Barôncio e Desidério

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Santos Barôncio e Desidério
Morte  
c. 725
Veneração por Igreja Católica
Festa litúrgica 25 de março
Gloriole.svg Portal dos Santos

Barôncio (Barontus) (em francês: Baronce, em italiano: Baronto, Baronzio) e Desidério (em francês: Dizier, em italiano: Desiderio) foram dois eremitas do século VIII que são venerados como santos pela Igreja Católica.[1] Eles eram eremitas perto de Pistoia, na Itália.

Barôncio foi um nobre franco de Berry que, com seu filho, foi monge em Saint-Pierre de Longoret (Longoreto, Longoretum, Lonrey) (diocese de Bourges), agora mosteiro de Saint-Cyran-du-Jambot.[1] Barôncio era um ex-membro da corte de Teodorico II.

Visio Baronti Monachi Longoretensis[editar | editar código-fonte]

De acordo com o texto conhecido como Visio Baronti Monachi Longoretensis, um texto longo de 4.700 palavras datado de 25 de março de 678 ou 679 supostamente escrito pelo próprio Barôncio,[2] Barôncio recebeu uma visão do céu e do inferno por volta de 678.[3] Barôncio, descrito por um estudioso como "um ex-funcionário público de meia-idade com três casamentos e muitas amantes na consciência", afirma que entrou em coma e teve a visão de que estava voando pelos ares acima a região de Bourges enquanto demônios o atacavam e chutavam.

Acompanhado pelo arcanjo Rafael, Barôncio viaja pelos quatro níveis do céu, embora continue a ser atormentado pelos demônios, que querem puxá-lo para o inferno.[4] Barôncio encontra pessoas que conheceu, incluindo outros monges de Longoreto. Rafael pede a outro anjo que traga São Pedro até eles, para que Pedro possa julgar Barôncio.

Os demônios trazem suas evidências contra Barôncio, repassando "todos os pecados que [Barôncio] cometeu desde a infância, incluindo aqueles que [ele] havia esquecido totalmente".[3] No entanto, os demônios ficam tão irritantes que Pedro os golpeia com suas chaves, mandando-os embora.[4] Pedro então decide enviar Barôncio de volta à Terra via inferno, onde Barôncio vê todas as almas em tormento antes de retornar à Terra.

Quando ele se recupera, ele é solicitado a contar sobre sua visão.[4]

Em Pistoia[editar | editar código-fonte]

Essa visão levou à decisão de Barôncio de se tornar um eremita na Itália, e ele se estabeleceu perto de Pistoia com Desidério, um monge.[1]

Eles viveram uma vida austera e foram acompanhados por discípulos.[5]

Eles morreram por volta de 725.[5] Seus nomes aparecem no Martyrologium Romanum.

Referências

  1. a b c Katherine I. Rabenstein (1998). «Saint of the Day, March 25: Barontius (Barontus) & Desiderius». SaintPatrickDC.org. Consultado em 7 de março de 2012. Cópia arquivada em 22 de fevereiro de 2012 
  2. Eileen Gardiner (2006). «Judeo-Christian Hell Texts». Hell-On-Line. Consultado em 18 de maio de 2009 
  3. a b Caroline Walker Bynum, Paul H. Freedman, Last things: death and the Apocalypse in the Middle Ages (University of Pennsylvania Press, 2000), 54.
  4. a b c Eileen Gardiner, Medieval visions of heaven and hell: a sourcebook (Published by Taylor & Francis, 1993), 43-44.
  5. a b «Den hellige Barontius og Desiderius av Pistoia (d. ~725)». Katolsk. 7 de novembro de 1998. Consultado em 14 de maio de 2009. Cópia arquivada em 16 de março de 2005