Barco (Covilhã)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja barco.
Portugal Barco  
—  Freguesia portuguesa extinta  —
Brasão de armas de Barco
Brasão de armas
Barco está localizado em: Portugal Continental
Barco
Localização de Barco em Portugal Continental
Coordenadas 40° 10' 23" N 7° 36' 50" O
Concelho primitivo Covilhã
Concelho (s) atual (is) Covilhã
Freguesia (s) atual (is) Barco e Coutada
Extinção 28 de janeiro de 2013
Área
 - Total 15,18 km²
População (2011[1])
 - Total 473
    • Densidade 31,2 hab./km²
Orago São Simão

Barco foi uma freguesia portuguesa do concelho da Covilhã, com 14,07 km² de área e 473 habitantes (2011). A sua densidade populacional é de 33,6 hab/km².

Foi extinta em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional, tendo sido agregada à freguesia de Coutada, para formar uma nova freguesia denominada União das Freguesias de Barco e Coutada da qual é a sede.[2]

Localização no Concelho de Covilhã

População[editar | editar código-fonte]

População da freguesia de Barco [3]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
539 923 907 1 034 1 162 1 218 1 365 1 577 1 802 2 070 1 321 1 261 753 576 473

Evolução da  População  (1864 / 2011) Grupos Etários  (2001 e 2011) Grupos Etários  (2001 e 2011)

Com lugares desta freguesia foi criada pela Lei nº 61/84, de 31 de Dezembro, a freguesia de Coutada

Descrição[editar | editar código-fonte]

Aldeia bucólica com uma esplêndida paisagem, que se estende ao longo da margem Norte do Rio Zêzere foi durante muitos anos o ponto de travessia de pessoas e bens, entre margens do rio ganhando daí o seu nome.

Tem também fontes romanas e outros vestígios, tais como os da passagem dos mouros pela Serra da Argemela. A Serra da Argemela é rica em minerais e mesmo antes da chegada dos romanos foi explorada na sua busca. Existem por isso inúmeras grutas minas e valas a céu aberto nas suas encostas.

Envolta em várias lendas existe uma que lhe deu o nome, sobre uma Moura que queria casar com um Mouro rico. No dia do Casamento os mouros levaram-na para o cimo da Serra, deitando-a de um poço muito fundo. Sempre que há vento diz-se que se ouve os gemidos da moura por entre as minas, grutas e poços, e da expressão no ar-geme-ela resultou o nome Argemela.

Património[editar | editar código-fonte]

  • Igreja de S. Simão (matriz)
  • Duas capelas de S. Sebastião
  • Alminhas
  • Calvário
  • Fontes Velha e romana
  • Lagares de azeite
  • Casa mortuária
  • Vestígios castrejos do Cabeço dos Mouros e da fortaleza
  • Castro do Monte de Argemela
  • Praia fluvial (no rio Zêzere)

Referências

  1. «População residente, segundo a dimensão dos lugares, população isolada, embarcada, corpo diplomático e sexo, por idade (ano a ano)». Informação no separador "Q601_Centro". Instituto Nacional de Estatística. Consultado em 1 de Março de 2014. Cópia arquivada em 4 de Dezembro de 2013 
  2. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Lei n.º 11-A/2013 de 28 de janeiro (Reorganização administrativa do território das freguesias). Acedido a 2 de fevereiro de 2013.
  3. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes
Ícone de esboço Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.