Barita

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Cristal de barita do Cerro Huarihuyn, Miraflores, Huamalíes, Huánuco, Peru
Classificação Strunz 07.AD.35
Fórmula química BaSO4
Propriedades ópticas
Índice refrativo nα = 1.634–1.637
nβ = 1.636–1.638
nγ = 1.646–1.648
Propriedades físicas
Densidade 4.48 g/cm3
Dureza 3-3,5
Fusibilidade 4, verde amarelado chama de bário
Solubilidade baixa
Tenacidade frágil
Risca branco
Referências [1][2][3][4]

Barita é um mineral de sulfato de bário com fórmula química BaSO4. O seu nome tem origem no grego barus (pesado). Apesar de conter bário, um metal pesado, não é considerada tóxica devido à sua elevada insolubilidade.

Tipos de ocorrência[editar | editar código-fonte]

Comum em veios de chumbo e zinco em calcários, em depósitos hidrotermais e associada a minérios de hematita. Muitas vezes ocorre associada à celestita e à anglesita.

Usos e aplicações[editar | editar código-fonte]

Cristal de barita com dupla terminação(Cumbria, Inglaterra).

Cerca de 90% da produção de barita é utilizada para aumentar a densidade das lamas de perfuração na indústria petrolífera. Também é utilizada no fabrico de tintas e de papel. Os maiores produtores mundiais são os Estados Unidos, a Índia e a China.

Em Portugal[editar | editar código-fonte]

Pode ser encontrada em Segura, concelho de Idanha-a-Nova, onde em tempos se procedeu à sua extração.

No Brasil[editar | editar código-fonte]

O Brasil possui 0,3 % das reservas mundiais e sua produção atinge 1% da produção mundial. O estado da Bahia contribui com 95% da produção nacional.[5]

Produção mundial[editar | editar código-fonte]

Produção mundial em 2019, em milhões de toneladas por ano
1.  China 2,80
2.  Índia 2,00
3.  Marrocos 1,10
4. Cazaquistão 0,59
5. Laos 0,44
6.  Estados Unidos 0,41
7.  México 0,38
8.  Turquia 0,25
9.  Irão 0,20
10.  Rússia 0,16
11. Paquistão 0,11

Fonte: USGS.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Dana, James Dwight; Ford, William Ebenezer (1915). Dana's Manual of Mineralogy for the Student of Elementary Mineralogy, the Mining Engineer, the Geologist, the Prospector, the Collector, Etc. 13 ed. [S.l.]: John Wiley & Sons, Inc. pp. 299–300 
  2. Barite at Mindat
  3. Webmineral data for barite
  4. Baryte, Handbook of Mineralogy
  5. DNPM. «Barita». DNPM. Consultado em 30 de setembro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Barita