômico estabelecido em Bagdá, capital do atual Iraque, no Califado Abássida. Eles também participaram de diversas expedições geodésicas, a fim de medições em graus do planeta. Enquanto os matemáticos gregos davam atenção à obtenção da área e do volume, os matemáticos islâmicos (como os Banu Muça) estavam mais interessados com relações numéricas reais, comparando o tamanho de um objeto a outro. Com esse estudo, chegaram a definir alguns conceitos, reproduzidos em suas obras originais.[4]

Eles fizeram muitas observações e contribuições para o campo da astronomia, escrevendo quase uma dúzia de publicações acerca de suas pesquisas astronômicas. Os corpos celestes mais analisados pelos Banu Muça foram o Sol e a Lua. Embora não tenham ficado muito conhecidos no âmbito político, pela falta de interesse, nota-se que o irmão mais velho, Muhammad, foi empregado em califas para diferentes projetos civis, principalmente na cidade de Bagdá. Dentre os textos publicados, estão análises sobre trissecção do ângulo, pneumática e teoria musical.[5]

Os Banu Muça são filhos de Muça ibne Xaquir, que era astrônomo na região histórica de Coração. Sua formação, portanto, influenciou os três cientistas em sua carreira profissional. Com o auxílio do matemático e tradutor Thābit ibn Qurra, eles traduziram para a língua árabe inúmeras obras gregas sobre matemática.[6]

Referências

  1. Alves, Adalberto (2014). Dicionário de Arabismos da Língua Portuguesa. Lisboa: Leya. p. 663. ISBN 9722721798 
  2. Pingree, D. (1988). «Banū Mūsā». Encyclopædia Iranica 
  3. Masood, Ehsad (2009). Science and Islam A History. [S.l.]: Icon Books Ltd. pp. 161–163 
  4. Gutas, Dimitri (23 de julho de 1997). Greek Thought, Arabic Culture: The Graeco-Arabic Translation Movement in Baghdad and Early 'Abbasaid Society. [S.l.]: Routledge. p. 133. ISBN 0415061334 
  5. Rashed, Roshdi (1996). «Les Mathématiques Infinitésimales du IXe au XIe Siècle 1: Fondateurs et commentateurs: Banū Mūsā, Ibn Qurra, Ibn Sīnān, al-Khāzin, al-Qūhī, Ibn al-Samḥ, Ibn Hūd». London 
  6. Casulleras, Josep (2007). «Banū Mūsā». In: Thomas Hockey; et al. The Biographical Encyclopedia of Astronomers. New York: Springer. pp. 92–4. ISBN 978-0-387-31022-0