Barbirotto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Barbirotto
Informações pessoais
Nome completo Antônio Barbeirotti Júnior
Data de nasc. 19 de setembro de 1959 (58 anos)
Local de nasc. São Paulo (SP),  Brasil
Nacionalidade  Brasileiro
Informações profissionais
Equipa atual Brasil Náutico
Posição Preparador de goleiros
(ex-Goleiro / Treinador)
Clubes de juventude
1971
1973–1979
1977
Brasil Palmeiras (futsal)
Brasil São Paulo
Brasil Goiânia (emp.)
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1978
1980
1981–1985
1985
1986
1986
1986

1987
1988
1988
1989

1990
1992
Brasil Goiás (emp.)
Brasil Catanduvense (emp.)
Brasil São Paulo
Brasil América (emp.)
Brasil Juventus
Brasil Ferroviário
Brasil Joinville
Brasil Bangu
Brasil Ponte Preta
Brasil Joinville
Brasil Bragantino
Brasil América
Brasil XV de Piracicaba
Brasil Caxias
Brasil Noroeste


55 (0)








3 (0)
Times/Equipas que treinou



2004






2010
2010–2011
2011
2013–
Brasil Jabaquara
Brasil Guarujá
Brasil Santos Sub-17 (prep. de goleiros)
Brasil São Caetano (prep. de goleiros)
Japão Otsuka (prep. de goleiros)
Japão Kashiwa Reysol (prep. de goleiros)
Coreia do Sul [carece de fontes?](prep. de goleiros)
Brasil Juventude (prep. de goleiros)
Brasil America (prep. de goleiros)
Brasil Guarani (prep. de goleiros)
Brasil Santos (prep. de goleiros)
Brasil Atlético Mineiro (prep. de goleiros)
Brasil Internacional (prep. de goleiros)
Brasil Náutico (prep. de goleiros)

Antônio Barbeirotti Júnior, mais conhecido como Barbirotto (São Paulo, 19 de setembro de 1959), é um ex-futebolista brasileiro, que atuava como goleiro. Atualmente, é preparador de goleiros do Náutico.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Goleiro[editar | editar código-fonte]

Barbirotto iniciou sua carreira de goleiro aos 12 anos no futsal do Futebol Palmeiras, time de sua família, que são descendentes de italianos.[2] Mais tarde iniciaria sua carreira no futebol nas categorias de base do São Paulo, onde foi campeão paulista pela categoria dente-de-leite.[2] Barbirotto manteve um vínculo com o São Paulo de 1981 a 1985, sendo o goleiro reserva de Waldir Peres na maior parte dos jogos, vindo a ser efetivado como titular somente em 1984. Contudo, não conseguiu se firmar no São Paulo e, a partir daí, peregrinou por vários clubes, a maioria deles do interior paulista.

Esteve em duas oportunidades no América (em 1986 e 1989), onde conseguiu a façanha de ficar 768 minutos sem sofrer gols, marca ultrapassada por poucos goleiros na história do futebol brasileiro.[3] Esteve também em duas diferentes épocas no Joinville, sendo campeão estadual pelo time catarinense numa dessas ocasiões.[2]

Barbirotto ainda iria jogar no Juventus (onde foi campeão do Torneio Início Paulista de 1986), Ferroviário, Bangu, Bragantino, XV de Piracicaba, Caxias (onde sofreu uma fratura de crânio, em 1990[4]) e Noroeste, onde, em 1992, pendurou as luvas.

Treinador[editar | editar código-fonte]

Quando parou de jogar, Barbirotto chegou a ensaiar uma tentativa de se tornar treinador. Tentou a sorte em duas equipes: Jabaquara e Guarujá. Mas, ao perceber que o mundo da bola para um treinador de futebol é muito cruel, preferiu buscar seu espaço na área que era a sua preferida: o gol. Então, tornou-se treinador de goleiros e foi trabalhar nas categorias de base do Santos.

Treinador de goleiros[editar | editar código-fonte]

Mesmo tendo parado de jogar, Barbirotto não se afastou do futebol. O ex-arqueiro foi preparador de goleiros do time juvenil (sub-17) do Santos. Também veio a trabalhar como preparador de goleiros no São Caetano (onde foi campeão paulista em 2004 junto com Muricy Ramalho), Otsuka e Kashiwa Reysol, ambos do Japão, no Juventude, no America, no Guarani e no futebol coreano.

Em 2010, foi contratado pelo Atlético Mineiro, por indicação do então técnico Dorival Júnior, para ser o preparador de arqueiros do Galo.[5] Alvo de críticas por boa parte da torcida atleticana, ele foi demitido do Atlético em agosto de 2011.[6]

Em março de 2013, foi contratado pelo Náutico para ser o preparador de goleiros do clube pernambucano[7], após o último preparador de goleiros do Timbu ter sido contratado pelas divisões de base da Seleção Brasileira Sub-20.[8]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

São Paulo
Joinville
Juventus

Campanhas de destaque[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Goiás
Catanduvense

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

De família italiana, filho de um boxeador e irmão de um jogador de basquete, Barbirotto morava perto do estádio do Palmeiras, onde, ainda com 12 anos, jogou futsal. É casado com a ex-jogadora de vôlei Táta e tem duas filhas com ela, além de uma filha registrada em Santa Catarina.[4] Chegou a fazer bicos como modelo. Administrou um restaurante no Guarujá, Litoral de São Paulo, chamado Bar Birotto's[4], mas hoje em dia trabalha como preparador de goleiros.

Referências

  1. «Náutico tem novo preparador de goleiros: Barbirotto». SuperEsportes. Consultado em 26 de março de 2013. 
  2. a b c «Barbirotto deixou e levou saudade». Consultado em 26 de março de 2013. 
  3. «Barbirotto fica 768 minutos sem sofrer gols no América». Consultado em 26 de março de 2013. 
  4. a b c «Que fim levou? Barbirotto». Terceiro Tempo. Consultado em 26 de março de 2013. 
  5. «Atlético-MG anuncia Barbirotto como seu treinador de goleiros». UOL. Consultado em 26 de março de 2013. 
  6. «Alvo de críticas, Barbirotto não é mais o preparador de goleiros do Galo». GloboEsporte. Consultado em 26 de março de 2013. 
  7. «Náutico anuncia novo preparador de goleiro». Jornal do Commercio (Recife). Consultado em 26 de março de 2013. 
  8. «Náutico deverá perder preparador de goleiros e físico para a base da Seleção». SuperEsportes. Consultado em 26 de março de 2013. 
Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.