Barra de Santana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Barra de Santana
"Barra"
Visão panorâmica do sítio arqueológico da Pedra do Altar

Visão panorâmica do sítio arqueológico da Pedra do Altar
Bandeira de Barra de Santana
Brasão de Barra de Santana
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 29 de abril de 1994
Gentílico barrasantense
Prefeito(a) Cacilda Farias Lopes de Andrade[1] (PSD)
(2017–2020)
Localização
Localização de Barra de Santana
Localização de Barra de Santana na Paraíba
Barra de Santana está localizado em: Brasil
Barra de Santana
Localização de Barra de Santana no Brasil
07° 31' 12" S 36° 00' 00" O07° 31' 12" S 36° 00' 00" O
Unidade federativa  Paraíba
Mesorregião Borborema IBGE/2008[2]
Microrregião Cariri Oriental IBGE/2008[2]
Região metropolitana Campina Grande
Municípios limítrofes Caturité e Queimadas (Paraíba) (norte); Gado Bravo (leste); Santa Cecília (Paraíba), Alcantil e Riacho de Santo Antônio (sul); Boqueirão (oeste)[3]
Distância até a capital 133 1 501 Km km
Características geográficas
Área 369,290 km² [4]
População 8 198 hab. (PB: 95º) –  estimativa populacional - IBGE/2011[5]
Densidade 22,2 hab./km²
Altitude 350[6] m
Clima semiárido[7]
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,575 baixo PNUD/2000[8]
PIB R$ 30 795,031 mil (PB: 95º) – IBGE/2008[9]
PIB per capita R$ 3 475,34 IBGE/2008[9]
Página oficial

Barra de Santana é um município brasileiro localizado na Região Metropolitana de Campina Grande, estado da Paraíba. Sua população em 2011 foi estimada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em 8.198 habitantes,[5] distribuídos em 369 km² de área.

História[10][editar | editar código-fonte]

A ocupação de Barra de Santana era primitivamente ocupada pelos povos indígenas tapuias, do tronco tupi, que deixaram impressos os seus registros no sítio arqueológico da Pedra do Altar, localizado a 14 km da sede, à margem direita do Rio Paraíba.

A ocupação da região iniciou-se no final do século XVII. Segundo fontes orais, a família Alvino doou as terras para os primeiros habitantes do local. Ainda segundo estas fontes, a primeira capela do local foi construída pelo Padre Ibiapina, dedicada a Sant’Ana.

Assim iniciou-se a Vila de Bodocongó, às margens de um rio do mesmo nome. A cidade foi palco da Revolta do Quebra-Quilos.

O distrito foi criado com a denominação de Bodocongó, pela lei municipal nº 2, de 06-051893 e por lei provincial nº 235, de 9 de outubro de 1866, subordinado ao município de Cabaceiras. Pela lei estadual nº 2078, de 30 de abril de 1959, o distrito de Bodocongó passou a pertencer ao novo município de Carnoió. Cornoió viria a ser chamado de Boqueirão em 1961. Barra de Santana foi Elevada à categoria de município com esta denominação pela lei estadual nº 5925, de 29 de abril de 1994, desmembrado de Boqueirão, e instalado em 1 de janeiro de 1997.O primeiro prefeito da cidade foi o médico Oscar Ferreira de Melo Sobrinho, eleito no pleito de 1996 e assumindo em 1 de janeiro de 1997.

Geografia[editar | editar código-fonte]

De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no ano de 2009 sua população era estimada em 8.909 habitantes, distribuída quase totalmente na zona rural do município, que além do distrito sede, possui distritos e vilarejos de renomada importância, se considerada a dimensão do município. São eles: Mororó, Santana, Pitombeiras, Malhadinha, Vereda Grande,Caboclos e Barriguda. Área territorial de 369 km². O distrito sede localiza-se as margens do Rio Paraíba, mais precisamente no encontro de seu afluente Riacho de Bodocongó.

Fisiografia[editar | editar código-fonte]

O município está incluído na área geográfica de abrangência do semiárido brasileiro, definida pelo Ministério da Integração Nacional em 2005.[11] Esta delimitação tem como critérios o índice pluviométrico, o índice de aridez e o risco de seca.

Barra de Santana insere-se na unidade geoambiental das Superfícies Dissecadas Diversas, com relevo movimentado, moderadamente dissecado e com altitudes entre 300 e 700 metros. A vegetação é composta por Floresta Caducifólia, Cerrado e Caatinga.[12]

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

O município insere-se na bacia hidrográfica do Rio Paraíba, no Médio Paraíba e os principais tributários são rios Paraíba e Bodocongó, e os riachos Curimatã, Manoel Triburino, Marinho, Pereira, Canudos, Pedra d’ Água, de Santo Ant ônio, Pedras Pretas, Salinas, Pé de Juá, Olho d’ Água dos Bodes e Olho d’Água do Meio, a maioria de regime intermitente.[12]

Economia[editar | editar código-fonte]

Por ser um município tipicamente rural, sua economia centra-se na criação de caprinos e bovinos (principalmente para produção de leite).

Como o clima do município é caracterizado por chuvas irregulares, a cultura do milho e feijão (tradicionalmente cultivados no cariri paraibano)pode ser considerada de pouca relevância comercial, mas ainda muito utilizada para consumo familiar.

Símbolos[editar | editar código-fonte]

Os símbolos que representam o município são: O Brasão e a Bandeira municipal, autoria de José Berivaldo; O Hino Municipal, autoria de Sebastião Gonçalves e Vadeílson Costa; Ambos os símbolos foram acolhidos por meio de concurso público.

Esporte[editar | editar código-fonte]

O esporte preferido é o futebol. Existem no município vários clubes amadores e dentre eles podemos destacar: Ponte Preta e Madureira (distrito sede), São Paulo, Real Madri, Juventus e Escolinha de Futebol Mororó (Mororó), CESES e Independente (Santana), Sport Clube Mocós (Mocós), Cantagalo e Flamengo da Serra e Sport Clube de Torres (Torres) e Cruzeiro (Malhadinha).

Referências

  1. Portal Eleições 2016. «Resultado das Eleições: Barra de Santana-PB». Consultado em 03 de janeiro de 2017  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  2. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  3. «Mapa da Confederação Nacional de Municípios». Consultado em 8 de outubro de 2009 
  4. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  5. a b «Estimativa Populacional 2011». Estimativa Populacional 2011. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2011. Consultado em 10 de agosto de 2012 
  6. «Página da Confederação Nacional de Municípios». Consultado em 8 de outubro de 2009 
  7. «Ministério da Integração Nacional, 2005. Nova delimitação do semiárido brasileiro». Integracao.gov.br 
  8. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  9. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  10. «IGBE Documentação Territorial do Brasil». Ibge.gov.br. Consultado em 21 de abril de 2010 
  11. «Ministério da Integração Nacional, 2005. Nova delimitação do semiárido brasileiro». Integracao.gov.br 
  12. a b «Diagnóstico do município de Barra de Santana Paraíba» (PDF). Diagnóstico do município de Barra de Santana Paraíba. Projeto Águas Subterrâneas. Ministério das Minas e Energia. 2005. Consultado em 28 de agosto de 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios da Paraíba é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.